03/11/2016 às 09h09min - Atualizada em 03/11/2016 às 09h09min

Canalização dos córregos no Jardim dos Bandeirantes está avançada

Além do saneamento a obra visa principalmente a segurança de dezenas de imóveis que margeiam os córregos naquele trecho do bairro.

Apesar dos atrasos causados pelas pancadas de chuva nos últimos dias é visível o empenho  de todas as equipes que estão atuando na construção da canalização de parte dos córregos Feijão Crú e Onça, que cortam o bairro Jardim dos Bandeirantes, na região do Alto do Cemitério. Depois de concluírem as obras do "canal 4", houve um grande esforço por parte de todos os funcionários, em relação a construção do "canal 5" e o início do "canal 6", antes do período das chuvas.

Segundo informação da equipe técnica responsável pela execução da obra, está sendo montada toda a parte estrutural de ferragens das paredes verticais do "canal 6", para em seguida, iniciar a montagem das formas  e em seguida fazer a concretagem. Serão cerca de 40 metros linear de obras nesta parte inicial do "canal 6", onde todas as equipes estão empenhadas para executar esses trabalhos, antes do período chuvoso. Pois as chuvas são prejudiciais para a execução das obras, o córrego enche e não se pode trabalhar. A obra visa principalmente a segurança de dezenas de imóveis que margeiam os córregos naquele trecho do bairro  Jardim dos Bandeirantes. 

Para refrescar a memória

Avança a obra de canalização de córregos no Jardim dos Bandeirantes
A obra dará segurança aos proprietários de dezenas de imóveis localizados nas margens dos dois cursos d’água que vem sofrendo forte erosão há muitos anos.
Jornal Leopoldinense

O jornal Leopoldinense visitou o canteiro de obras de canalização dos córregos Feijão Crú e Onça que cortam o bairro Jardim dos Bandeirantes, numa extensão de 390 metros. Os registros fotográficos mostram o estágio em que se encontram os trabalhos. Trata-se de uma das mais importantes obras de infraestrutura realizadas naquele bairro. Segundo o engenheiro José Márcio Gonçalves Lima, Secretário Municipal de Obras, a canalização está sendo feita num trecho de 34,5 metros do córrego Feijão Cru com largura de 5 metros e 3 metros de altura, até o encontro com o córrego do Onça. Este por sua vez, será canalizado numa extensão de 30 metros com 3 metros de largura e 3 de altura, até o encontro com o córrego Feijão Cru. A partir da confluência dos dois córregos o Feijão Cru será canalizado numa extensão de 325,95 metros, com 8 metros de largura e 4 metros de altura. O total de canalização em extensão é de 390,4 metros até as proximidades da ponte da BR116 Rodovia Rio Bahia. Os taludes formados nas duas margens resultantes da canalização, de acordo com o projeto, serão gramados. A obra tem o valor de R$2.237.699,01 com recurso oriundo do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A., através do Programa BDMG Urbaniza.

A burocracia atrasou o início da obra

O jornal Leopoldinense apurou que já havia homologado no dia 5 de janeiro de 2015, o resultado da ‘Concorrência Pública’ para construção da canalização aberta em concreto armado de parte dos dois cursos d’água que cortam o Jardim dos Bandeirantes. A obra demorou a ser iniciada por causa do atraso na concessão da licença ambiental o que só ocorreu no dia 28 de outubro de 2015. De lá até o início da obras outras etapas burocráticas tiveram que ser ultrapassadas e o processo é muito lento. A Licença Ambiental foi concedida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SEMAD – através do Conselho Estadual de Política Ambiental – COPAM – no dia 28 de outubro de 2015, assinada pelo Superintendente Regional de Regularização Ambiental da Zona da Mata, Alberto Felix Iasbik. De acordo com o documento, o COPAM concedeu à Prefeitura de Leopoldina, Licença Prévia em conjunto com a Licença de Instalação, para atividade de Retificação de curso d’água, autorizando o início da implantação, de acordo com planos, programas e projetos aprovados, incluindo as medidas de controle ambiental e demais condicionantes a serem atendidas nas próximas fases de sua implementação, conforme processo administrativo de Nº 00142/1999/005/2015, e decisão da Unidade Regional Colegiada Zona da Mata, em reunião do dia 28/10/2015. A Licença Ambiental tem a validade de 4 (quatro) anos, com vencimento em 28/10/2019. De acordo com o contrato assinado com a Prefeitura, a empresa vencedora da Concorrência Pública terá 12 meses para concluir o serviço a partir de seu início.


 
Fonte: Arquivo do Jornal Leopoldinense
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »