13/11/2016 às 17h15min - Atualizada em 13/11/2016 às 17h15min

Chuva forte causa estragos em Juiz de Fora

Bombeiros registraram quedas de árvores e deslizamentos de terra entre a noite de sábado e madrugada deste domingo

Cristiane Silva
Estado de Minas
Bairro Santa Luzia teve ruas alagadas na noite de sábado (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil de Juiz de Fora, na Zona da Mata, estão mobilizadas desde a noite de sábado por conta dos estragos causados pela chuva. Houve deslizamentos de terra, alagamentos e quedas de árvores. Na manhã deste domingo, a cidade ainda registra chuva forte.

Segundo o Corpo de Bombeiros, na noite de sábado houve registro de alagamento no centro da cidade e nos bairros Olavo Costa, e Santa Luzia. Neste último, os bombeiros foram chamados para resgatar um casal que ficou preso em casa depois de um deslizamento de terra que fechou a porta da casa. Ninguém se feriu.

Os militares de Juiz de Fora também socorreram uma mulher em Além Paraíba, onde um deslizamento de terra também impedia do imóvel. Na rua acima do endereço, o fluxo de água abriu uma cratera na pista. Os militares improvisaram um desvio com entulho e madeira. A Defesa Civil foi chamada.

Nesta madrugada, os bombeiros registraram pelo menos 12 chamadas para cortes de árvores que caíram durante a chuva. Ainda conforme os bombeiros, foram montados pontos estratégicos em Juiz de Fora e cidades vizinhas para que os atendimentos sejam realizados com mais rapidez.

 
Corpo de Bombeiros/Divulgação

Corpo de Bombeiros/Divulgação


Em Além Paraíba, força das águas abriu uma cratera na rua (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
 
 
ATENÇÃO Segundo a tenente Priscila Adonay, da comunicação dos Bombeiros de Juiz de Fora, os incêndios na vegetação contribuem para o risco de deslizamentos de terra e queda de taludes. “Uma estatística vai levando à outra. Neste ano tivemos muitos incêndios em vegetação. Foram mais de 2 mil atendimentos de notificação de lote vago. Mesmo assim, neste ano a gente já ultrapassou a quantidade do ano passado. Em 2014 foram quase 1 mil, ano passado, 700. Quanto mais incêndios, mais ocorrências de desabamento e deslizamento associadas, em grande parte, à desproteção da terra”, explica.

Segundo ela, é importante limpar a vegetação dos terrenos, mas em áreas e talude, é preciso que o proprietário ou responsável pelo serviço procure a orientaçaõ da Secretaria Municipal de Meio Ambiente para saber como limpar a área sem retirar totalmente as plantas.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »