08/01/2017 às 12h35min - Atualizada em 08/01/2017 às 12h35min

Ex-prefeito de Recreio Ônio Fialho critica imprensa

Atual prefeito José Maria Barros decretou situação de calamidade administrativa, financeira e de infraestrutura, diante do caos herdado da gestão do ex-prefeito.

Ex-prefeito de Recreio, Ônio. (Foto Arquivo)
Por meio do Facebook, o ex-prefeito de Recreio, Ônio Fialho, criticou a imprensa por causa da divulgação dos caos administrativo na Prefeitura de Recreio encontrado pelo seu sucessor, Zé Maria Barros. Ônio disse que a mídia está “realizando uma campanha odiosa e organizada”.

Em sua publicação, o ex-prefeito descreveu que a divulgação da situação da Prefeitura teve o intuito de atingi-lo, desqualificar a gestão 2013/2016 e tentar que ele seja condenado a ficar de fora da próxima disputa eleitoral.


O atual  prefeito de Recreio Jose Maria de Barros.

Na última terça-feira (3), o prefeito Zé Maria Barros expediu o decreto nº 001/2017 declarando estado anormal, caracterizado como situação de calamidade administrativa, financeira e de infraestrutura, diante do caos herdado da gestão do ex-prefeito Ônio Fialho.

Segundo o prefeito, “o caos administrativo é justificado pela falta de transmissão do cargo; por atos de recusa no fornecimento de informações nos trabalhos de transição de governo; por não conhecer a real situação financeira do Município, inclusive, quanto à existência de déficit nas contas da Prefeitura no dia 1º de janeiro; devido ao sistema de arrecadação ter sido encontrado inoperante, impossibilitando a sua operação e o atendimento ao contribuinte; porque não houve transmissão das senhas de todos os programas governamentais, convênios, sistemas de controle e contas do Município, sistema de informática e correios eletrônicos; por ter sido deletado todos os arquivos da Prefeitura, fato que impede o acesso a informação de programas, contas e sistema de controle; e devido à desorganização do departamento de pessoal. Por considerar que existe a necessidade de trabalhos emergenciais referentes à organização administrativa da Prefeitura decretamos esta situação de calamidade, a fim de possibilitar minimamente o funcionamento dos serviços municipais”, concluiu.

A situação da Prefeitura ganhou repercussão em vários meios de comunicação da cidade, região e do Brasil. Diante da amplitude da notícia, o ex-prefeito resolveu criticar os veículos de comunicação, para Ônio existe uma “manobra midiática”. Ele disse que “essa imprensa não tem nem a dignidade de procurar a outra parte”.

Segundo o site Pólis, o ex-prefeito não é visto na cidade desde a última semana de governo e antes mesmo da renúncia, fato ocorrido às 22h, do dia 30 de dezembro de 2016, através de carta entregue por sua irmã, Vânia Fialho, ao ex-presidente da Câmara Municipal, Fabrísio Brito de Barros.


 
Fonte: Site Pólis em 7 de janeiro de 2017
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »