17/02/2017 às 10h43min - Atualizada em 17/02/2017 às 10h43min

Produtores rurais da Serra da Garapa adotam sistema de mutirão

12 produtores, já vem realizando em conjunto o corte de capineiras e confecção de silagem, diminuindo os custos com mão de obra.

Cimar Onofre Barbosa(*)
O mutirão na Serra da Garapa
Um grupo de produtores rurais da Serra da Garapa, próximo ao Distrito de Providência, vem resgatando uma antiga e tradicional prática que é o mutirão agrícola.  Este sistema de cooperação coletiva já foi comum em várias regiões do estado, inclusive no município de Leopoldina há algumas décadas, principalmente no cultivo de lavouras de arroz, milho e feijão. Geralmente, a colheita destes cereais eram realizadas através deste sistema de mutirão.
 
A nossa região vem enfrentando um processo contínuo de êxodo rural, com consequência no esvaziamento do campo. Com este fator, os produtores rurais vem enfrentando sérias dificuldades com mão de obra para executar as atividades agropecuárias em suas propriedades, tais como: plantio, colheita, produção de silagem, entre outras.
 
Para amenizar este problema e baixar os custos de produção da atividade leiteira, este grupo de produtores da região da Serra da Garapa vem realizando esta prática do sistema de mutirão utilizando a estratégia do trabalho coletivo, onde os integrantes desenvolvem estes trabalhos nas propriedades uns dos outros.
 
Segundo um dos participantes, Ricardo Junqueira, proprietário do Sítio Saudade, a iniciativa de realizar o mutirão, que atualmente é formado por 12 produtores, já vem sendo realizado conjuntamente para corte de capineiras e confecção de silagem, diminuindo os custos com mão de obra, pois o proprietário arca apenas com a alimentação dos integrantes durante as operações em sua propriedade.
 
A EMATER-MG estará divulgando este trabalho no município, objetivando que outros grupos passem a adotar esta prática, que certamente contribuirá na incrementação das explorações agropecuárias dos produtores de leite, com maior agilização, diminuição do custo e consequentemente aumentando a renda familiar.
 
A Secretaria Municipal de Agricultura poderá entrar como parceira neste trabalho, disponibilizando maquinário e equipamentos nas operações de aração, distribuição de corretivos, colheita e preparo de silagens.
 
(*) Extensionista da EMATER-MG em Leopoldina.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »