03/10/2017 às 18h01min - Atualizada em 03/10/2017 às 18h01min

Minas terá chuva acima da média no período chuvoso

As temperaturas também ficarão dentro ou abaixo da média em todas as regiões mineiras

Rafaela Mansur
O tempo
As pancadas de chuva que atingiram Belo Horizonte e regiao metropolitana na noite dessa segunda - feira (2) ainda trazem transtornos para a populacao nesta terca ( 3 ) . Parte do muro do Hospital da Policia Militar caiu na rua Pacifico Mascarenhas no bair

Minas Gerais deve ter chuva acima da média na maior parte do Estado neste período chuvoso, que começou no dia 1º de outubro e termina no fim de março, de acordo com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). As temperaturas também ficarão dentro ou abaixo da média em todas as regiões mineiras.

Segundo a Cemig, o início do período chuvoso, em outubro, terá chuvas ligeiramente abaixo da média, mas as precipitações serão mais intensas e volumosas ao longo dos próximos meses. As chuvas devem ficar acima da média histórica em quase todo o Estado, exceto nas regiões Central, Centro-Oeste e do Rio Doce, onde a média deve ser mantida.

"A média varia. Em dezembro e janeiro, aqui na região Central, é em torno de 300 mm. Se for mais para o Triângulo ou Sul do Estado, é de 350 mm até 400 mm. Ao passo que, ao Norte, é bem mais abaixo, em torno de 150, 200 mm por mês, mais ou menos", afirmou o meteorologista da Cemig, Arthur Chaves.

Conforme o meteorologista, o fenômeno da La Niña vai provocar impactos no Sudeste do país a partir de novembro, provocando queda nas temperaturas. Em Minas, várias regiões terão temperaturas abaixo da média, como Sul, Triângulo e Zona da Mata.

As tempestades, como as que ocorreram no início da tarde desta segunda-feira (02) em Belo Horizonte, são comuns no início da estação chuvosa, de acordo com Chaves, mas devem se tornar mais raras ao longo dos próximos meses. "Em outubro e, em alguns momentos, novembro, temos a tendência de ter temperaturas elevadas, começa a haver umidade, frente fria, que podem produzir tempestades. A nossa expectativa é que, ao contrário dos últimos dias, a partir de quinta-feira (05), principalmente, a quantidade de chuvas e tempestades no Estado diminua, pelo menos até a próxima semana", explicou o meteorologista.

Segundo ele, a partir da próxima semana, a tendência é de pancadas de chuvas mais leves. Na penúltima e última semanas de outubro, há expectativa de volumes maiores de chuva.

Investimentos. A Cemig informou que investiu R$ 204 milhões na melhoria e manutenção da rede de distribuição e no atendimento aos consumidores, com o objetivo de minimizar os impactos provocados pela chuva sobre o sistema elétrico.

A empresa informou que trabalha, basicamente, com três frentes: investimento no sistema elétrico, com construção de linhas, subestações e redes; reforço nas equipes de atendimento, centro de operação e campo para atender à demanda maior no período e manutenção preventiva, que consiste na inspeção de redes e poda de árvores, por exemplo.

"Falar que a cidade está preparada é uma coisa difícil, porque a gente não sabe a intensidade da chuva. Mesmo a gente tomando todas as ações, a gente não consegue eliminar tudo, porque a gente olha as nossas redes, mas pode ter, por exemplo, um telhado metálico que cai sobre a rede e que não tem condições de ser previsto, ou uma árvore de grande porte que, mesmo estando longe da rede elétrica, quando cai chega a interferir e afetar a rede", afirmou o gerente de relacionamento comercial da Cemig, Elieser Francisco Corrêa. "Mas, no nosso entendimento, tudo aquilo que podia ser feito de maneira previsível, já está pronto para que a gente possa enfrentar da melhor forma o período chuvoso", completou.

Segundo a Cemig, em caso de interrupção de energia, a espera do cliente pelo restabelecimento em dias críticos, de chuva severa, é de cinco horas, em média, o dobro que em dias normais.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »