09/12/2017 às 08h52min - Atualizada em 09/12/2017 às 08h52min

Presidente da Associação Médica de Leopoldina vai à Câmara e faz análise da saúde pública

Convite ao Dr. Celso Francisco Resende Vieira foi feito pelo vereador, também médico Dr. José Ferraz Rodrigues

Dr. Celso Fransico Resende Vieira, Presidente da Associação Médica de Leopoldina
Em conformidade com o Requerimento nº 54/2017, de autoria de José Ferraz Rodrigues, os vereadores receberam a visita do médico Dr. Celso Francisco Resende Vieira, atual Presidente da Associação Médica de Leopoldina. O encontro aconteceu na sessão ordinária realizada no dia 05 de dezembro e o convidado explanou sobre o atendimento da especialidade médica de ortopedia em Leopoldina, além de fazer uma análise da atual situação da saúde pública.

Inicialmente, o médico comentou que, após a Constituição de 1988, a saúde está sendo levada a um segundo plano. Ele justificou sua afirmativa ao salientar que os médicos são pagos pela tabela SUS, a qual não sofre reajuste há 16 anos, causando, assim, desmotivação e a saída do sistema.

Dr. Celso Vieira questionou as políticas do Governo Federal, considerando como populistas algumas medidas adotadas, como o Programa Mais Médicos, que não apresentou nenhuma melhoria nos índices de saúde nos últimos anos. Ele também enumerou como motivos causadores da desmotivação a falta de estrutura, a não remuneração e a judicialização da saúde.

O Presidente da Associação Médica de Leopoldina enfatizou que o Governo Federal está devendo às santas casas e que somente o Governo de Minas deve R$250 milhões, o que fragiliza qualquer estrutura, causando, por consequência, o fechamento de leitos, paralisação da hemodiálise e a suspensão das cirurgias eletivas. Segundo ele, a previsão não é animadora, visto que cerca de 15% das pessoas sairão dos planos de saúde e terão que ser absorvidas pelo sistema público. O médico frisou que, se o Governo Federal não paga a conta, a responsabilidade fica para os municípios.

O médico comentou sobre a situação em Leopoldina, explicando que o pronto-socorro do Hospital será sempre um problema, pois a demanda exige sempre um profissional especializado em cada área para prestar o atendimento de urgência. Segundo ele, atualmente, o pronto-socorro funciona com dois plantonistas, além dos profissionais que ficam de sobreaviso. O médico reconheceu que, diante das dificuldades, muito se faz, mas ressaltou que é preciso melhorar ainda mais.

Dr. Celso Vieira explicou como são feitos os atendimentos pelos ortopedistas no município, citando consultas através do CISUM, e concluiu afirmando que a demanda não é atendida em sua totalidade. Ele salientou que a estrutura de saúde municipal investiu no Programa de Saúde da Família, mas como a carência é muito grande, o profissional fica limitado a atender o básico.

O médico concluiu sua fala lembrando que haverá eleições no próximo ano e considera ser importante colocar a saúde num plano mais elevado, sem ser populista. Ele se colocou à disposição para ajudar a resolver essa situação e encerrou agradecendo a oportunidade de participar da reunião. Em seguida, os vereadores fizeram considerações e questionamentos que foram plenamente respondidos pelo convidado. 


Vereador Dr. José Ferraz Rodrigues foi o autor do convite.


(Fonte> Câmara Municipal de Leopoldina)
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »