24/02/2018 às 12h59min - Atualizada em 24/02/2018 às 12h59min

Regional de Saúde de Leopoldina tem 77,18% de cobertura vacinal contra a febre amarela, diz jornal

Cinco regionais vizinhas de estados que também têm circulação do vírus são as áreas que mais preocupam as autoridades sanitárias

Enquanto BH se aproxima da meta de 95% de imunização, mais de um terço das cidades mineiras não alcançaram 80% (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Matéria publicada no jornal Estado de Minas neste sábado, 24 de fevereiro, com as assinaturas dos jornalistas Guilherme Paranaiba e João Henrique do Vale informa que diante do segundo grande surto de febre amarela enfrentado por Minas Gerais, doença que já matou pelo menos 86 pessoas apenas em território mineiro, a distribuição dos percentuais de vacinação pelas regionais de saúde traz à tona uma preocupação a mais.

Enquanto a Secretaria de Estado de Saúde (SES) persegue desde o ano passado um índice de 95% de imunização – os números atuais apontam cobertura vacinal de 84%, se considerado o estado como um todo –, cinco das 10 regionais mineiras com menores índices estão em regiões limítrofes com os estados de São Paulo e Rio de Janeiro (veja mapa).

Os dois vizinhos, ao lado de Minas, concentram os casos confirmados e mortes pela virose no país. Segundo o Ministério da Saúde, além dos três do Sudeste, apenas o Distrito Federal tem confirmação de caso humano, com uma morte já atestada pelas autoridades locais.

O estado de Minas Gerais é dividido em 28 unidades regionais de saúde, que englobam os 853 municípios. Entre todas, a de Pouso Alegre, no Sul de Minas, na divisa com São Paulo e responsável por uma população de 894 mil pessoas em 55 cidades, tem a cobertura vacinal mais baixa, de 71,49%, bem distante da meta de 95% dos moradores protegidos. A unidade de Passos fica em sexto lugar e concentra 24 cidades das regiões Sul e Centro-Oeste, totalizando 393 mil pessoas.
 
Saiba as regiões onde há maior risco de contrair febre amarela em Minas



 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »