11/04/2018 às 10h30min - Atualizada em 11/04/2018 às 10h30min

Folha de São Paulo e Rádio CBN entrevistam pesquisador leopoldinense sobre Trem Turístico Minas-Rio.

O pesquisador e historiador Plínio Alvim comentou que o projeto ajuda a relembrar a história ferroviária, mas ressaltou que ainda falta estrutura para receber os turistas.

 O jornal Folha de São Paulo publicou em sua edição impressa do dia 29 de março e também na versão online uma matéria sobre o trem turístico que vai ligar os Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. A reportagem é de autoria da jornalista Carolina Muniz, que abordou detalhes sobre o passeio de 168 quilômetros, passando pelos municípios fluminenses de Três Rios e Sapucaia e os mineiros de Cataguases, Leopoldina, Recreio, Volta Grande, Chiador e Além Paraíba.

Foi entrevistado o pesquisador leopoldinense Plínio Alvim, radicado em Além Paraíba, que falou da importância que o trem teve para a economia da região no transporte de café, que até então, era carregado no lombo de burros até a baía de Guanabara. Em 1874 entrou em operação a estrada de ferro Leopoldina, cuja linha alcançou o município de Cataguases três anos mais tarde. Plínio também foi entrevistado pela Rádio CBN de Juiz de Fora, abordando o mesmo assunto, sendo veiculada a matéria na manhã desta quarta-feira, 11 de abril.

A inauguração do 'Trem Turístico' está prevista para o segundo semestre deste ano. Os passeios serão realizados às sextas, sábados, domingos e feriados com início na parte da manhã. As duas locomotivas, que estão recebendo pequenos ajustes nesta fase final do projeto, terão 15 vagões com capacidade para 860 passageiros. Uma sairá de Três Rios e, a outra, de Cataguases. O município de Além Paraíba será o ponto de encontro entre as duas locomotivas, onde os turistas terão a opção trocar de trem para retornar ao ponto de partida, fazendo uma viagem mais curta, ou então, seguir o trajeto completo, cuja duração é de seis horas.

O Trem Turístico passará em cinco estações de Leopoldina, cortando os distritos de Ribeiro Junqueira, Abaiba, São Martinho, Providência e Vista Alegre, cujo distrito pertence ao município de Cataguases, no entanto, sua estação de trem fica localizada antes da ponte, no território de Leopoldina.

Os preços das passagens ainda não foram divulgados pela Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Amigos do Trem, administradora do projeto. O Trem Turístico Minas-Rio ou Rio-Minas conta com o apoio das prefeituras e iniciativa privada da região, além da concessionária da ferrovia Centro Atlântica e órgãos do Governo do Brasil ligados ao transporte ferroviário.

Em declaração ao jornal Folha de São Paulo, o pesquisador e historiador Plínio Alvim comentou que o projeto ajuda a relembrar a história ferroviária, mas ressaltou que ainda falta estrutura para receber os turistas.


Nove vagões estão sendo preparados para transportar até 850 passageiros por dia(ONG Amigos do Trem-Divulgação)

Um dos vagões do trem que vai ligar Minas ao Rio (Divulgação-Amigos do Trem)

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »