11/09/2018 às 14h42min - Atualizada em 11/09/2018 às 14h42min

Pérola Negra ganha prêmio no XIV Festival Internacional de Dança de Cabo Frio

Grupo também participou do Festival Amadança Premium Brasil de Juiz de Fora onde também obteve premiações.

Por Amaury da Silva Santos
O XIV Festival  Internacional de Dança de Cabo Frio aconteceu entre os dias 06 a 09 de setembro na cidade de Cabo Frio, Estado do Rio de Janeiro. O Grupo Pérola Negra, projeto social em pleno funcionamento na Escola Municipal Judith Lintz Guedes Machado, de Leopoldina (MG), através de seus dançarinos, participou e com isso acumulou mais experiências e premiações.
 
A decisão de incluir o projeto em mostras competitivas no ano de 2018, foi tomada pela coordenação em março, tão logo iniciou as atividades. O planejamento da equipe, envolvia a preparação dos meninos e meninas para participar de dois importantes festivais de dança no Brasil: AMADANÇA PREMIUM BRASIL (Juiz de Fora - MG) que aconteceu nos dias 29, 30/06 e 01/07 no Cine Teatro Central de JF e o XIV Festival Internacional de Dança de Cabo Frio, que aconteceu no período de 06 a 09 de setembro na Associação Atlética Cabofriense.
 
No Festival AMADANÇA PREMIUM BRASIL de Juiz de Fora, o grupo teve as seguintes premiações: Solo estilo livre: troféu 2º lugar – Kersyla Lima de Freitas, Solo estilo livre: troféu 3º lugar – Maria Clara Guimarães Lima Gregório e na modalidade conjunto juvenil – troféu de 3º Lugar para Danilo Rafael Malaquias Casemiro, Romário Severo Lima Silva, Erick Lima Rocha, Luan Santiago Ribeiro, Juliany Elias Teles, Luiz Carlos Augusto Filho e Gisele da Silva Fernandes.
 
No último final de semana, em pleno feriadão da Independência, a galera foi representar Leopoldina-MG no Festival de Cabo Frio e para surpresa de todos, retornaram com premiação de terceiro lugar, solo infantil e conjunto no estilo livre.
 
Tudo foi muito bem estudado e planejado. Os integrantes do Pérola Negra além de terem sido apoiados pela coreografa do projeto Gisele Teles, receberam reforço dos ex-bailarinos da CIA IMPACTO URBANO, Coreógrafa Pâmela Oliveira, Vitor Muniz e Ranaytan Teixeira, que realizaram oficinas e Workshops durante os meses que antecediam as competições. Como no momento não havia tempo de avaliar se os meninos e meninas do Pérola tinham ou não condições de competir, a estratégia foi, ‘vamos que vamos, ou outros irão em nosso lugar’.
 
Sendo assim, após todo trabalho de preparação concluído, fomos com a cara e coragem para Cabo Frio e retornamos com duas premiações de terceiro lugar: no infantil estilo livre o premiado foi Luan Santiago Ribeiro e no sênior estilo livre as premiadas foram: Ana Flavia Cardoso, Gabriela de Andrade, Poliana Rodrigues Santos, Maria Clara Guimarães, Marcela de Oliveira, Thaynara Flauzino de Oliveira e Kersyla Lima de Freitas.
      

    
Sobre o Festival  e participantes

O Festival Internacional de Dança faz parte do calendário anual de eventos de Cabo Frio e, nesta edição, contou com a participação de equipes de Goiás, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, além de 15 municípios do Estado do Rio de Janeiro. Competidores da Argentina, Moçambique e Guiné Bissau também marcaram presença.

O evento começou na quinta-feira (6) e teve cerca de 270 coreografias inscritas. Ao todo, 76 grupos apresentaram as coreografias com aproximadamente 600 bailarinos. O festival é organizado pela escola de Ballet Márcia Sampaio com apoio da Prefeitura de Cabo Frio.  As apresentações foram abertas ao público, com venda de ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). O festival aconteceu na Associação Atlética Cabofriense, que está localizada na Rua 13 de Novembro, no Centro.

O Projeto Pérola Negra da Escola Municipal “Judith Lintz Guedes Machado”, participou da mostra competitiva em um dos principais destaques do festival, sexta-feira (7) às 15h, reunindo dançarinos de modalidades como clássico de repertório, ballet clássico, estilo livre, dança contemporânea, danças populares, danças urbanas, dança de salão e jazz. As competições seguiram até o domingo (9) e foram divididas em apresentações solo, dupla, trio e conjunto, nas categorias infantil (9 a 11 anos), juvenil (12 a 14 anos), sênior (15 a 17 anos) e avançado (18 a 26 anos).

A premiação foi em troféu, em dinheiro (de R$ 300 a R$ 1 mil), certificado para todos os participantes e duas semanas de aula com o corpo do Theatro Municipal do Rio de Janeiro para o melhor bailarino e melhor bailarina.
 
              
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »