03/01/2020 às 16h54min - Atualizada em 03/01/2020 às 16h54min

Leopoldina fecha 2019 com o excelente índice pluviométrico de 1.326,30 mm

Medição compreendeu o período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2019 e levou em conta apenas o pluviômetro instalado na Chácara do Desengano S/A

Luiz Otávio Meneghite
Nuvens carregadas prenunciando chuva em Leopoldina
A Chácara do Desengano S/A, localizada na Rua Dr. Custódio Junqueira, no centro de Leopoldina, mantém em sua sede um pluviômetro, aparelho de meteorologia usado para recolher e medir, em milímetros lineares, a quantidade de chuva precipitada durante um determinado tempo. A pedido do Jornal Leopoldinense a empresa divulgou o índice pluviométrico do ano de 2019 registrado até o dia 31 de dezembro em Leopoldina.

O pluviômetro computou chuva em 96 dias do ano sendo que o único mês em que não choveu foi julho e o que choveu mais em 2019 foi fevereiro com queda de 289,10mm durante 15 dias. Neste final de ano, as chuvas começaram a se acentuar em novembro com a queda de 226,30mm durante 19 dias. Segundo o gráfico ao qual o Jornal Leopoldinense teve acesso  a média diária de chuva em 2019 foi de 13,82mm e a média mensal foi de 120,57 totalizando até 31 de dezembro 1.326,30mm.

Nos 31 dias de dezembro o índice registrado foi de 280,60, sendo que em somente um dia, 1º de dezembro, o pluviômetro registrou  70,20mm como mostra o gráfico enviado pelo diretor da Chácara do Desengano S/A Paulo Cruz Martins Junqueira (clique aqui para ver).

Paulo fez questão de lembrar que “nos registros apurados há de se considerar que o pluviômetro está instalado apenas em um local e que o município de Leopoldina tem uma área total de 943,7 km², sendo considerado um dos maiores territórios de Minas Gerais e, por isso, há situações em que em determinadas áreas chove mais do que em outras”. Paulo Junqueira disse ao Jornal Leopoldinense que tem recebido informações de que “em outros pontos do município o índice teria superado a marca de 1.500,00mm”. Ele finalizou dizendo que “no geral, apesar da seca que tivemos, chegamos perto de um bom índice de chuvas, cuja expectativa é permanecer nos primeiros meses do ano, pelo menos em janeiro e fevereiro”.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »