14/03/2020 às 19h43min - Atualizada em 14/03/2020 às 19h43min

Natação leopoldinense firma parceria com Clube do Remo de Cataguases

Parte dos atletas que foram ao primeiro treino conjunto das equipes.
No ano em que comemora seu vigésimo aniversário e o retorno de seu treinador original, a equipe tubarão anuncia uma nova parceria que promete a fortalecer para vencer todas as competições da temporada. O professor Hudson Rodrigues de Jesus, que reiniciou os treinamentos da equipe na ultima semana, nos conta tudo sobre essa parceria inédita.


Treinadores junto da presidente do Remo Sra. Adriane Amorim


JL: Professor, do que se trata a parceria com o Clube do Remo, qual a sua necessidade e importância para a natação leopoldinense?

HRJ:  A natação é um esporte altamente organizado e possui vários eventos durante uma temporada. Eventos organizados por diferentes entidades e com formatos que agradam mais a uma ou outra equipe. Nossa atual realidade econômica inviabiliza a participação em todos os eventos, que chegam a quinze num único ano. Dessa forma a parceria vai finalmente consolidar um objetivo que compartilhamos há muito tempo: a junção das equipes de Leopoldina e Cataguases para disputar e vencer as mais variadas competições.

JL: Essa junção nos faz lembrar da União Aquática do inicio dessa década. Quais as semelhanças e diferenças?

HRJ:  Muito bem lembrado. A União Aquática foi um projeto que criamos em 2011 e se desenvolveu até 2013, ano em que vencemos o Festival Sudeste pela primeira vez. A parceria com o Clube do Remo é parecida, mas a diferença é que a UA nadava toda a temporada com esse nome, sobrepondo ao nome original das equipes de Leopoldina, Ubá e Astolfo Dutra. Nessa temporada os atletas nadarão todas as etapas da Copa Minas Gerais sob as cores e a bandeira do Clube do Remo. Em contrapartida, todos nadarão o Festival Sudeste e outras duas competições sob as cores e o nome da Equipe Tubarão da Sociedade Olímpica Leopoldinense.

JL: Como foi estabelecida essa divisão?

HRJ: Como eu disse antes, existem modelos diferentes de competição e esses agradam mais a uma ou outra equipe. Após conversar muito com os ‘tubarões’, ficou evidenciado que nossa equipe prefere disputar os troféus, competições de um final de semana, do que Copas, que se arrastam em várias etapas por todo o ano. E são bem mais dispendiosas que os troféus. Já o Clube do Remo é especialista em Copas e é o atual campeão da Copa Minas Gerais. Mas é importante dizer que os atletas gostam mesmo é de competir e se dependesse deles, competiriam todo final de semana. Porém, a realidade econômica obriga aos clubes definirem de forma racional do que participar. Assim sendo, o Remo se fortalece ainda mais conosco nas competições de seu interesse e o mesmo fazemos nós.

JL: Então Leopoldina não perderá sua representatividade?

HRJ: Não, de forma alguma. Traçamos como prioridade disputar o Festival Sudeste em Vitória-ES. Competição interestadual que envolve os estados da região sudeste do Brasil e já vencemos por cinco oportunidades. Temos ainda interesse em disputarmos outros dois troféus durante o ano e também realizarmos um aqui em Leopoldina. E nessas quatro competições, os atletas do Remo irão nadar com nossas cores por nossa equipe e nossa cidade. A equipe Tubarão continua firme e forte em seu propósito. E agora mais forte ainda com essa parceria.

JL:  A Equipe Tubarão tem se destacado em nossas paginas esportivas há duas décadas. Já nadou com vários nomes, mas sempre trazendo troféus e orgulho  para nossa cidade. Você não teme perder um pouco da identidade com essa parceria?

HRJ:  Não, isso não acontecerá. Simplificando a parceria, nós vamos emprestar nossos tubarões para o Clube do Remo e ele vai nos emprestar suas feras. Como as duas equipes não disputarão as mesmas competições, a idéia é ganhar tudo. Durante os últimos 20 anos, a Equipe Tubarão já competiu com o nome da Acquademia (onde nasceu), da União Aquática, do Clube do Moinho e agora da Sociedade Olímpica Leopoldinense, sempre mantendo nosso mascote e o DNA vencedor.

JL: Professor, como é o processo de seleção para os jovens que querem participar da Equipe Tubarão?

HRJ: Originalmente os atletas vinham da escola de natação Acquademia. Depois surgiram interessados de outras escolas e clubes. Nos últimos três anos, além dessas origens, criamos o Projeto Novos Tubarões  que atendeu centenas de crianças oriundas da rede publica de ensino. Para essa temporada, a proposta é realizar clínicas e peneiras para detectar e convidar novos talentos para a natação leopoldinense. Esse será o novo formato do Projeto Novos Tubarões. Em breve irei divulgar as datas de realização para os interessados.

JL: Falando de dinheiro, em média qual é o custo de um atleta nas competições? Por que o Clube do Remo tem condições de financiar tais custos e a Sociedade Olímpica, não?

HRJ: O custo médio de um atleta em competições regionais é de cento e cinqüenta reais. Isso inclui inscrições nas provas, transporte e alimentação. Competições como o Sudeste na capital capixaba tem valor mais elevado. O Clube do Remo arca com a maior parte desses custos, por ter uma diretoria voltada para o esporte, ser o esporte uma tradição e uma rotina para seus associados e por ter empresas locais que patrocinam a equipe. Por isso é campeão da maior competição de natação de Minas Gerais.

JL: E a Equipe Tubarão, tem patrocinadores ou algo parecido com o que o Remo possui?

HRJ:  De parecido temos o nosso propósito em desenvolver o esporte, além do grande apoio e entusiasmo dos familiares de nossos atletas. Não temos grandes patrocínios, mas sempre tivemos algum apoio, ainda que não fosse o suficiente para suprir todas as necessidades dos atletas, foram sempre muito úteis.  Aliás, aqui criamos um modelo de patrocínio que cabe no bolso de qualquer empresário local. É o patrocínio individual, onde uma empresa ou duas apóiam um atleta durante toda a temporada. Então aproveito para pedir aos empresários locais, uma força para nossos nadadores que já estarão buscando seu apoio nesse mês. É baratinho e faz toda a diferença na vida desses jovens.
 
JL: Professor, fale-nos mais de seu retorno à frente da equipe e se há mais alguma novidade para essa temporada.

HRJ: Ano passado me ausentei dos treinamentos da equipe principal e fiquei apenas fazendo a adaptação dos novos tubarões, sobretudo no primeiro semestre. Precisei me ausentar para acompanhar minha filha em um processo seletivo, mas com a sua aprovação tenho novamente todo o tempo e entusiasmo para reassumir os treinamentos. Quanto a novidades, estamos pensando em formas de comemoração desses 20 anos de braçadas e conquistas e maneiras mais atrativas de recrutamento e descoberta de talentos. Aproveito para convidar meninas e meninos com idades entre 11 e 16 anos, que já saibam nadar e querem competir, a ficarem atentos, pois em breve serão chamados em suas escolas para as clinicas (cursos relâmpagos) e peneiras para participar conosco nesse ano tão simbólico para a natação leopoldinense.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »