18/06/2020 às 09h16min - Atualizada em 18/06/2020 às 09h16min

Leitora sugere medidas preventivas contra a COVID-19 em Leopoldina

Leopoldinense, atualmente morando em Viçosa, professora contribui com idéias e sugestões para serem adotadas na cidade no combate ao Covid 19

Edição> Luiz Otávio Meneghite
É muito grande a circulação de pessoas, principalmente no centro de Leopoldina (Foto: Luciano Baía Meneghite)
A leitora do Jornal Leopoldinense, Aparecida de Araújo Oliveira, atualmente morando na cidade de Viçosa, onde é professora, contribui com idéias e sugestões para  serem adotadas na cidade de Leopoldina no combate ao Covid 19.
 
Diz ela em sua mensagem enviada à Redação: “Através da cobertura dada pelo Leopoldinense, acompanho com grande pavor a escalada da COVID-19 em minha querida terra natal. Resido e trabalho em Viçosa há vários anos. Por essa razão, acompanho as notícias de ambas as cidades. Que pena saber que, embora os números de pessoas afetadas fossem bastante parecidos no início da pandemia, hoje Leopoldina tem cerca de 3,5 vezes a quantidade de pessoas contaminadas em Viçosa, mesmo que a presença da UFV venha permitindo muitos testes na população. Algumas medidas de custo zero foram tomadas aqui, que contribuíram para auxiliar na logística da circulação de pessoas pelas ruas da cidade e eu gostaria de compartilhá-las no seu Jornal, uma vez que, ao conversar com amigos e parentes, soube que a movimentação de pessoas aí segue outros padrões. Uma dessas medidas foi a instituição de um interessante calendário que controla a ida ao comércio, com base no último dígito do CPF. Dessa forma, cada pessoa tem dois dias da semana para realizar suas compras, sempre apresentando um documento com foto. Uma segunda medida, que me chamou a atenção pela simplicidade, foi o estabelecimento de mão e contramão nas calçadas do centro: uma calçada para ir, e outra, do outro lado da rua, para voltar. Assim, teoricamente, menos pessoas se encontram face a face. Obviamente, orientação e fiscalização são essenciais. Minha modesta iniciativa não pressupõe qualquer tipo de crítica ou arrogância. E parte da crença de que pequenas medidas ajudem muito nas grandes mudanças e, ainda, da premissa de que boas ideias devam ser compartilhadas. Finalmente, porque acredito estar contribuindo para o bem-estar das pessoas na minha cidade. Agradeço pela sua atenção. Cordialmente, Cida Araújo, Professora Associada Universidade Federal de Viçosa”, encerra.
 
Cumprindo o seu papel de informar e contribuir para o bem estar da população de Leopoldina, o Jornal Leopoldinense traz a público a idéia/sugestão acima para ser avaliada pelas autoridades e, quem sabe, ser adotada em nossa cidade.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »