06/08/2020 às 18h36min - Atualizada em 06/08/2020 às 19h54min

Polícia Civil desarticula quadrilha suspeita de roubar cargas de cigarros em três estados

Por ASCOM-PCMG
A Polícia Civil de Minas Gerais desarticulou uma quadrilha especializada em roubos a veículos de carga de cigarros, sobretudo, de uma empresa do ramo, na Zona da Mata mineira. O grupo também é suspeito de atuar em outros dois estados, entre eles, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Após investigações, nesta semana, foram deflagradas etapas da operação “Sevilha”, no Rio, que resultaram no cumprimento de mandados de prisão em desfavor de dois homens, 34 e 36 anos, suspeitos de serem líderes do grupo. Também foram apreendidos R$36 mil, veículos, armas de fogo, carregador de pistola e outros objetos.
 

Na quarta-feira (05), uma ação foi realizada em Nova Friburgo, com apoio do Serviço Reservado do 11º Batalhão de Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (11º BPMERJ), e resultou na prisão do homem mais velho. Durantes as diligências, foi apreendido com o investigado um revólver, calibre 38, com numeração raspada. Apurações indicaram que há seis mandados de prisão em aberto em desfavor do indivíduo. Já no último fim de semana, a PCMG – com apoio do 11º BPMERJ e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) – cumpriu mandados de busca apreensão e de prisão na mesma cidade e no município de Rio Bonito. Durante a manobra, foi preso o outro investigado.


As etapas da operação foram desencadeadas pela Delegacia de Furtos e Roubos de Leopoldina, em ação conjunta com a 28ª Delegacia de Polícia de Além Paraíba, com apoio da 27ª Delegacia de Polícia de Cataguases, da Agência de Inteligência Policial da Delegacia Regional de Leopoldina, da PMERJ, da Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCERJ) e da PRF.

De acordo com o Chefe do 4º Departamento, Delegado-Geral Gustavo Adélio Lara Ferreira, dados revelados por uma das empresas vítimas da prática criminosa, a Souza Cruz, indicam que a quadrilha atua há mais de 16 anos contra a Companhia, em pelo menos três estados, entre eles, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Segundo a empresa, somente nos últimos dois anos, estima-se que a organização teria sido responsável por 45 roubos, quando foram levados cerca de 13 milhões de cigarros, totalizando um prejuízo superior a R$ 4 milhões. “Portanto, parabenizamos as equipes de Leopoldina, Além Paraíba e Cataguases que fizeram um excelente trabalho”, ressaltou a autoridade policial.


Apurações

Durante coletiva, o Delegado Márcio Rocha Vianna Dias explicou que investigações apontaram que o grupo vinha atuando há anos nos três estados. A autoridade policial também comentou sobre a complexidade das apurações, mas que resultaram na prisão dos suspeitos. “Eles trocavam de casa, cidade, telefone e carro, a cada 15 e 20 dias, por isso, tínhamos que iniciar uma nova investigação para acompanhar os suspeitos”, ressaltou, complementando que, apesar dessa atuação do grupo, foi possível deflagrar etapas da operação e prender os investigados.


Conforme o Delegado Marcos Vignolo Alves, a primeira etapa da investigação foi concluída com êxito. “Conseguimos desarticular o braço armado dessa quadrilha, que já atuava há bastante tempo, e que causou um prejuízo estimado de R$4 milhões para empresa do ramo de cigarro. Vamos dar continuidade às investigações para identificar mais elementos vinculados à quadrilha e, principalmente, os receptadores das cargas, que foram subtraídas e são facilmente diluídas no mercado negro”, disse, destacando que as ações foram possíveis, em virtude do apoio incondicional do Poder Judiciário e do Ministério Público, que acompanharam as investigações, bem como de outras forças policiais, entre elas, a PRF, a Polícia Militar de Nova Friburgo e a Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Ações para cumprimento de mandados no RJ

Ainda durante entrevista, o Delegado Diego Mattos de Vilhena também falou sobre as ações desencadeadas no Rio de Janeiro. Após levantamentos, entre terça (04) e madrugada de quarta-feira (05), na cidade de Nova Friburgo, a Polícia Civil de Minas Gerais prendeu o suspeito de 35 anos e apreendeu uma arma. No último fim de semana, na cidade de Rio Bonito, ele havia empreendido fuga, alcançando uma região de mata nos fundos da propriedade dele, quando policiais civis, com apoio da PRF, deflagraram operação para cumprir mandado de busca e apreensão no local. No entanto, na propriedade rural do homem, avaliada em mais de R$ 1 milhão, foram localizados arma de fogo, veículo, documento falso, bem como outros materiais.


Ainda no último fim de semana, com apoio do Serviço Reservado do 11º Batalhão da PMERJ, também foi dado cumprimento ao mandado de prisão expedido em desfavor do outro suspeito, no município de Nova Friburgo. Na ocasião, os policiais civis apreenderam a quantia de dinheiro e um veículo importado, avaliado em cerca de R$ 100 mil, que seriam proventos dos crimes investigados, além de outros objetos.


Segundo o Delegado Regional de Leopoldina, Mauro Ricardo Guimarães Pinho, as investigações prosseguem na área da 3ª Delegacia Regional de Leopoldina.


Operação Sevilha

O nome da operação “Sevilha” faz alusão à origem do cigarro.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »