05/01/2021 às 19h37min - Atualizada em 05/01/2021 às 19h37min

Casa de Caridade manifesta-se publicamente contrária a flexibilização da onda vermelha para amarela

Decisão de flexibilização é do Gestor Municipal da Saúde, ou seja, do Secretário Municipal da Saúde e do Prefeito Municipal após análise do quadro geral da cidade.

Vera Maria do Valle Pires, provedora da Casa de Caridade Leopoldinense(Foto arquivo CML)
A Casa de Caridade Leopoldinense em razão de noticias e opiniões de que esta instituição, referência no tratamento ao Covid-19 em nossa região teria se manifestado a favor da flexibilização da onda vermelha para a onda amarela em reunião do Comitê Gestor da Crise em nossa cidade, realizada na data de ontem, 04 de janeiro de 2021, sente-se no dever de esclarecer o que segue:
 
A COVID-19, doença causada pelo novo Coronavirus SARS-COV2, desde o final de 2019 vem acometendo de forma progressiva a população mundial. Dessa forma, inúmeros estudos e recomendações surgiram com intuito de conter/minimizar a alta transmissibilidade da doença. Nesse contexto, a Casa de Caridade Leopoldinense se tornou em nossa região referência para tratamento de paciente com COVID-19, e desde Março vem elaborando, de forma multidisciplinar, protocolos, fluxos e treinamentos, com base nas recomendações das autoridades de saúde, de modo a preparar seus colaboradores para o enfrentamento da pandemia da COVID-19.
 
Atualmente, observamos uma tendência mundial de segunda onda da doença, como reflexo do afrouxamento das medidas básicas de precaução (distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos) e ausência até o presente momento de imunização das pessoas.
 
Embora estejamos atentos e empreendendo muito esforços para melhorar o atendimento aos pacientes com suspeita de COVID-19 e com a doença, desde o inicio de dezembro de 2020 temos observado um crescimento exorbitante no número de atendimentos e no número de novos casos, informados pela Secretaria Municipal de Saúde, o que não nos permite opinar favoráveis a flexibilização da onda vermelha para amarela do Minas Consciente, primeiro porque a atual situação da pandemia em nossa cidade e região nos exige cautela, nossa UTI Covid teve sua capacidade total ocupada por alguns dias nesse ultimo mês, e também porque entendemos que a decisão de flexibilização é do Gestor Municipal da Saúde, ou seja, do Secretário Municipal da Saúde e do Prefeito Municipal após análise do quadro geral da cidade.
 
Nesse momento precisamos de apoio para continuarmos a ter êxito e capacidade de atender dignamente todos os que adoecerem com Covid-19  e outras doenças e não existe  outra maneira de demonstrar apoio a todos os profissionais de saúde, trabalhadores essenciais durante a pandemia,  do que lutar por condições de trabalho adequadas, prover equipamentos de segurança para todos, observar as recomendações de distanciamento e uso sistemático de máscaras e compreender que o momento exige mais cuidados e cautelas. O momento exige esforços de todas e todos.
 
Portanto, a Casa de Caridade Leopoldinense manifesta-se publicamente contrária a flexibilização da onda vermelha para amarela, entendendo, contudo, que esta importante decisão cabe aos Gestores Municipais da Saúde. Nós estaremos aqui, como sempre, lutando pela vida.
 
 
Atenciosamente,
 
Leopoldina, 05 de janeiro de 2021.
Vera Maria Valle Pires
Provedora
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »