02/05/2021 às 16h56min - Atualizada em 02/05/2021 às 16h56min

Comissão de moradores quer recuperar quadra da Unidos dos Pirineus para projetos sociais

Local está inativo desde 2015

Luciano Baía Meneghite
Há anos que a quadra da Sociedade Recreativa Carnavalesca Unidos dos Pirineus vem se deteriorando, se tornando um enorme elefante branco. Sua construção em terreno doado pelo Municipio em 1987 nunca foi totalmente concluida. A última vez em que o local foi utilizado foi no carnaval de 2015 e de lá pra cá ficou fechado e sem condições mínimas de funcionamento. Houve tentativas frustradas de se constituir uma diretoria. O mesmo ocorrendo com a Associação de Moradores do Pirineus e Maria Guimarães França. Devido ao agravamento da pandemia não foi possível a realização de eleição, mas uma comissão provisória está sendo constituída para dar início a recuperação da quadra.

Na manhã deste domingo, 02/05 os moradores Adriana Barbosa Severino, Angélica Rocha, Carlos Roberto Santiago, Dany Resende, Keilla da Cruz e Luciano Baía Meneghite realizaram uma nova vistoria no local. O vereador Carlos André, morador do bairro foi convidado e também esteve presente, se comprometendo em ajudar no que for possível.

Há a necessidade urgente de limpeza da quadra e seu entorno, pois o mato está tomando conta do local. Reformas dos sanitários e pintura também são ações primordiais.

A intenção é ocupar a quadra com ações sociais assim que for possível.  Aulas de artesanato, ginástica, capoeira, percussão, palestras, sessões de cinema entre outras ideias estão sendo discutidas. Não é intenção, nem há condições de realização de imediato de eventos noturnos como bailes e shows. A comissão pretende buscar a colaboração dos moradores, instituições de ensino, entidades e comerciantes do bairro e mesmo de outros locais de Leopoldina.  É até meio óbvio, mas lembramos Raul Seixas: “Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade”.


Um pouco da história

O bairro Pirineus sempre foi muito festeiro e sempre teve ligação forte com o carnaval. Os mais antigos citam os blocos organizados por Bastião Nogueira, Oswaldo Borges e festas organizadas por Manoel Andrade, Vitalino Duarte entre outros.

Em 1° de fevereiro de 1954, tendo à frente Ulisses Gomes de Oliveira “Licinho” foi fundada oficialmente a Sociedade Recreativa Carnavalesca Unidos dos Pirineus. De início surgiu como bloco no antigo “Sapezão” próximo à Praça do Chafariz, já rivalizando com o veterano Cutubas. Após um período ausente, no final da década de 70, uma nova geração de carnavalescos tendo à frente os primos Jorge Cego e José Geraldo Silvério “Zezé” retomaram o nome Unidos dos Pirineus que teve seu auge na década de 1980, tornando-se a maior escola de samba da região. Neste período, no bairro ainda existiu o bonito bloco Alegria dos Palhaços de D. Creusa Antunes.  

Já na década de 1990, o carnaval de rua de Leopoldina, por motivos diversos foi perdendo a força. Divergências internas novamente paralisaram a Unidos dos Pirineus que mesmo com a boa vontade de alguns não conseguiu reagir. Os carnavalescos do bairro, no entanto, se faziam presentes no bloco Dissidentes dos Pirineus, criado por Solange Yung e Zezé Baía Meneghite, na Acadêmicos de Leopoldina de Mestre Vitalino, no Tá em Cana, Bloco da Alegria de Penha e Dilson Ribeiro, Bloco do Chafariz da Tia Carminha, Bão Igual Bosta  e depois no Bloco dos Pirineus de Cida, Adriana & Cia. Após o Carnaval de 2009, o núcleo formado neste último bloco retomou à escola, que realizou seu último desfile em 2015. Após esse período, novamente ficou paralisada.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »