11/06/2021 às 17h27min - Atualizada em 11/06/2021 às 17h27min

Placa de sinalização que indica rotatória nem sempre é obedecida no Alto Pirineus

Local tornou-se rota de fuga para quem quer evitar o trânsito da Barão de Cotegipe para chegar ao centro da cidade.

Luiz Otávio Meneghite
Placa indica a existência da rotatória (Foto: Luciano Baía Meneghite)
Quem sobe a rua Professor Gustavo Monteiro de Castro ao seu final vai encontrar uma rotatória na Praça Alípio Assunção, popularmente conhecida como Praça do Chafariz. A uns 30 metros antes de chegar na praça foi instalada uma sinalização vertical que indica a existência da rotatória, que apesar de ser um importante instrumento viário não é obedecida por muitos condutores, sejam eles motoristas ou motociclistas, muitos deles profissionais, seja por desconhecimento da lei ou por esperteza que pode se transformar em tragédia.

Digo isso, na condição de usuário da Rua Joaquim Furtado de Menezes e, precavidamente, já sinalizo bem antes de chegar à confluência, para subir ou descer e quase todas as vezes dou de cara com algum veículo dobrando à esquerda ao fim da Professor Gustavo Monteiro de Castro, sem cumprir a obrigação de contornar a rotatória. Alguns desses veículos são conduzidos, ou deveriam ser conduzidos por profissionais inteirados das regras estabelecidas no Código de Trânsito Brasileiro.

A rotatória ali instalada tem o objetivo de direcionar o trânsito que se tornou intenso após ser descoberto que a Professor Gustavo Monteiro de Castro e a Cipriano Pereira Baia são duas importantes vias de fuga do trânsito do centro da cidade. É mais fácil chegar ao centro por ali do que passando pela Barão de Cotegipe.

Infelizmente, muitos motoristas e motociclistas ainda têm dúvidas sobre as regras de circulação nas rotatórias e se confundem quanto à preferência de passagem e convergem direto na Rua Joaquim Furtado de Menezes (Rua do Canadá) sem passar pela rotatória, o que é errado. Quem pretender acessar a Rua do Canadá terá que circundar a rotatória e convergir à direita.  Quem for na direção do Polivalente circunda a rotatória e segue pela Rua General Olímpio Mourão Filho. É o que diz a legislação de trânsito.


Sinalização vista de outro ângulo (Foto: Luciano Baía Meneghite)


O que diz a lei?
 
O Código de Trânsito Brasileiro é claro e diz que o motorista obedecerá às seguintes normas nas vias terrestres abertas à circulação:

I – a circulação far-se-á pelo lado direito da via, admitindo-se as exceções devidamente sinalizadas;

II – o condutor deverá guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu e os demais veículos, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade e as condições do local, da circulação, do veículo e as condições climáticas;

III – quando veículos, transitando por fluxos que se cruzem, se aproximarem de local não sinalizado, terá preferência de passagem:
  1. a) no caso de apenas um fluxo ser proveniente de rodovia, aquele que estiver circulando por ela;
  2. b) no caso de rotatória, aquele que estiver circulando por ela;
  3. c) nos demais casos, o que vier pela direita do condutor;
Portanto, aquele que estiver circulando pela rotatória tem a preferência. Entende-se, então, que o veículo que entrar primeiro na rotatória ganha a preferência; os demais devem aguardar.

Além disso, se você estiver dentro da rotatória permaneça na mesma faixa, você não deve trocar de faixa uma vez que vai atrapalhar a passagem de outro carro.

É muito importante lembrar que a placa “Dê a preferência” orienta que você não tem a preferência de passar não só em relação aos carros, mas sim aos pedestres, nesse caso antes de entrar na rotatória você deve verificar não somente os carros, mas se existem pedestres aguardando para atravessar. Sendo assim, entre sempre devagar e com segurança na rotatória.

Se, eventualmente, todos os veículos chegarem ao mesmo tempo na rotatória, é necessário usar bom senso e a gentileza. Cortesia não faz mal a ninguém.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »