02/07/2021 às 15h43min - Atualizada em 02/07/2021 às 15h43min

Proposta de Rodrigo Pimentel para criação de cadastro para ‘xepa’ da vacina contra covid-19 é aprovada

Ele defendeu que isso representa uma esperança para aqueles que ainda não foram vacinados e uma tentativa de coibir a prática de furar a fila de vacinação.

Vacina contra a Covid-19
Com o objetivo de evitar a perda de vacinas contra a Covid-19 em Leopoldina, a Câmara de Vereadores aprovou projeto de lei que autoriza a criação do cadastro de lista de espera de interessados pelas sobras dos imunizantes. A matéria foi apreciada em regime de urgência durante sessão extraordinária, ocorrida na segunda-feira, dia 28 de junho de 2021.

Rodrigo Pimentel foi o autor do Projeto de Lei nº 47/2021, cujo texto determina que o cadastro será criado e regulado pela Secretaria Municipal de Saúde. As “xepas” das vacinas deverão ser aplicadas conforme o prazo de validade, considerando o tempo exigido de cada fabricante, após a abertura do frasco, segundo a bula dos imunizantes.

O projeto estendeu a qualquer pessoa maior de 18 anos a possibilidade de ser imunizada com as outras doses do frasco aberto. Constatada a sobra, um profissional de saúde deverá acessar o cadastro e convocar imediatamente o candidato interessado através de chamada telefônica. O chamamento somente será permitido na urgência do vencimento do imunizante ou na ausência dos faltosos que não compareceram ao agendamento da vacinação.

O autor salientou que a redistribuição de doses remanescentes das vacinas para evitar desperdício é algo comum em campanhas de imunização, principalmente neste momento em que o contingente de vacinas é limitado.

Segundo ele, as sobras ocorrem porque as vacinas podem vir em frascos monodoses (com uma dose) ou multidoses (com várias). Nesse último caso, cada frasco da vacina dispõe de várias doses e, uma vez aberto, o conteúdo tem curta validade de duração (até poucas horas, dependendo da vacina). O parlamentar entende que a “xepa” da vacina representa uma esperança para quem ainda não faz parte dos grupos prioritários do Programa Nacional de Imunização, além de coibir a prática de furar as filas da vacinação.

Esgotadas as discussões sobre o tema, o PL 47/2021 foi aprovado em regime de urgência por unanimidade e seguiu para sanção do Poder Executivo.

Fonte> Portal da Câmara Municipal de Leopoldina

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »