06/08/2021 às 11h08min - Atualizada em 06/08/2021 às 11h08min

Servidores do Estado comemoram pagamento integral no 5º dia útil após mais de cinco anos de parcelamento

Regularização do salário, que acontece nesta sexta, foi uma das promessas de campanha do governador Romeu Zema

GOVERNO DE MINAS - SEC. GERAL - Sup. Central de Imprensa
Foto:Cristiano Machado / Imprensa MG
“Estou esperançosa com esse retorno do pagamento regular, que é o correto. Estou muito feliz de receber em dia o meu salário, como todo brasileiro merece, sem parcelamento”, comemora a servidora Márcia Helena da Silva, de 51 anos, professora do ensino fundamental e vice-diretora da Escola Estadual Juarez Canuto de Souza, em Caratinga. Ela não escondia a felicidade após receber seu salário integral, depois de cinco anos e meio recebendo de forma parcelada.

Nesta sexta-feira (6/8), 5º dia útil do mês, o Governo de Minas depositou para todo o funcionalismo público, incluindo aposentados e pensionistas, o pagamento integral, referente à folha de julho. O fim do parcelamento dos salários foi anunciado pelo governador Romeu Zema em julho deste ano.

“Depois de mais de cinco anos de parcelamento dos salários dos servidores estaduais, vamos, a partir deste mês de agosto, pagar integralmente no quinto dia útil do mês. Servidores ativos, inativos e pensionistas do Poder Executivo vão receber 100% do salário relativo ao mês de julho de uma só vez, como deve ser. Mas isso não acontecia desde 2016", afirmou Romeu Zema, em vídeo publicado nas redes sociais nesta sexta-feira (6/8).

"Entendo que o servidor que recebe em dia presta um serviço público melhor para as pessoas, em todas as áreas do Estado. É por isso que essa meta está sendo buscada desde o início da minha gestão. Inclusive, eu fiz um compromisso: enquanto o salário do funcionário não estivesse em dia, eu não receberia o meu. Desde que assumi o governo, em 2019, venho cumprindo, doando para entidades beneficentes tudo aquilo que recebo. Com gestão de verdade e um governo presente na vida dos mineiros, nosso estado avança", completou. 

O Governador Romeu Zema continuará doando seus salários, mesmo após a regularização do pagamento dos servidores do Estado. Desde que tomou posse, o governador já fez doações para 55 instituições que, somadas ultrapassam o valor de R$ 250 mil.

Educação

A professora Márcia conta que o pagamento é um respiro para a categoria da Educação.

“A gente gosta da profissão, mas queremos o mínimo de reconhecimento, que é o pagamento pelo nosso trabalho. Fazemos com carinho. A nossa classe já foi muito desvalorizada e ainda é até hoje. Não chegamos ao que queríamos, mas tem melhorado bastante. Peço que os políticos e o nosso governador continuem olhando com mais atenção e respeito para essa classe que foi tão massacrada nos últimos tempos. Se o governador continuar fazendo o trabalho que está fazendo, muita coisa vai mudar”, acredita.

Organização da vida financeira

A servidora Núbia Dias, de 48 anos, representante dos servidores da Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG), correu até a agência do Banco do Brasil para sacar o pagamento integral depositado pelo Governo de Minas nesta sexta (6/8), referente à folha de julho.

Embora os servidores da Secretaria de Saúde, assim como os da Segurança Pública, já estivessem recebendo em parcela única, em função da pandemia, ela garante que o pagamento no 5º dia útil permitirá que todo o funcionalismo retome a organização da vida financeira após tantos anos de insegurança.

“Se você recebe o seu salário no dia 13, a maior parte das contas já venceu no dia 10. Muitos estavam pagando multas e virou uma bola de neve ao longo dos anos. Então, dá um ânimo novo ver esse reconhecimento e entender que o nosso trabalho tem valor. É muito importante que o profissional que vai servir à sociedade tenha o mínimo de tranquilidade para organizar suas contas, seu dia a dia, como vai acontecer agora”, afirma.

Núbia, que é servidora há 30 anos no Estado, conta que, ao longo dos mais de cinco anos de pagamentos irregulares, alguns funcionários chegaram a ter dificuldade de pagar o transporte público para ir ao trabalho.

“Quando você pega um ônibus, você precisa pagar à vista. Não dá pra parcelar. As pessoas estavam superendividadas. Já tivemos momentos em que chegava no dia do pagamento e ainda não tinha nem mesmo a escala para saber quando receberia. Isso desorganizou a vida dos servidores. No momento da pandemia, o governo teve a sensibilidade de pagar a Saúde em parcela única. É um reconhecimento do servidor”, diz Núbia.

Internautas

Os internautas também comemoraram a conquista. “Conseguiu o que os outros não conseguiram, ou não quiseram. O importante é que fez! E faz uma gestão consciente", afirmou a seguidora Carina Lima Silveira.

O aposentado Zé Aurélio Tupynamba também celebrou o pagamento em dia. "Sei que não foi fácil! Sou aposentado e concordo com todas as suas medidas", disse, em comentário no Instagram do governador.

Gestão eficiente

A regularização do salário foi uma das promessas de campanha do governador Romeu Zema. E o fim do parcelamento dos salários dos servidores do Executivo após cinco anos e meio é um exemplo de uma gestão eficiente. Desde que assumiu o governo, em janeiro de 2019, Romeu Zema tem priorizado o uso correto do dinheiro público, fazendo mais com menos.

Além do empenho do governo, a situação pode ser resolvida graças ao aumento das receitas estaduais e também à venda da folha de pagamento do Estado. A transação foi concretizada por meio de um pregão, modalidade de licitação que tem como característica a agilidade e a economia para a administração pública. A oferta vencedora foi a do banco Itaú, que ofereceu R$ 2,42 bilhões, 18% a mais do lance mínimo de R$ 2,052 bilhões exigido pelo Estado para concretizar o negócio.

Outro ponto de destaque da eficiência da atual administração é o pagamento dos repasses constitucionais de ICMS, IPVA e Fundeb devidos pela gestão anterior aos 853 municípios de Minas.

Dos R$ 7 bilhões previstos no acordo feito com a Associação Mineira de Municípios (AMM), o atual governo já repassou R$ 4,5 bilhões, o equivalente a 64%. Das 33 parcelas previstas, 20 já foram pagas, mesmo diante da crise econômico-fiscal enfrentada por Minas Gerais.
 
______________

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »