05/11/2021 às 19h13min - Atualizada em 05/11/2021 às 19h13min

Vereador rebate DNIT e defende permuta de imóvel para instalação do Batalhão de Polícia Militar

José Augusto Cabral repudiou o posicionamento contrário do DNIT para liberação do imóvel e reiterou que continua firme no projeto para implantação do BPM

Sede do DNIT em Leopoldina
Conforme ampla divulgação feita na imprensa local, o município de Leopoldina foi muito prejudicado por uma medida adotada pelo então governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, que transformou a 6ª Companhia Independente de Polícia Militar na atual 37ª Companhia de Policia Militar. Com esta decisão do Governo de Minas, Leopoldina deixou de comandar o policiamento em quinze municípios e atualmente é responsável somente pelos policiamentos de Leopoldina, Argirita e Recreio. Tal medida não atingiu as demais companhias independentes da região que, ao contrário, foram elevadas ao status de Batalhão.

Diante desta situação, foi iniciado um movimento para o fortalecimento da Polícia Militar, capitaneado pelo Presidente da Câmara, vereador José Augusto Cabral. Foram realizadas reuniões com vereadores e prefeitos de outras cidades, deputados e lideranças políticas, além de encontros na cidade administrativa em Belo Horizonte, no comando da Polícia Militar de Minas Gerais.

Após muitos debates sobre o tema, houve um consenso de que o fortalecimento da Polícia Militar poderá ser efetivado com a troca de imóveis entre o atual DNIT e a 37ª Companhia de Polícia Militar, que poderá resultar na implantação de um Batalhão de Polícia Militar. Neste sentido, foram realizadas diversas reuniões em Brasília, de forma presencial e remota, com deputados, senadores, direção do DNIT e até com canais do Ministério da Infraestrutura e da Presidência da República.

Embora os entendimentos já estejam em uma fase bastante adiantada, o vereador José Augusto recebeu um ofício do DNIT informando seu posicionamento contrário à permuta proposta pela Polícia Militar de Minas Gerais e favorável apenas a um compartilhamento da área ocupada pelo departamento.

Em sessão ordinária da Câmara Municipal de Leopoldina, realizada no dia 18 de outubro de 2021, o vereador utilizou o expediente de oradores inscritos para se manifestar a respeito desse novo posicionamento do DNIT que, segundo ele, é um elefante branco em Leopoldina e no país, vítima da falta de visão do governo em relação àquela que deveria ser a estratégica missão do DNIT, ou seja, a infraestrutura das rodovias.

Em seu pronunciamento, José Augusto Cabral defendeu que é preciso avaliar a necessidade de reorganização da máquina pública federal, estadual e municipal, para que os interesses da população, e não dos governantes, sejam colocados em primeiro plano. Ele frisou que, se não é interesse do DNIT transferir-se para um prédio menor, porém de excelente qualidade, é preciso deixar cristalino que é interesse do município ter um Batalhão da Polícia Militar e salientou que uma decisão de gabinete do DNIT local, estadual ou nacional não pode afetar o bem estar e a segurança pública de uma população.

O Presidente do Legislativo acrescentou que não será o imóvel em que se encontra que fará melhor esse departamento, mas a visão de país e seu papel em relação à logística e infraestrutura do Brasil, além de ações imediatas e objetivas que evitem acidentes nas rodovias, como os que ocorreram nas últimas semanas. Segundo ele, a visão que se tem atualmente do DNIT é de um órgão esvaziado, por vezes considerado omisso, pela falta de ação, que se justifica não pelos seus técnicos e colaboradores, mas muito mais pela falta de apoio federal.

O parlamentar esclareceu que não considera menos importante o DNIT, mas ressaltou que o imóvel ocupado atualmente pelo órgão seria muito mais útil para abrigar um Batalhão de Polícia Militar do que uma dezena de funcionários que poderiam, sim, ficar muito bem instalados no imóvel ocupado pela atual Companhia de Polícia Militar.

José Augusto destacou que, enquanto o DNIT obstrui o fortalecimento da Polícia Militar no município e região, não há colocação de radares, novas placas de sinalização, pintura e redutores de velocidade nas rodovias. O vereador também salientou que não há medidas de proteção para o curso d’água que é captada para o abastecimento de Leopoldina, hoje com uma população de aproximadamente 55 mil habitantes, que fica vulnerável ao risco de contaminação por cargas tóxicas que venham a tombar na rodovia e cair no leito do curso d’água. Ainda foram citadas as cobranças de investimentos para construção da terceira pista e acostamento na BR 267, entre Leopoldina e Juiz de Fora.

Ao final, José Augusto Cabral reiterou que o movimento para implantação do Batalhão de Polícia Militar em Leopoldina permanece firme em seus propósitos e enfatizou que a população está indignada com o descaso das autoridades, que não melhoram a segurança das rodovias que cortam o município e fazem aumentar os números de uma triste realidade: acidentes e mais acidentes, vítimas e mais vítimas, semana após semana, mês após mês, ano após ano. O vereador foi enfático ao afirmar que o DNIT precisa apresentar mais ações e menos obstáculos ao desenvolvimento do município.

Em seguida, o tema permaneceu em discussão pelos vereadores que se alternaram em pronunciamentos de apoio à manifestação do presidente da Casa Legislativa.  

Fonte> Portal da Câmara Municipal de Leopoldina

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »