23/11/2021 às 08h31min - Atualizada em 23/11/2021 às 08h31min

Fusão de secretarias municipais na prática não mostra resultados favoráveis

Em termos de economia para os cofres públicos municipais não dá para garantir bons resultados diante das demandas dos setores envolvidos.

Luiz Otávio Meneghite
Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira (Foto: João Gabriel Baía Meneghite)
Ainda durante a pré-campanha eleitoral de 2020, o Jornal Leopoldinense abriu espaço para todos os que se apresentaram como pré-candidatos a prefeito de Leopoldina. Alguns dos entrevistados levaram adiante o seu intento e outros desistiram por motivos vários. As perguntas e o espaço foram iguais para todos. Tivemos um comportamento apartidário como sempre foi a nossa trajetória jornalística.
 
Realizado o pleito e declarado o resultado, periodicamente abordamos alguns temas colocados naquela entrevista, como uma forma de reavivarmos o que foi dito pelo prefeito eleito Pedro Augusto Junqueira Ferraz tendo em vista o seu comportamento prático no exercício do cargo.

Para fazer jus ao que se comprometeu com o eleitorado, o atual chefe do Poder Executivo fundiu alguns órgãos de primeiro escalão, alguns deles de grande importância funcionando separadamente. Citamos aqui apenas dois exemplos que em lugar de proporcionar economia aos cofres públicos, criou dificuldades de ação concreta para funcionar: a fusão da secretaria de Esporte, Lazer e  Turismo com a de Cultura e da secretaria de Serviços Urbanos com a de Meio Ambiente. Em termos de economia para os cofres públicos municipais não dá para garantir bons resultados diante das demandas dos setores envolvidos.
 
Levamos em consideração na nossa análise o baixo salário destinado aos servidores municipais de uma maneira geral e especialmente o que é pago aos titulares de secretarias municipais que há muitos anos não vem sendo reajustados. A fusão das secretarias, vista por este ângulo, não mostra resultados práticos, pelo menos até agora ao findar o primeiro dos quatro anos de governo. E o tempo passa rápido! Voa!
 
Vejam o que respondeu o prefeito eleito em 2020
 
JL - O senhor já tem nomes em mente ou pelo menos uma ideia ou perfil de quem o senhor gostaria de ter em sua equipe de governo, caso eleito?

Pedro Augusto - Penso que esses cargos devem ser ocupados por aqueles que tenham perfil técnico. Penso que a equipe de governo tem de ser uma equipe técnica, competente e boa de serviço, ou seja, profissionais em quem eu possa confiar, delegar e, consequentemente, cobrar resultados. Também é necessário reduzir substancialmente o número de secretarias e fundir algumas pastas. As pessoas de Leopoldina querem e merecem resultados.
 
JL - Por que importantes espaços de lazer e turismo estão abandonados, como por exemplo, o Horto Florestal?

Pedro Augusto – Nossos espaços de lazer, como o Horto Florestal e o Morro do Cruzeiro, por exemplo, estão totalmente abandonados. Temos uma cidade que não se preocupa em manter de maneira adequada as praças e espaços públicos destinados ao turismo. Entendemos que a gestão também deve se preocupar com o aspecto paisagístico e de lazer da cidade. Os leopoldinenses merecem uma cidade florida, com jardins bem cuidados. Faz parte de nosso projeto fazer de Leopoldina uma cidade bonita, assim como já fizemos na Exposição Agropecuária, em que levamos para o evento um projeto paisagístico com flores e plantas. O sucesso foi extraordinário. 
 
JL –Está nos planos do senhor colocar em prática a Lei Municipal Vitalino Duarte de Incentivo à Cultura?

Pedro Augusto – Conheci o Vitalino Duarte e considero essa lei muito importante. Como um dos fundadores do BDMG Cultural, considero a cultura como uma área fundamental, por isso precisa e merece receber apoio de forma intensa. Mas não é somente esta lei ou o nosso tradicional e belíssimo Conservatório de Música que têm que receber incentivo. Temos que apoiar tudo que é ligado à cultura, ao lazer e ao esporte de forma ampla. Somos uma cidade musical, alegre e que tem raízes culturais que precisam ser recuperadas. Nossa cidade possui um grandioso evento, que é o Festival de Piacatuba, lançado pela Energisa e à qual eu faço um aplauso pela iniciativa. Este evento é um sucesso extraordinário para a nossa cidade e região. Temos que levar esse sucesso para outros setores. Enfim, temos que fazer de Leopoldina uma cidade festeira e alegre, incentivar o carnaval, as exposições e a prática de diversas modalidades esportivas.

JL - O que será feito para resolver o problema do esgoto que está poluindo nossos córregos?

Pedro Augusto – O esgoto em nossa cidade corre a céu aberto. É uma vergonha! Nossa cidade precisa ter esgoto tratado. Somos uma cidade de 50 mil habitantes que não tem tratamento de esgoto. Um dos grandes problemas brasileiros de saneamento básico e até mesmo de saúde pública é a falta de esgoto tratado. Isso é um crime e faz com que aumente o número de doenças.  Tratar o esgoto deve ser prioridade das gestões municipais.
 
A opinião do Jornal Leopoldinense
 
Na nossa opinião, todos podem errar e acertar. Podem, principalmente, corrigir os erros quando constatados. No momento em que o mundo vive, vítima da pandemia da Covid-19, muitas coisas devem ser repensadas principalmente nas pastas que mencionamos acima. Talvez, nós do Jornal Leopoldinense estejamos errados, mas não escondemos a nossa opinião. Separar as secretarias de Esporte, Lazer e Turismo da Cultura e a de Serviços Urbanos da do Meio Ambiente, talvez fosse mais acertado se ocupadas por profissionais técnicos de cada área como o próprio prefeito mencionou em sua entrevista em 2020. Mas, não basta desmembrar, tem que dar condições de funcionar. O quadro de pessoal do Município de Leopoldina possui funcionários capacitados em desvio de função e não precisa fazer recrutamento amplo. É só procurar lá dentro que acha.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »