05/05/2022 às 11h27min - Atualizada em 05/05/2022 às 11h27min

Leitor sugere demarcação de estacionamentos para motocicletas no centro

Outro chama a atenção para o trânsito de bicicletas nos passeios colocando em risco a segurança de pedestres e a interrupção da pintura de travessias de pedestres.

Luiz Otávio Meneghite
Motocicletas estacionadas entre automóveis no centro de Leopoldina
O leitor do Jornal Leopoldinense, J. B. T., aborda o repórter para reivindicar a demarcação de estacionamentos para motocicletas no centro de Leopoldina. Para ele é indiscutível o aumento da circulação desses veículos, principalmente em decorrência do alto preço da gasolina e também ao crescimento de profissionais de delivery.

Para o leitor, é muito comum uma motocicleta ocupar o espaço de um automóvel. Ele acredita que com a organização dos estacionamentos a situação pode ser normalizada e atender a todos. Ele chegou a contar dezenas de motocicletas estacionadas entre automóveis apenas na Cotegipe diminuindo assim o número de vagas, exatamente onde a situação é mais crítica na cidade. Ele opinou que a mesma quantidade de motocicletas poderia estacionar se houvesse a demarcação do espaço próprio.

O Jornal Leopoldinense observou um exemplo de demarcação inócua no final da rua Presidente Carlos Luz, junto à Praça Gama Cerqueira (Praça do Urubú) sinalizando estacionamento privativo de mototáxi, que, no entanto, não é utilizado por tais profissionais.

Um profissional estabelecido na Cotegipe chama a atenção para o trânsito de bicicletas nos passeios colocando em risco a segurança de pedestres. “Alguns se atrevem a empinar a bicicleta e percorrer um bom espaço sem medir as consequências de seus atos irresponsáveis”, disse.

Na opinião de ambos, o leitor e o profissional, uma solução seria a prática do policiamento a pé no centro da cidade, uma vez que a sinalização existente nem sempre é obedecida, até mesmo por condutores ‘profissionais?!?’, pois utilizam veículos de placa vermelha e fazem conversões à esquerda ou à direita mesmo com a existência da sinalização proibitiva.

Outra observação feita pelo Jornal Leopoldinense é quanto às placas de denominação de ruas, cuja instalação recente foi interrompida por conterem erros. Algumas foram retiradas e em outras os erros passaram despercebidos. Ainda estão instaladas placas com a grafia errada como ‘Rua Plóbio Cortês” com acento circunflexo colocado onde não deveria existir e embaixo apenas: “Grande comerciante leopoldinense”. Em outras placas a palavra leopoldinense está escrita leopoldiense.

Elogiada pelo Jornal Leopoldinense com publicação na capa da última edição impressa, a sinalização horizontal com a pintura de travessias de pedestres parece que foi interrompida com algumas delas feitas pela metade. Em algumas vias, onde o trânsito diário é intenso a pintura de manutenção tem ser frequente. Será que acabou a tinta?

Mas, tudo que foi relatado acima tem solução. Basta querer!


Travessias de pedestres foram elogiadas mas interrompidas  

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »