21/11/2014 às 08h53min - Atualizada em 21/11/2014 às 08h53min

Produtividade no Brasil cresce de forma limitada

Aumento do PIB será cada vez mais dependente da produtividade do trabalho

Fernanda De Negri, diretora de Estudos Setoriais de Inovação, Regulação e Infraestrutura (Diset) do Ipea,-1.

Divulgado nesta quinta-feira, 20, o primeiro volume da série Produtividade no Brasil, intitulado “Desempenho”, analisa sob diversas óticas a evolução dos indicadores de produtividade da economia brasileira. A publicação foi organizada por Fernanda De Negri, diretora de Estudos Setoriais de Inovação, Regulação e Infraestrutura (Diset) do Ipea, e Luiz Ricardo Cavalcante, consultor legislativo do Senado Federal, em uma parceria do Ipea com a ABDI e diversas universidades e instituições de pesquisa do país.

Uma das questões apontadas pelo livro é o baixo crescimento da produtividade no Brasil desde o final da década de 1970. Entre 2003 e 2010, a retomada do crescimento econômico e a melhoria dos termos de trocas internacionais possibilitaram a recuperação de ganhos relativamente elevados de produtividade. No entanto, um dos autores do livro, Régis Bonelli, afirma que o crescimento do PIB será cada vez mais dependente de aumentos na produtividade do trabalho.

Outro texto, de Gabriel Coelho Squeff e Fernanda De Negri, ambos do Ipea, revela que a produtividade da economia brasileira cresceu pouco não porque aumentou a participação de setores pouco produtivos na estrutura produtiva, mas porque a produtividade dentro dos setores econômicos cresceu pouco. De Negri, em artigo coassinado por Luiz Ricardo Cavalcante, mostra ainda que os fatores de maior impacto sobre a produtividade no Brasil são a tecnologia, a qualidade da mão de obra, as deficiências de infraestrutura e o ambiente de negócios.

Lucas Mation, técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea, detalha a questão do ambiente de negócios considerando que sua qualidade permaneceu praticamente estagnada entre 2003 e 2014, sem melhorias em quase nenhum indicador. Em um mundo em que a maioria dos países apresentou avanços significativos nesse ponto, a estagnação do Brasil piorou significativamente a posição relativa do país.

O livro também traz comparações entre Brasil, China, Estados Unidos, Alemanha e México em termos de produtividade do trabalho, analisa metodologias de mensuração da produtividade, aborda especificamente a situação do setor agrícola e o impacto do desenvolvimento tecnológico, e apresenta resultados de uma pesquisa com empresários. O segundo volume da obra em parceria entre Ipea e ABDI, intitulado “Determinantes”, tem lançamento previsto para o primeiro semestre de 2015.

Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada 

www.ipea.gov.br

Fundação pública vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada fornece suporte técnico e institucional às ações governamentais - possibilitando a formulação de inúmeras políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiro - e disponibiliza, para a sociedade, pesquisas e estudos realizados por seus técnicos.

Assessoria de Comunicação Social  do IPEA


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »