03/11/2015 às 08h43min - Atualizada em 03/11/2015 às 08h43min

Leopoldina está na 513ª posição em ranking nacional de cidades

Levantamento da Istoé e Austin Rating mostra como as 5.565 cidades do país foram classificadas em indicadores sociais, fiscais, econômicos e digitais.

Leopoldina vista da antiga pista de aviação, no bairro Limoeiro. (Foto: João Gabriel B. Meneghite)

Depois de premiar as melhores cidades brasileiras, a Revista Istoé e a consultoria Austin Rating divulgaram o ranking completo de todos os 5.565 municípios do país. Em um levantamento inédito, com base em mais de 500 itens de informação, a lista mostra a posição de cada município de acordo com indicadores sociais, fiscais, econômicos e digitais. “Esse estudo é inédito tanto pela amplitude das cidades pesquisadas quanto pela variedade dos indicadores que são analisados”, diz Alex Agostini, o responsável pela coleta e análise dos dados na Austin Ratings.

Na Zona da Mata de Minas Gerais a cidade de Juiz de Fora está em primeiro lugar na 22ª posição nacional, em segundo vem Ubá que ficou na 263ª posição nacional, seguida de Viçosa que aparece na 276ª posição nacional. Logo após aparece Muriaé no 341º lugar no Brasil; Cataguases em 396º lugar nacional; Leopoldina ficou na 513ª posição no Brasil e Além Paraíba, em 617º lugar nacional.

Para saber em que posição está uma cidade basta acessar o ranking e pesquisar pelo nome do município.

Clique no link abaixo para saber em que posição está sua cidade:

http://melhorescidadesdobrasil.com.br/

 

População de Leopoldina atinge 53.145 habitantes, segundo IBGE

O IBGE divulgou no dia 28 de agosto, as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros com data de referência em 1º de julho de 2015, dentro da Estimava Populacional dos Municípios Brasileiros em 2015. Estima-se que o Brasil tenha 204,5 milhões de habitantes e uma taxa de crescimento de 0,83% de 2014 para 2015.

As estimativas da população residente nos municípios brasileiros foram elaboradas com base na projeção para cada Unidade da Federação, que incorpora os resultados dos parâmetros demográficos calculados com base nos resultados do Censo Demográfico 2010 e nas informações mais recentes dos registros de nascimentos e óbitos.

O município de Leopoldina, que no ano 2000 tinha 50.097 habitantes, registrou em 2010 uma população de 51.130 pessoas. Em 2013 a população foi estimada de 52.915 pessoas e em 2014 subiu para 53.032 e agora em 2015 o número encontrado foi de 53.145, de acordo com o IBGE.

Conheça a estimativa populacional de outros municípios da região: Juiz de Fora: 555.284, Ubá: 111.012, Muriaé: 107.263, Cataguases: 74.171, Leopoldina, 53.145, Além Paraíba: 35.720, Recreio: 10.667, Laranjal: 6.799 e Argirita: 2.890 habitantes.

As estimativas populacionais são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos nos períodos intercensitários e são, também, um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União na distribuição do Fundo de Participação de Estados e Municípios. Esta divulgação anual obedece ao artigo 102 da lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013.

A tabela com a população estimada para cada município foi publicada no Diário Oficial da União (D.O.U.) 28 de agosto de 2015. A nota metodológica e a tabela com as estimativas das populações para os 5570 municípios brasileiros e para as 27 Unidades da Federação pode ser consultada neste link.

24,5% dos municípios apresentaram redução populacional

Dos 5.570 municípios, 24,5% (1.364 municípios) apresentaram taxas de crescimento negativas, ou seja, redução populacional de 2014 para 2015. Mais da metade dos municípios brasileiros (52,6% ou 2.930 municípios) apresentou crescimento que variou entre 0,0% e 0,9% e 271 municípios (4,9%) apresentaram crescimento igual ou superior a 2,0%. Apenas 65 municípios apresentaram crescimento superior a 3,0%.

O grupo de municípios com até 20 mil habitantes apresentou maior proporção de municípios com redução populacional ou crescimento de até 0,5%. Já o grupo de municípios com mais de 100 mil habitantes apresentou maior número proporcional daqueles com taxas de crescimento superiores a 1%.

Fontes: IBGE e Revista IstoÉ


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »