24/04/2016 às 12h59min - Atualizada em 24/04/2016 às 12h59min

Leopoldina apresenta saldo negativo de 138 postos de trabalho em janeiro a março de 2016

Foram pesquisadas informações de 2.836 estabelecimentos onde ocorreram 788 admissões e 926 desligamentos

Luiz Otávio Meneghite
O Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) divulgou na sexta-feira, 22 de abril, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do período de janeiro a março deste ano. Segundo o Cadastro, em Leopoldina, nos três primeiros meses do ano houve uma redução de 138 empregos formais de um total de 10.309 trabalhadores com carteira assinada no município. De janeiro a março foram admitidos 788 trabalhadores e demitidos 926 o que resulta no saldo negativo de 138 postos de trabalho. Divulgado desde 1992, o Caged registra as contratações e as demissões em empregos com carteira assinada com base em declarações enviadas pelos empregadores ao Ministério do Trabalho.

►Valter Carlos Gonçalves de Matos, Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico.

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Valter Carlos Gonçalves de Matos disse ao jornal Leopoldinense: “acredito que as próximas demonstrações do Caged já apresentem números positivos em postos de trabalho decorrentes da retomada das obras do Minha Casa, Minha Vida e da expansão da APA Confecções que está anunciando a instalação em Leopoldina, de uma fábrica de calças,” revela, sem oferecer detalhes.

O retrato da crise em Leopoldina.

De acordo com o Caged os setores que mais proporcionaram demissões de janeiro a março de 2016 em Leopoldina foram os de transformação com menos 90 empregos formais e o comércio, com menos 80 postos de trabalho com carteira assinada. Esses números estão refletidos nas ruas do centro comercial de Leopoldina, com a existência de dezenas de lojas com o anúncio de ‘aluga-se’  ou ‘vende-se’ em pontos antes muito valorizados, onde até pouco tempo era difícil encontrar imóveis disponíveis para a instalação de negócios.

Os locais anunciados para aluguel ou venda vão desde grandes imóveis, como o que onde funcionou por pouco tempo o CD da Zema, a galpões estratégicos para funcionamento de indústrias ou comércio no bairro de Fátima onde funcionou indústria de fiação e uma indústria de confecções, ou na movimentada avenida Getulio Vargas onde funcionou o Fonte Supermercado, além de lojas de pequeno,  médio  e grande porte nos dois shopping’s da cidade.

Recentemente, houve o fechamento de postos de trabalho decorrentes do encerramento de atividades do CD da Zema, da Aurora Têxtil e da paralisação da construção do conjunto habitacional do Minha Casa, Minha Vida que tiveram o reinício das obras anunciado há poucos dias. Some-se a isso, o fechamento de 23 postos de trabalho na LAC e em pequenas confecções da cidade.

Por outro lado, no mesmo período demonstrado pelo Caged, no primeiro trimestre de 2016 houve crescimento de 19 postos de trabalho no setor de serviços, 10 empregos formais no setor agropecuário e 2 no extrativismo mineral.

Fonte de informações: Assessoria de Imprensa/MTPS e Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Leopoldina.
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »