30/06/2016 às 09h42min - Atualizada em 30/06/2016 às 09h42min

Homens e máquinas dão os últimos retoques para concluir obras na Félix Martins

Praça será inaugurada nesta sexta-feira, 1º de julho, simultaneamente com o primeiro piso do Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira

Luiz Otávio Meneghite
O prefeito José Roberto de Oliveira entrega nesta sexta-feira, 1º de julho, a partir das 18:00 horas, as obras de revitalização da Praça Félix Martins e inaugura o primeiro piso do Centro Cultural Mauro de Almeida, instalado no prédio do antigo Fórum da Comarca de Leopoldina. 

Uma vasta programação foi elaborada por equipes de diversas secretarias municipais: recreação infantil na praça, apresentação de Zumba com a professora Raquel Regina, apresentação da escola de Kung Fu Tan Lan, apresentação do Coral da OAB de Juiz de Fora sob a regência do maestro Domycio Procópio, vernissage da Exposição Viva Leopoldina, do pintor Elias Fajardo Fonseca e lançamento do livro Poemas do Vai e Vem, do escritor Elias Fajardo, membro da Academia Leopoldinense de Letras e Artes.

De acordo com a programação, a solenidade de reinauguração da praça Félix Martins está prevista para acontecer às 19h45min e a solenidade de inauguração do Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira está programada para às 20h15min. O jornal Leopoldinense apurou que, embora esteja concluído e mobiliado, o segundo piso não será aberto à visitação pública por causa do elevador que não foi instalado e seria uma exigência do Ministério Público Estadual. A reportagem também apurou que o tapume que cerca a praça começará a ser retirado na madrugada desta sexta-feira. Enquanto isso, homens e máquinas dão os últimos retoques nas obras cujo resultado promete surpreender a todos, disse uma fonte da Prefeitura.

As obras


A Prefeitura de Leopoldina iniciou na manhã do dia 4 de novembro de 2015, a colocação de tapumes ao redor da Praça Félix Martins. A medida foi o primeiro passo para que as obras de revitalização da tradicional Praça, localizada no centro da cidade, pudessem ser realizadas. O prefeito José Roberto de Oliveira esteve no local e conversou com os operários da prefeitura. Ele disse naquela oportunidade que a  revitalização da Praça Félix Martins foi uma medida reivindicada e aguardada pela população, que vinha acompanhando ao longo dos anos o desgaste daquela área. O prefeito José Roberto afirmou na ocasião que "a realização desta grande obra é mais uma sinalização de que a administração municipal está atenta a todas as necessidades do município. Reconhecemos a importância da revitalização da Praça Félix Martins e chegou a hora dela receber os investimentos que merece, tanto pela sua beleza, quanto pela sua tradição."  

O prefeito destacou ainda que as obras foram realizadas com recursos próprios do município, e ressaltou outra importante medida em relação à Praça: "É preciso deixar bem claro aos munícipes que além da reforma da Praça Félix Martins, a administração municipal está trabalhando no sentido de buscar soluções para os problemas periféricos da Praça, ou seja, medidas sociais que possam amparar e apoiar aquelas pessoas que infelizmente permanecem na praça em razão de vícios, por exemplo, e que chegavam a intimidar os populares que por aqui passavam. Temos consciência destas circunstâncias e estamos confiantes que conseguiremos resolver também estes problemas sociais", concluiu. 
 
Um pouco da história da Praça Félix Martins

A historiadora e pesquisadora Nilza Cantoni registrou um pouco da história da Praça Félix Martins em seu Blog:

Segundo a historiadora "Esta praça central da cidade inicialmente chamou-se Parque Félix Martins. Foi, durante muito tempo, o ponto de encontro da maioria dos leopoldinenses. Na década de 1960, ali estava o cinema Brasil, a rodoviária, o final dos trilhos da estrada de ferro da Leopoldina, o fórum e as residências de algumas personalidades." 

"O nome Félix Martins é uma referência ao doador do terreno para a construção da praça. Mas é necessário lembrar que, na época, não havia propriedade particular na área urbana como hoje a entendemos e que Félix Martins Ferreira detinha apenas o direito de uso do solo e não sua propriedade.", registra a pesquisadora.  

Prosseguindo, Nilza acrescenta que "por ocasião da construção da Estação Ferroviária em Leopoldina, inaugurada em julho de 1877, além da municipalidade ter doado terrenos para instalação dos equipamentos necessários, ocorreram outras modificações na paisagem urbana do entorno. Possivelmente esteja aí a origem do Parque Félix Martins, em cuja lateral paralela à atual rua José Silva corriam os trilhos da parte final da área de manobras das composições." 

O perfil político do homenageado com seu nome na denominação da Praça é mencionado por Nilza Cantoni: "Félix Martins foi eleito vereador em Leopoldina por duas vezes: em 1876 e em 1881. Foi casado com Heliodora Pinheiro Corrêa de Lacerda, filha de Romão Pinheiro Corrêa de Lacerda e Maria de Nazareth Pereira, nascida em 07.01.1858 e batizada no dia 20 de março do mesmo ano. Ressalte-se que Romão Pinheiro Corrêa de Lacerda foi um dos pioneiros de Leopoldina, tendo formado a Fazenda da Memória, em Providência." 

As transformações da Praça Félix Martins são informadas no trabalho da historiadora: "Segundo Barroso Júnior, o Parque Félix Martins foi delineado e executado pelo superintendente dos serviços urbanos, Dr. Osório Resende Meireles. Na administração do Dr. Carlos Luz, a praça foi remodelada. Em 1962, no governo de Zequinha Reis, construiu-se a concha acústica e na administração do prefeito Dr. Joaquim Furtado Pinto, patrocinado pelo Lions Clube da cidade, recebeu o mural de Funchal Garcia e outros melhoramentos. Na reforma ocorrida na década de 1960, suprimiu-se um antigo coreto, de tão belas lembranças, onde apresentavam-se bandas e as crianças brincavam sob as vistas de seus pais." 

Finalizando as informações sobre a Praça Félix Martins, Nilza Cantoni amplia o foco de sua pesquisa e observa: "Mas falar da Praça Félix Martins remete a outro patrimônio cultural de Leopoldina cujo destino está para ser decidido”, referindo-se ao jornal Novo Movimento, de 09.10.1910, noticiou o lançamento da pedra fundamental do edifício do fórum e cadeia, no Parque Félix Martins. “A Gazeta de 01.01.1911 informou que estavam sendo feitas as fundações do fórum e cadeia. Um século depois, o edifício deixou de abrigar o Fórum, transferido para instalações mais adequadas à necessidade atual." 

O texto completo, produzido por Nilza Cantoni, pode ser acessado no endereço eletrônico http://cantoni.pro.br/blog/ 

Fontes: Prefeitura Municipal de Leopoldina, Blog da Nilza Cantoni  e Arquivo do jornal Leopoldinense.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »