10/11/2016 às 07h37min - Atualizada em 10/11/2016 às 07h37min

Curso de Primeiros Socorros reúne policiais civis em Juiz de Fora

Mais de vinte policiais civis das Delegacias Regionais de Juiz de Fora, Ubá, Leopoldina e Muriaé estiveram presentes.

Glaci Fernandes(*)
A Polícia Civil, com apoio da Unimed Juiz de Fora, realizou, nesta quarta-feira, 09 de novembro, o curso “Primeiros Socorros: Trauma por Armas de Fogo e Armas Brancas”. O chefe do 4º Departamento de Polícia Civil (4º DEPPC), delegado Eurico da Cunha Neto, os delegados Sérgio Luis Lamas Moreira e Márcio Roberto Savino Lopes e mais de vinte policiais civis - das Delegacias Regionais de Juiz de Fora, Ubá, Leopoldina e Muriaé-, bem como parceiros da instituição estiveram presentes, no prédio da 4ª Região Integrada de Juiz de Fora ( 4ª RISP), no Bairro Nova Era, com a finalidade de serem habilitados para os primeiros socorros no caso de ferimento em campo. O conteúdo teórico abordado foi baseado em um protocolo, programa usado no treinamento do exército americano, em situações de combate militar.
 
Durante aproximadamente duas horas de curso, os médicos legistas Glower Braga e Thalis Marcello Oliveira Gouvea falaram sobre a história da Medicina da Guerra, a definição de primeiros socorros, fisiologia e anatomia e a importância do atendimento, mas também detalhes acerca do programa, que é resultado de avanços na medicina militar nos campos de batalha. Técnicas para controles de sangramentos e o uso de curativos compressivos e de torniquetes – e seu uso restrito – também foram assuntos abordados no curso. 
 
Além disso, nos momentos finais do encontro, os médicos fizeram algumas demonstrações de atendimentos nos casos de manobras para manutenção das vias aéreas e de reanimação cardiopulmonar (RCP). Na primeira simulação – envolvendo asfixia - eles explicaram algumas manobras importantes, entre elas, inclinar a cabeça, tração da mandíbula e abrir a boca da vítima. “E colocar o atingido na posição de lado, de recuperação, se não tiver lesões na coluna, para evitar a obstrução de via aérea por secreção”, informou o médico Thallis Gouvea.
 
Já no caso da reanimação, também indicaram diversas manobras, como  analisar a cena do evento, ter cuidados com a segurança, verificar a resposta da vítima e checar os sinais vitais. Posteriormente, explicaram sobre a massagem cardíaca, destacando a importância dos braços esticados e do uso da base das mãos e dos ombros sobre as mãos.
 
Para o chefe do 4º DEPPC, delegado Eurico da Cunha Neto, essa será a primeira iniciativa, entre outras que serão realizadas, visando contribuir para o aprimoramento profissional dos policiais civis.
 
(*)Assessoria de Comunicação Núcleo Avançado do 4º Departamento de Polícia em Juiz de Fora

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »