14/12/2016 às 17h48min - Atualizada em 14/12/2016 às 17h48min

Prefeitura injeta R$ 8.008.817,16 milhões em 30 dias em Leopoldina

Valor se refere à folha de pagamento de novembro, 13º salário e à folha de pagamento de dezembro.

Edição: Luiz Otávio Meneghite
Prefeitura de Leopoldina (Foto: João Gabriel Baía Meneghite)
Enquanto a maior parte dos municípios de Minas Gerais estão em dificuldades para conseguir recursos para pagar o 13º salário dos servidores este ano, a Prefeitura de Leopoldina já reuniu o montante de R$2.221.017,12 suficiente para realizar o pagamento integral em uma só parcela nesta sexta-feira, 16 de dezembro.  A garantia foi passada ao jornal Leopoldinense pelo Controlador Geral do Município, José Márcio Fajardo Campos. Segundo ele, “uma das maiores preocupações do prefeito José Roberto de Oliveira é com o pagamento em dia do funcionalismo, que é feito sempre no último dia útil de cada mês, e com a provisão de recursos feita no decorrer do ano para honrar o pagamento do 13º salário dos servidores municipais”.

De acordo com o Controlador, também o pagamento da folha de dezembro, cujo valor líquido é de R$3.100.000,00, já está garantido. No último dia 30 de novembro a Prefeitura já havia efetuado o pagamento daquele mês no valor total de R$2.687.800,04.  Somando a folha de novembro com a de dezembro, mais a do 13º salário, a  Prefeitura de Leopoldina coloca em circulação na cidade em 30 dias, o valor de R$8.008.817,16. O jornal Leopoldinense apurou que também o pagamento aos fornecedores da Prefeitura está sendo feito regularmente e o prefeito José Roberto deu ordens expressas para concretizar tais pagamentos.

Situação é crítica nos municípios de Minas
 
Conforme atesta a pesquisa feita pelo Departamento de Economia da Associação Mineira de Municípios (AMM), 51,56% das prefeituras terão dificuldades para quitar a folha de pagamento do mês de dezembro e o 13° salário dos servidores públicos. As gestões municipais responderam a pesquisa, de 18 de outubro a 17 de novembro. A sondagem revelou que mais de 50% relatam dificuldade para quitar os débitos com a folha de pessoal em dezembro e 13º salário, os repasses às câmaras municipais, além do cumprimento dos limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) em razão da queda nas transferências.
 
51,56% dos prefeitos estão sem perspectivas para o pagamento do 13º
 
“Mesmo com a Lei da Repatriação 13.254/2014 que instituiu Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária (Rerct) e dispõe que a arrecadação do IR resultante do programa será compartilhada com os entes, sendo 22,5% ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), 51,56% dos gestores estão sem perspectivas para o pagamento do 13º e a folha de dezembro”, afirma a economista da AMM, Angélica Ferreti. O relatório do Departamento de Economia da AMM mostra que aproximadamente 72,68% dos municípios mineiros pagaram, em anos anteriores, o 13º salário em uma única parcela, 16% de duas vezes, e 11,32% de formas diferentes. Para as cidades que efetuaram o pagamento em parcela única 97,4% ainda não cumpriram com a obrigação, mesmo estando dentro do prazo previsto pela legislação.
 
Em relação aos municípios que ainda não quitaram os débitos, 4,64% espera efetuar os pagamentos ainda no mês de novembro, 43,8% cumprirão com a folha de pagamento em dezembro, e 51,56% estão sem previsão orçamentária para honrar os compromissos. A economista da AMM, Angélica Ferreti, explica que, além das excessivas obrigações, as prefeituras se encontram em um arrocho financeiro em que as demandas são superiores às receitas.
 
(Fontes de informações: Daniel Tolentino-Assessoria de Comunicação AMM e José Márcio Fajardo Campos, Controlador Geral do Município de Leopoldina)
 
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »