19/11/2021 às 12h49min - Atualizada em 19/11/2021 às 12h48min

​Terminal Rodoviário Leopoldisney!

Paulo Lúcio Carteirinho
 A polêmica da vez em Leopoldina é o decreto 4.946 que Institui novas diretrizes sobre a regulamentação à circulação de ônibus no Município de Leopoldina..” De acordo com ele, todo ônibus que,  vem  de fora  ou vai para  fora,    não passará mais dentro da cidade, passará pela BR. A rodoviária será o único ponto de ônibus dentro da cidade, onde todos os ônibus serão   obrigados a passar por ela, obrigando todos os usuários a embarcar por lá.   As justificativas:  1) melhorar o trânsito;   2) Fomentação do  turismo na rodoviária.
 
A respeito disso, primeiramente, não sei de onde que tiraram  que  o trânsito de Leopoldina é ruim. Sou do Rio de Janeiro e entendo muito bem de  trânsito ruim. Cansei de ficar horas em engarrafamentos quilométricos. Aqui, mal dá para ver a apresentação dos artistas de ruas  que se apresentam no sinal. Eles mal começam seus espetáculos   e já passam o chapéu. Tudo muito rápido. É quase um “se vira nos 30”.

Vamos ser francos, Leopoldina não tem engarrafamento algum.  No máximo quando alguma rua do centro é fechada, devido obra ou algum evento, aí até tem uma pequena fila de carro, sendo em momento de maior circulação, mas nada demais. Logo, não vejo sentido impedir ônibus de circularem dentro da cidade ao ponto de achar que isso vai melhorar o trânsito. Até porque, a   ausência deles, pode inclusive piorar. Afinal, quem hoje pega um ônibus na porta de casa ou próximo dela terá que se deslocar para rodoviária, muitas das vezes recorrendo a transporte próprio (carro ou moto) ou particular (taxi, mototaxi, uber). Ou seja, terão mais veículos circulando e isso vai surtir efeito no trânsito, mas também nada demais, afinal, como falei anteriormente, nosso trânsito é pequeno. Mas se a ideia é melhorar o trânsito, mantêm os ônibus que causarão menos impactos.
 
Além de mais veículos circulando dentro da cidade, outro problema desse decreto será a diminuição de vagas de estacionamento. Esse é o maior problema do trânsito. Ao fazer com que todos se desloquem para a rodoviária, muitos, conforme disse anteriormente, vão usar veículo próprio, o qual até então ficava na garagem, mas que agora ficará no centro, próximo da rodoviária, ou seja, menos vagas de estacionamento.
 
Além de prejudicar o trânsito, tal decreto vai prejudicar também a economia da cidade. Afinal, aumentará despesas da população. Quem hoje pega um ônibus na porta de casa ou próximo dela, ao ser obrigado ir até a rodoviária, terá que gastar com deslocamento: passagem de ônibus, gasolina, uber ou mototaxi. Isso em plena crise econômica, com o número de desempregados aumentando, povo mal conseguindo comprar alimentos, gente cercando o caminhão do osso em Leopoldina.  Mesmo para quem resolver ir a pé para economizar, esse também terá aumento de despesas, afinal, com certeza será cobrado a taxa de embarque na rodoviária, a qual será acrescida no valor da passagem.  Ou seja, menos dinheiro circulando na cidade. Ao invés da prefeitura melhorar a vida do povo, está fazendo o contrário, está piorando.  
 
Mesmo que não pague a taxa de embarque e a pessoa economize andando a pé, se coloca no lugar de idosos, deficientes, crianças... imaginem tendo que anda quilômetros para poder pegar um ônibus que as vezes passa na porta de casa ou próxima da casa. Sem contar os visitantes, que também terão que andar a pé ou gastar.  Esses vão pensar: como pode o prefeito ter feito um negócio desse.
 
Ainda falando na economia, muitos comerciantes que têm seu comércio em frente ou próximo do ponto de ônibus e isso faz com que eles vendam mais, esses, serão prejudicados, passarão a vender menos devido ter menos gente circulando. Acho inclusive que a ACIL deveria sair defesa desses comerciantes manifestando contra esse decreto. O qual trará problemas para a economia da cidade.
 
As únicas pessoas que serão beneficiadas com esse decreto serão a prefeitura, que arrecadará mais com a taxa de embarque da rodoviária; taxistas, mototaxistas; uber, donos de postos de gasolina; e os lojistas que terão comércio na rodoviária.
 
Até entendo que de fato é necessário mexer na rodoviária, que é muito mal utilizada. Inclusive, apresentei tempos atrás um projeto de integração dos ônibus urbanos, que passariam circular bairro x rodoviária, interligando toda a cidade. Acho esse projeto movimentaria bem a rodoviária. Mas pelo visto a intenção da equipe do prefeito é querer transformar a rodoviária em uma espécie de Terminal Rodoviário da Leopoldisney, virando ponto turístico, voltado não só para turistas, mas para moradores da cidade, os quais serão obrigados a irem para lá.
 
Por mais que a rodoviária vire em ponto turístico, quem acha que   uma pessoa vai preferir deixar de pegar ônibus na porta de casa ou próximo dela, para andar quilômetros ou ter que gastar para chegar na rodoviária, só para ficar sentado assistindo TV ou olhando lojas, está de brincadeira. Quem pensa assim com certeza não anda de ônibus. Não sabe o quanto é difícil a vida de quem depende de ônibus para trabalhar ou sair.  
 
Acho que deve ser o mesmo que sugeriu comprar um carro zero modelo SUV para o prefeito poder andar. O prefeito não precisa de um carro zero. Precisa na verdade andar de ônibus para ver o quanto é sofrida a vida da população que depende dele, e que vai piorar muito com esse seu decreto. Pedro Augusto não embarque nessa. Anule esse decreto pelo bem da população.


 


 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »