04/08/2017 às 09h08min - Atualizada em 04/08/2017 às 09h08min

Cinema e Educação pautam Festival em Cataguases

Nesta edição, o festival homenageou o cineasta mineiro Helvécio Ratton, realizador de filmes que encantaram crianças e adultos de várias gerações

O 5º Festival Ver e Fazer FilmesEdição Inverno 2017, realizado em Cataguases de 21 a 29 de julho, promoveu mostras especiais de filmes, com programação diferenciada para o público infantil, jovem e adulto, oficinas de jogos educativos e realidade virtual, show musical e muitas outras atrações.
 
Destaque na programação, a exibição e premiação dos curtas-metragens produzidos por jovens realizadores da região, lotou o auditório do Centro Cultural Humberto Mauro. Por meio de um edital, o projeto Usina Criativa de Cinema selecionou quatro proponentes, que receberam recursos financeiros e consultorias técnicas para suas produções. Esses filmes - dirigidos por Rafael Ski (Cataguases), Mariana Medeiros (Cataguases), Bruno Rubim (Descoberto), e Diego Neves (Ubá) - vieram a público pela primeira vez na noite de sábado, e concorreram a prêmios em diversas categorias. Foram exibidos ainda três curtas do cineasta carioca Cavi Borges, que participou da experiência como diretor convidado e envolveu equipe técnica local em suas produções. (Veja abaixo quem foram os premiados). 

Nesta edição, o festival homenageou o cineasta mineiro Helvécio Ratton, realizador de filmes que encantaram crianças e adultos de várias gerações, e de outros tantos que lançam um olhar crítico aos conflitos de nosso tempo, como os de cunho político ou de denúncia sobre abusos contra os direitos humanos. Com sessões à tarde e à noite, foram exibidos seis filmes do cineasta, premiados no Brasil e no exterior. 
 
Na Mostra ENERGISA, o festival exibiu filmes patrocinados pela empresa em cidades do Polo Audiovisual da Zona da Mata mineira e em outras regiões do Brasil. Foram exibidos os filmes: “Quase Samba”, de Ricardo Targino; “Exilados do Vulcão”, de Paula Gaitán“Luneta do Tempo”, de Alceu Valença; “Campo de Jogo”, de Eryk Rocha; “Deserto”, de Guilherme Weber.
 
No Programa Cine Escola Animada, o festival envolveu cerca de 300 estudantes do ensino fundamental e médio, de diversas escolas da Zona da Mata mineira, com exibição de filmes seguidas de debates, mediados por profissionais da área de educação, audiovisual e ciências sociais.  Ao todo foram 15 filmes entre obras de ficção, documentários e animação, que abordaram temas atuais, pertinentes ao universo da criança e do jovem. A ação, que teve a parceria do Projeto Escola Animada – Rede Cineclubes, mobilizou os estudantes para eleger o Melhor Filme da Mostra Infantil e Mostra Juvenil. O resultado foi, respectivamente, o longa “Meu Pequeno Herói Não Sabe Voar”, de Pedro Jorge; e o longa “Parece Comigo”, de Kelly Spinelli.  

 O projeto “O que queremos para o mundo”, de Igor Amin e Vinicius Cabral, ambos da Produtora Cocriativa Conteúdos Audiovisuais, promoveu uma programação transmídia, com exibição de longa-metragem do mesmo nome; uma oficina de Realidade Virtual - Animação 3D, coordenada pelo belga Luc Petitot; e a oficina Jogo dos Mundos, um desafio para as questões do mundo atual, coordenada por Igor Amin e Claudio Santos. O show da Banda Constatina, de Belo Horizonte, que integra a trilha sonora do filme, encerrou as atividades na praça Rui Barbosa.
 
O Festival Ver e Fazer Filmes  é uma iniciativa da Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais, em parceria com o Instituto Cidade de Cataguases, Instituto Fábrica do Futuro, Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, CBA – Cia Brasileira de Alumínio, Instituto Federal – Sudeste, Secretaria Municipal de Cultura, Patrimônio e Turismo – Prefeitura de Cataguases, Sebrae,  com o patrocínio da ENERGISA através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e recursos do Edital Prêmio Exibe Minas da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais.
 
Veja quem são os premiados na 2ª edição do Usina Criativa de Cinema:
 
Melhor Filme pelo Júri Técnico“Lençol de Inverno” – Bruno Rubim (Descoberto)
Melhor Filme pelo Júri Popular“Lençol de Inverno” – Bruno Rubim (Descoberto)
Melhor Diretor: Rafael Ski – “Vinis &Peixes”
Melhor Roteiro: Mateus Baldi – “Lençol de Inverno”
Melhor Produção: Monique Rangel, Cecília Bueno e Claudia Marques – “Minha mãe chamava Tereza”
Melhor Fotografia: Elvis Rodrigues – “Palace, o contador de histórias”
Melhor Trilha Sonora: Matheus Ferro – “Palace, o contador de histórias”
Melhor Som: André Medeiros – “Vinis &Peixes”
Melhor Direção de Arte: Miron Soares – “Vinis &Peixes”; e Vic Esteves – “Lençol de Inverno”
Melhor Montagem: Diego Neves – “Palace, o contador de histórias”
Melhor Figurino: Julia Rocha – “Minha mãe chamava Tereza”
Melhor Atuação Principal: Felipe Saleme – “Vinis &Peixes”
Melhor Atuação Coadjuvante: João Campany – “Lençol de Inverno”
 
Saiba mais sobre o Festival: http://www.festivalverefazerfilmes.org.br/2017/
Serviço:
Beth Sanna - Crédito para fotos: Rafaella Lima
Assessoria de Comunicação do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »