26/07/2018 às 08h39min - Atualizada em 26/07/2018 às 08h39min

Conheça os novos membros da Academia Leopoldinense de Letras e Artes

Entidade empossou dois novos integrantes e outorgou título de sócio honorário ao Monsenhor Antonio José Chámel.

João Gabriel B. Meneghite - Com informações da Assessoria de Imprensa da ALLA
A Academia Leopoldinense de Letras e Artes - ALLA - é uma instituição literária e artística do município de Leopoldina, que busca promover, organizar, criar e incentivar atividades socioculturais e artísticas relacionadas a literatura, música, artes, folclore, artesanato, patrimônio histórico e cultura, entre outros.
 
Na noite desta quarta-feira, 25 de julho, a instituição realizou uma solenidade no Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira, para dar posse aos novos acadêmicos. Trata-se da musicista Elizabeth A. Castro Mendonça Fontes e do professor Waldemar Pedro Antônio. Na mesma ocasião, foi outorgado um título de sócio honorário ao Monsenhor Antônio José Chamel.
 
Estiveram presentes na solenidade o presidente Luiz de Melo Sobrinho e os acadêmicos da ALLA; os eruditos que foram empossados e seus respectivos familiares, admiradores e amigos, além de representantes de diversas entidades culturais da região. Também esteve presente o Bispo Diocesano de Leopoldina Dom José Eudes Campos do Nascimento.
Alguns dos membros da ALLA na solenidade de posse.
 
O evento contou com a apresentação do Coral São Gregório, coordenado por Monsenhor Antônio Chamel. O coro foi fundado em 1998 com objetivo de relembrar as antigas músicas religiosas cantadas em latim e em português.

Em seu discurso, o presidente Luiz de Melo Sobrinho manifestou a sua alegria com a crescimento da ALLA, ressaltando a ampliação qualitativa dos membros que fazem parte da entidade. Ele atribuiu os méritos ao Dr. Ronald Alvim Barbosa, a quem chamou de ‘presidente vitalício’, pelo fato de amadurecer e concretizar a ideia de fundar uma academia de letras.
A mesa principal foi formada pelo presidente da ALLA Luiz de Melo Sobrinho (centro), que fez a apresentação de Monsenhor Antônio José Chamel e a entrega do certificado do título de sócio honorário a ele; por José Gabriel Couto Viveiros Barbosa (E), acadêmico responsável por entregar o certificado de posse e apresentar a musicista Elizabeth A. Castro Mendonça Fontes e pelo acadêmico Cláudio Werneck Guerson (D), que apresentou e entregou o certificado para o professor Waldemar Pedro Antonio.
Elizabeth, Monsenhor Chamel, José Gabriel, Luiz de Melo, Cláudio e Waldemar.

O Monsenhor Antônio José Chamel comentou que sempre foi um admirador da literatura portuguesa e brasileira e destacou que a vocação de escritor ficou com o seu saudoso irmão Oillian José, que publicou trinta e quatro livros e pertenceu há mais de cinquenta anos a Academia Mineira de Letras.
 
Chamel revelou ainda que o seu gosto pela literatura foi estimulado por dois patronos da ALLA – o seu irmão Oillian e o seu amigo Funchal Garcia, literato e pintor, cujos livros ele tem autenticados com a sua dedicatória. “Funchal Garcia escreveu vários livros e era um homem de uma memória prodigiosa. De vez em quando recitava para mim trechos longos. Um dia ele recitou ‘A ceia dos cardeais’ tudo de cor. Ele me disse que chegou a saber 3/4 do livro ‘Os Sertões’, de Euclides da Cunha. Eu fui comprando esses livros dos quais ele recitava trechos tão agradáveis e hoje eu tenho todos. Gosto muito de ler as coisas que instruem, mas também que divertem, como a literatura brasileira e portuguesa”.
 
Ele também comentou sobre o saudoso Monsenhor Gerardo Naves, autor do Hino à Leopoldina, sugerindo que uma cadeira da ALLA tivesse o seu nome, tendo em vista que ele viveu em Leopoldina durante 23 anos e foi um poeta reconhecido internacionalmente, conquistando troféus de música em Paris.
Monsenhor Antônio José Chamel
 
Elizabeth A. Castro Mendonça Fontes expressou sua alegria de estar em Leopoldina novamente, sendo homenageada na cidade em que nasceu. “É um presente que abraço com carinho e gratidão. Espero poder contribuir para o crescimento da cultura, das letras e das artes, especialmente a música, onde trilhei o meu caminho profissional”.
 
A musicista leopoldinense comentou que a escolha do patrono foi inspirada na sua trajetória acadêmica. “Não hesitei de optar por Lia Salgado, presente em minhas lembranças e memórias afetivas, desde menina, quando comecei a estudar música no Conservatório Estadual de Música que leva o seu nome. Foi uma grande cantora lírica reconhecida internacionalmente”, frisou.
Elizabeth A. Castro Mendonça Fontes
 
Waldemar Pedro Antônio explicou que diante de várias personalidades envolvidas com a cultura leopoldinense, escolheu o patrono Vitalino Duarte. “Optei por alguém que, identificado com a arte popular, enriqueceria muita mais o meu compromisso de representar dignamente a cadeira acadêmica. Quando um artista traz embutido graficamente em seu nome o significado de plenitude da vida, uma vez que o nome VITALINO é um termo predominantemente masculino, de origem latina, que significa cheio de vida, temos que reconhecer a sua vitalidade na preservação da arte, com a participação popular. Identificando-me com as questões temáticas sobre o carnaval, uma vez que participei ativamente, durante toda a trajetória de minha vida, como membro das escolas de samba do Rio de Janeiro, desfilando como componente de agremiações e também analisando e julgando questões relacionadas com o enredo desenvolvido nos desfiles das escolas de samba, foi o que me deu a opção de escolha do carnavalesco leopoldinense”, comentou.
Waldemar Pedro Antônio
 
Quem são os novos integrantes da ALLA
 
A acadêmica Elizabeth A. Castro Mendonça Fontes, que ocupará a cadeira de número 30, é natural de Leopoldina e reside em Joinville, SC. Musicista, Bacharel em piano com licenciatura em música, especialista em Arte Educação e em Arte Terapia. Atuou como professora de educação musical, piano, flauta doce, violão e canto coral e também como flautista doce do Conjunto de Flautas Doces Compasso livre com quem gravou o CD “Sonoridades Doces para Sensibilidades Tranquilas”. É também escritora, autora dos livros infantis “História de uma Aquarela” (2013) e “Sobre os Jardins” (2014). Participou de uma série de publicações compartilhadas com outros autores, entre elas, a antologia de contos e crônicas “Elas Contam”. Atualmente dedica-se à literatura e trabalhos de voluntariado com crianças. É membro honorário da ALASFS - Academia de Letras e Artes de São Francisco do Sul e  membro da Associação das Letras e da Confraria do Escritor, da cidade de Joinville. Escolheu Lia Salgado para patrona de sua cadeira.
 José Gabriel Couto Viveiros entregando o diploma para Elizabeth. 
 
O acadêmico Waldemar Pedro Antonio, que ocupará a cadeira de número 31, é natural de Leopoldina, onde reside atualmente. Graduado em Letras pela Universidade Gama Filho e com mestrado em Letras pela PUC Rio, foi professor da Doctum e da Fupac em campi Leopoldina. É colunista do jornal Leopoldinense, com as séries Cantinho Gramatical e Cantinho Musical. Escolheu o Mestre Vitalino para patrono de sua cadeira.
Cláudio Werneck Guerson entregando o diploma para Waldemar.

O sócio honorário Antônio José Chámel é natural de São Geraldo, MG. Fez os primeiros estudos em Visconde do Rio Branco e completou sua formação no Seminário de Mariana. Sua Ordenação Sacerdotal aconteceu em Leopoldina, no ano de 1956, onde reside desde então. Aqui foi Reitor do Seminário Diocesano Nossa Senhora Aparecida, Chanceler da Cúria Diocesana, Vigário das Paróquias de Piacatuba e do Rosário, Capelão do Asilo Santo Antônio e Professor da Escola Estadual Professor Botelho Reis. É Juiz Auditor da Câmara Eclesiástica do Tribunal Diocesano de Juiz de Fora.
Monsenhor Antônio Chamel recebendo o diploma das mãos do presidente da ALLA Luiz de Melo Sobrinho.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »