18/07/2021 às 16h50min - Atualizada em 18/07/2021 às 16h50min

Leitor se manifesta contra a poluição sonora em Leopoldina

Ela surge de várias formas: desde carros de alto falantes anunciando produtos e serviços até o ronco de motocicletas equipadas com escapamento especial.

Edição> Luiz Otávio Meneghite
Charge publicada no Leopoldinense há alguns anos lembra que o problema é antigo
O leitor do Jornal Leopoldinense Guilherme Couto, envia mensagem à redação para se manifestar contra o excesso de barulho em vias públicas: Impressionante a poluição sonora em Leopoldina por carros que acham que a rua é a sua sala de estar. A Avenida Acacio Serpa é um dos locais preferidos pela galera para abrir o volume do som de seus veículos”, diz.
 
Não é a primeira pessoa que se manifesta sobre o assunto em relatos feitos ao Jornal. Em telefonemas, pessoalmente ou por e-mail, vários leitores já reclamaram do excesso de decibéis chegando aos ouvidos da população no centro e nos bairros, seja por carros equipados com aparelhos de som oferecendo os mais variados produtos ou serviços durante o dia ou simplesmente compartilhando músicas de gosto duvidoso na maior altura em horário noturno.
 
Algumas motocicletas também estão equipadas com um mecanismo que potencializa o escapamento de forma que o ronco da moto se torne ensurdecedor incomodando quem está no recesso do lar assistindo televisão ou acamado precisando do conforto do silêncio.
 
Uma informação obtida pelo Jornal Leopoldinense indica que o nível do barulho admitido nas cidades pela Organização Mundial da Saúde pode atingir até 50 decibéis, porém, o que é verificado normalmente chega a 90 e 100 decibéis. Portanto, qualquer som que ultrapasse os 50 decibéis, já pode ser considerado nocivo para a saúde. Os sons danosos que superam os níveis considerados normais pelo ouvido humano, são provenientes de diversos meios entre eles os relacionados anteriormente.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »