09/07/2015 às 08h39min - Atualizada em 09/07/2015 às 08h39min

AS FONTES ENERGÉTICAS FÓSSEIS E A VIDA DO PLANETA

A Agência Internacional de Energia, informou que, apesar da mobilização mundial dos países de maior economia para redução da emissão de CO2 no planeta,  o consumo de petróleo em 2015 será maior quando comparado ao ano de 2014: cerca de 1,1 milhões de barris de petróleo a mais por dia.  Segundo os especialistas do setor, o planeta tem hoje cerca de 1,7 trilhão de barris de petróleo em reservas conhecidas. O Brasil, com o pré sal, atinge a marca de 60 bilhões de barris. Continuando neste ritmo de consumo, o planeta tem petróleo para mais 50 anos.

 Uma outra fonte de energia fóssil muito utilizada no mundo é o carvão mineral.  As reservas mundiais conhecidas são de 850 bilhões de toneladas e deste total são utilizadas atualmente cerca de 6,5 bilhões de toneladas todos os anos, principalmente para a geração de energia elétrica. Somente a China consome metade de todo este carvão.  As reservas brasileiras atingem 32 bilhões de toneladas, mas usamos muito pouco dela.  A maior reserva mundial pertence aos Estados Unidos.

Apesar de todos os “esforços” das nações desenvolvidas, o ritmo de consumo dos combustíveis fósseis continua aumentando. De forma mais lenta, mas, continua aumentando. O que fazer para reverter este quadro? Qual deve ser o nosso papel, como cidadãos, no processo de interferência nas políticas públicas energéticas? Nenhum país quer ficar para trás no processo de desenvolvimento e crescimento econômico, nem nós. Gostamos de TV, carros, ar condicionado, ambientes iluminados, eletrodomésticos, mas para tudo isto funcionar necessita-se de energia. Quem fica satisfeito com apagões ou períodos de racionamento onde se tem períodos sem energia elétrica? Por conta disto não podemos gritar e esbravejar contra as termoelétricas que queimam milhões de litros de combustível fóssil por dia, acionadas para gerar a energia que necessitamos, considerando que no atual momento, parte das hidrelétricas não está suprindo as nossas necessidades, principalmente na região Sudeste.

Temos que cobrar dos Governos Estaduais e do Governo Federal uma mudança drástica nas políticas e modelos de geração de energia. Investimentos em geração de  tecnologia para o desenvolvimento de fontes alternativas de energia renovável nos diversos ambitos, desde as empresas e consórcios geradores e distribuidores de energia até as residências passando pelas industrias. Geração de álcool e bidiesel de menor custo de produção da matéria prima e do seu processamento. Processos economicamente viáveis e que reduzam os custos e as pressões sobre as fontes de combustíveis fósseis.

Será que realmente devemos ficar felizes com a descoberta do petróleo do pré-sal ou preocupados? Será que a nossa política energética será voltada prioritariamente para sua exploração e deixaremos de lado os investimentos em energia renovável? Cabe a nós, sociedade, cobrarmos dos governos investimentos e políticas públicas claras em relação a este tema. Energia solar, eólica, biomassa, biocombustíveis, todos os processos devem ser vistos pelos governos como prioridade. Se as nossas ações não forem mais diretas, Imaginem o nosso planeta daqui a cinquenta anos onde teremos retirado do subsolo e queimado 1,5 trilhão de barris de petróleo e 300 bilhões de toneladas de carvão mineral? Quem viver verá.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »