15/10/2015 às 20h01min - Atualizada em 15/10/2015 às 20h01min

TROCADILHOS

Cláudio Araújo

Os olhos viram,

A boca píu;

Quem muito fala

Por vezes sofre

Pra calar;

Quem está na estrada

Irá por cedo ou tarde escorregar,

Mas por certo irá se levantar;

Quem com honestidade trabalha

Constante irá carregar pedras,

Mas a conquista certa

Ninguém lhe tirará;

Quem abusa do Poder,

Pondo os pés pelas mãos

Será por ele engolido.

Mas quem nada tem

Um dia chegará sua vez de chegar a adquirir;

Mesmo "momentaneamente".

Pois o Ter é sinônimo de todo efêmero,

Assim como os ventos

Que estão em todos os lugares

E sopram em todas faces,

Jamais perde a sua simplicidade;

Hoje se está aqui,

Amanhã aculá,

E toda História

Quem conseguirá apagar!?;

Os passos ensaiados,

Os olhares trocados,

Os abraços apertados dados,

Os beijos trocados dentre sussurros,

As palavras ditas

Mesmo em tom de promessas,

Que nem sempre são cumpridas

Por quem "prometidas".

E assim as massas

São constantes enganadas.

Mas, um grito de gratidão,

Todo peito clama!...

(*) Autor dos Livros de Poesias: Horizontes de Liberdade e Fé(1999) - Estrada de Infinito e de Paz(2001) - Alumbramentos D´Alma(2010) - Antologia Nacional "Poesias Encantadas", Vol. I,(2010), Vol. IV(2012), Vol. VII(2014) - Antologia Nacional Talento Poético(2015) - Antologia Internacional Asas da Liberdade "Desde o Brasil até o Chile em Verso e Prosa(2013) - Colaborador da Imprensa Escrita do Estado de Sergipe e Além Fronteiras(1982/2015) - Sócio e Fundador do Clube dos Poetas Estancianos, Lei 19/1991 Entidade de Utilidade Pública do Município de Estância(Se), Fundado em: 24 de Fevereiro de 1991.

 

 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »