27/03/2018 às 22h01min - Atualizada em 27/03/2018 às 22h01min

Falta de tiras para medição de glicose preocupa Pastor Darci Portella

“É preciso que o Governo Municipal adote as providências necessárias para restabelecer a normalidade desse procedimento na rede municipal de saúde”, salientou o vereador.

Vereador Darci Portela
O vereador Pastor Darci José Portella, atual Presidente da Câmara Municipal, está preocupado com a falta de tiras para medição da glicose nas unidades municipais de saúde. No final de 2017, depois de ser procurado por diversas pessoas, o parlamentar encaminhou um ofício à Secretaria Municipal de Saúde solicitando informações sobre a retomada do fornecimento das tirinhas nos postos de saúde.
 
Passados quase quatro meses, a situação permanece inalterada. O vereador informou que voltou a ser procurado por cidadãos, portadores de diabetes, reclamando que as tiras de testes de glicemia não estão sendo distribuídas nas unidades municipais de saúde.
 
Em sua avaliação, Pastor Darci considera esse fato muito preocupado, já que se trata de um produto extremamente importante na realização dos exames, medida de controle de glicemia, especialmente para proteção das pessoas portadoras de diabetes que periodicamente têm que efetuar o controle da doença. “É preciso que o Governo Municipal adote as providências necessárias para restabelecer a normalidade desse procedimento na rede municipal de saúde”, salientou o vereador.
 
A Secretaria Municipal de Saúde, em resposta ao parlamentar, explicou que as unidades de saúde não dispensam tiras de glicemia, pois tal serviço fica centralizado na Farmácia Para Todos. Inicialmente, o Estado era responsável pela aquisição e distribuição das tiras de glicemia, cabendo ao município apenas dispensar as mesmas aos pacientes necessitados.
 
A partir do final de 2017, uma portaria passou para os municípios a responsabilidade de aquisição do material. Segundo Lúcia Gama, atualmente o município não tem como arcar sozinho com mais este gasto, em virtude de não receber recursos dos programas do Estado e a apropriação do mesmo de parte dos recursos federais.
 
Mesmo diante da justificativa da Secretaria de Saúde, Pastor Darci Portella disse que o cidadão não pode ser o grande prejudicado por essa transferência de responsabilidade. “Se o paciente não tem acesso ao material, pode ter seu estado de saúde prejudicado. É preciso encontrar uma solução urgente para este impasse”, concluiu o vereador.
 
Fonte> Câmara Municipal de Leopoldina
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »