13/06/2018 às 19h41min - Atualizada em 13/06/2018 às 19h41min

Empresa de Muriaé vai restaurar prédio histórico da Prefeitura de Leopoldina

Serão utilizados recursos próprios no valor de R$49.648,95 para executar a obra em regime de empreitada num prazo estimado de dois meses.

Edição> Luiz Otávio Meneghite
Foto: Luciano Baía Meneghite/04/12/2017
Foi homologado pelo prefeito José Roberto de Oliveira, o resultado da Tomada de Preços nº 004/2018 promovida pela Comissão Permanente de Licitação no Processo nº 358/2018 visando a contratação de empresa especializada, para reforma de telhado e cobertura do prédio sede da Prefeitura de Leopoldina, localizado à Rua Lucas Augusto nº 68.

De acordo com publicação feita na edição nº 2269, de 11 de junho de 2018, saiu vencedora do certame a empresa Concreta Incorporações Ltda, da cidade de Muriaé-MG, que apresentou o valor de R$49.648,95 para executar a obra em regime de empreitada num prazo estimado de dois meses. 

A Prefeitura utilizará recursos próprios na recuperação do prédio histórico que já apresenta sinais visíveis de queda de reboco na sua fachada.

Prédio foi construído logo após criação do município no Século XIX

Segundo os pesquisadores e historiadores José Luiz Machado Rodrigues e Nilza Cantoni o edifício onde está instalada a Prefeitura Municipal de Leopoldina teve sua construção iniciada na década de 1860 pelo capitão João Gualberto Ferreira Brito, para residência de sua grande família.

Foi adquirido por José Cesário de Castro Monteiro de Barros, provavelmente antes de concluída a construção. José Cesário de Castro Monteiro de Barros foi casado com sua parenta Augusta Cândida Monteiro de Rezende com quem teve uma única filha, Maria da Purificação Rezende Monteiro de Castro, que por sua vez casou-se com seu parente Quirino Ribeiro Monteiro de Rezende e este casal não teve filhos.

Em abril de 1895, decreto do Agente do Executivo autorizou a abertura de um crédito extraordinário para complementar outro anteriormente votado, e com o qual se faria a compra de um prédio para a Câmara Municipal.

Foi escolhido este prédio, que se encontrava sem moradores desde o falecimento de seu último proprietário. A venda do prédio para o município foi realizada por Quirino Ribeiro Monteiro de Rezende.
Em maio de 1895 a Câmara Municipal transferiu-se para o palacete, localizado na então rua Primeiro de Março, que até 1881 chamava-se Teóphilo Otoni e era um prolongamento da rua Direita, sendo atualmente a rua Lucas Augusto.

Até o início do ano de 2007, o prédio abrigou os poderes Legislativo e Executivo do Município (Câmara e Prefeitura).
 
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »