01/08/2018 às 09h41min - Atualizada em 01/08/2018 às 09h41min

Por fora bela viola...

Tudo que vive só de fachada não se sustenta para sempre.

Fotos: João Gabriel Baía Meneghite
Luciano Baía Meneghite

Por encomenda da Maria Lúcia Braga construi com minha mãe o boneco gigante de um violeiro para o 15º Festival de Viola e Gastronomia de Piacatuba. Como sabem além do patrocínio do governo de Minas Gerais e Energisa ao evento, há também o apoio da Prefeitura de Leopoldina e outras empresas. Que bom que há esse apoio, que mesmo pequeno, ajuda a pagar o investimento.  Porém, na terça-feira, 24, ao levar a escultura para Piacatuba, entrei no Casarão do século XIX adquirido anos atrás pelo Município para funcionar como Centro Cultural. Dá pena ver o estado em que se encontra o prédio. Escoras improvisadas sustentam as vigas de madeira do assoalho do segundo pavimento. Além disso, trincas em diversos pontos deixam claro que há risco de desabamento da construção.

Como afirmou o arquiteto leopoldinense Eduardo Soares, em entrevista ao jornal Leopoldinense publicada na edição nº344 de 1º de dezembro de 2017, “Piacatuba já perdeu vários exemplares imóveis e o que resta não é sequer protegido contra sinistros.”

Ele alertou que o Município de Leopoldina perde repasses de verbas por não proteger adequadamente seu patrimônio.

Sabemos da boa vontade de alguns funcionários municipais e que há muito que fazer, mas isso depende de decisões políticas. Tudo que vive só de fachada não se sustenta para sempre. A estrutura tem que ser boa, senão um dia desmorona. O tempo joga contra e pode ser tarde quando resolverem agir.

À esquerda do bazar no primeiro piso as escoras de madeira que sustentam vigas comprometidas

No segundo andar não há nada além de trincas nas paredes


À esquerda ao lado da escola o casarão visto na primeira metade do século XX

(Autor desconhecido - Memória Leopoldinense)

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »