17/01/2021 às 14h00min - Atualizada em 17/01/2021 às 14h00min

Marco histórico da Rio Bahia continua jogado à margem do córrego Três Cruzes

Não se trata apenas de um pedaço de pedra, e sim de um símbolo que representa a existência de Leopoldina à margem de uma das maiores rodovias do país.

Luiz Otávio Meneghite
O mrco histórico está jogado à margem do córrego Três Cruzes (Arquivo- jornal Leopoldinense)
O granito que ilustra este texto serviu por muitos anos como um marco histórico instalado num canteiro rotatório que fica nas imediações de onde é hoje a entrada do Vila Fonte na rua José Peres.
 
Nele existia uma placa que registrou a visita a Leopoldina do então Presidente da República Getúlio Dorneles Vargas, durante inspeção das obras de construção da rodovia Rio-Bahia que por ali passou por muitos anos, até que teve seu trânsito  desviado do centro da cidade, pelo trecho rodoviário que vai do Posto da Polícia Rodoviária Federal ao viaduto do Bela Vista.
 
Devidamente autorizado pela Prefeitura de Leopoldina há muito anos, o marco histórico foi retirado para dar lugar a um espaço publicitário e hoje está jogado à margem do córrego Três Cruzes próximo à entrada de uma empresa de madeiras. Por sorte, ainda não foi quebrado.
 
Apesar de várias publicações feitas pelo Jornal Leopoldinense, provocadas por mensagens de seus leitores, sugerindo a reinstalação do marco em seu local de origem nada foi feito e a pequena placa de bronze que a identificava, acabou sumindo por puro vandalismo.
 
Na nossa opinião, não se trata apenas de um pedaço de pedra, como alguns a ele já se referiram, e sim de um símbolo que representa a existência de Leopoldina à margem de uma das maiores rodovias do país, em cujas margens, em nosso território, hoje estão instaladas importantes empresas que movimentam a economia local, além de ser um facilitador do acesso ao turismo municipal.


Durante anos ele ficou instalado neste canteiro à rua José Peres

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »