13/07/2016 às 13h28min - Atualizada em 13/07/2016 às 13h28min

Cantinho das curiosidades

WALDEMAR PEDRO ANTÔNIO
O  “ Cantinho  das  Curiosidades  “  substituirá  , temporariamente ,  o “   Cantinho   Poético  “  que retornará  depois  de algumas edições publicadas  sobre as  curiosidades . Nossa  intenção  neste novo espaço , cedido gentilmente pelo Jornal Leopoldinense ,   é historiar  algumas  DESCOBERTAS  e  esclarecer  os  significados  dos  DITOS  POPULARES , parte  do  nosso  folclore . Objetivando  clarificar   algumas curiosidades de nossos leitores  ,  este  CANTINHO  agradece  , antecipadamente ,  o interesse  de  todos  em  nosso  trabalho .

INVENÇÃO DA IMPRENSA 
                
       Em  meados  do  século  XV  ,  inaugurou-se  na  Europa  nova  era  de  progresso . Igualando-se aos eclesiásticos  e  nobres , queria  o povo  participar  de  todos  conhecimentos da  sociedade .  Tudo  estimulava  a  multiplicação  dos  manuscritos .  Foi  então  que  surgiu  JOHANN  GUTENBERG  ,  fundidor  e  ourives  de  Mainz  (  Alemanha  ) ,  com  sua  invenção  genial  da  imprensa  , feita  em  1436 .  GUTENBERG  fundiu  isolados  tipos  de  chumbo , que  depois reuniu  na  ordem  adequada  e  colocou  numa  prensa  de  imprimir . As  letras  podiam  ser novamente  usadas  mais  tarde .  A  primeira  obra  impressa  de  GUTENBERG  ainda  hoje é exemplar ,  não  foi superada  no tocante à  execução  técnica  e  à  beleza  do  estilo . Este  processo  possibilitou  o desenvolvimento rápido da impressão  de livros  e jornais . Nenhum outro invento  influenciou  tanto o progresso do  pensamento humano , nem promoveu de melhor forma  a  educação  popular . Antes da invenção  da imprensa , os livros  escritos  em  pergaminho  eram tão caros  que  apenas pessoas ricas  podiam  aprender a ler e a escrever.  O  grande feito de GUTENBERG  criou , do dia para noite , novas e gigantescas possibilidade : todas as camadas populares podiam apossar-se do saber.

COR DE BURRO QUANDO FOGE

           Nos estudos  semânticos , há uma investigação sobre as alterações  de sentido devido à confusão na identidade  de sons a que chamamos  CORRUPTELA .  A  frase  original era  “ Corra  do  burro  quando  ele  foge “. Tem  sentido porque  o  burro enraivecido  é  muito  perigoso . Tradicionalmente na oralidade o povo  no constante uso da expressão foi  modificando a frase que sofre uma corruptela do sentido original , na substituição do termo “ CORRA “ por  “  COR  “ ,  ocasionando  o  ditado :  “  COR  DE  BURRO  QUANDO  FOGE  “ .
 
PROGRESSO DA ARTE DE ESCREVER

       Da  antiga  escrita  de  figuras ,  usadas  pelos  chineses  e egípcios ,  originaram-se  as escritas de  palavras  e  sílabas .  Os  fenícios  formaram ,  com diversas consoantes ,  uma  escrita de palavras e sílabas . Esse  alfabeto  fenício  tornou-se  o ponto  de partida  de  quase todas  as escritas  dos povos  cultos  modernos .  Os  gregos  receberam-no  também  dos  fenícios ,  e  completaram pelo  acréscimo  das  vogais .  A  escrita  grega  tornou-se ,  por  isso ,  o  modelo  para  o  desenvolvimento das  formas  europeias  de  escrita . A  denominação  ALFABETO   deriva dos  nomes  dos  dois primeiros  sinais da  coleção  de letras  gregas  :  “ ALFA  e  BETA “ .

AMOR PLATÔNICO

        Platão era aluno de Sócrates. Tentando entender o motivo pelo qual seu grande mestre havia se matado, ele propõe a existência de dois mundos: um chamado mundo sensível, aquele que você percebe com os cinco sentidos, e outro chamado mundo inteligível, que você só pode perceber com a inteligência, a mente. O mundo sensível é apenas um reflexo do que há de bom no mundo inteligível. O amor perfeito só existe na mente das pessoas, mas o amor real (que se toca, se vive) pode ter falhas. Por isso, quem não vive o amor real, fica só na imaginação, vive um Amor Platônico.

SALVO PELO GONGO
 
O ditado tem origem na Inglaterra. Lá, antigamente, não havia espaço para enterrar todos os mortos. Então, os caixões eram abertos, os ossos tirados e encaminhados para o ossário e o túmulo era utilizado para outro infeliz. Só que, às vezes, ao abrir os caixões, os coveiros percebiam que havia arranhões nas tampas, do lado de dentro, o que indicava que aquele morto, na verdade, tinha sido enterrado vivo (catalepsia – muito comum na época). 

Assim, surgiu a idéia de, ao fechar os caixões, amarrar uma tira no pulso do defunto  que passava por um buraco no caixão e ficava amarrada num sino. Após o enterro, alguém ficava de plantão ao lado do túmulo durante uns dias. Se o indivíduo acordasse, o movimento do braço faria o sino tocar. Desse modo, ele seria salvo pelo gongo. Atualmente, a expressão significa escapar de se meter numa encrenca por uma fração de segundos.
 
ORIGEM DA RETÓRICA
 
    A  oratória  (  retórica )  era ,  na  Antiguidade ,  zelosamente  cultivada ,  pois  a  palavra   era  uma  arma  importante  nas  lutas  políticas .  Ainda  não havia  jornais ; a  palavra  era  o melhor  meio  de  se  influir  sobre  o  povo.  Existiam  inúmeras  obras  que  ensinavam  a  eloquência  ; os  jovens  gregos  preparavam-se  para  oradores  com  professores  de  oratória .  Estadistas , políticos e chefes  militares  da  Antiguidade  aprendiam  esta  arte .  Os  primeiros  professores  de  oratória  foram  os  “ sábios “     (  sofistas ) .  Aristóteles  (  verdadeiro  fundador  da  retórica  como  ciência ) , Cícero  ,  Quintiliano  escreveram  minuciosas  obras  didáticas  a  respeito. Os  alunos  desses  mestres  da eloquência  aprendiam  a  maneira  de  apresentar  os  fatos  aos  ouvintes , de  modo  claro  e  incisivo ;  pois  o  objetivo  da  eloqüência  é  convencer  os  de  opinião  contrária  e  conquistar  adeptos .
 
FAVAS CONTADAS 
 
                De acordo com o pesquisador Câmara Cascudo, antigamente, votavam-se com as favas brancas e pretas, significando sim ou não. Cada eleitor colocava o voto, ou seja, a fava, na urna. Depois vinha a apuração pela contagem dos grãos, sendo que quem tivesse o maior número de favas brancas estaria eleito. Atualmente, significa coisa certa, negócio seguro.
  
ALGUNS  DITADOS  POPULARES  E  SUAS  DEVIDAS  CORREÇÕES
 
1º. Caso :  “  QUEM  TEM  BOCA  VAI  A  ROMA  “ ,  corruptela  de  : “  QUEM  TEM  BOCA  VAIA   ROMA “ .  (  do  verbo  VAIAR ) .
 
2º.  Caso :  “  Esse  rapaz  não  para  quieto ,  parece  que  tem  bicho  carpinteiro “ ,  corruptela  de  :  “  Esse  rapaz  não  para quieto , parece  que  tem  bicho  no  corpo  inteiro  “ .
 
3º. Caso :   “  Batatinha  quando  nasce , esparrama  pelo  chão “ ,  corruptela  de  “  Batatinha  quando  nasce , espalha  rama  pelo  chão “ .
 
4º.  Caso :  Quando  alguém é  muito  parecido  com  outra  pessoa ,  diz  :   “  CUSPIDO  E  ESCARRADO “ ,  corruptela  de  “  ESCUPIDO  EM  CARRARO  “ .  ( tipo  de  mármore  ) .
 
5º.  Caso :  “  Quem  não  tem  cão  ,  caça  com  gato  “ ,  corruptela  de  “  Quem  não  tem  cão  ,  caça  COMO  gato “  .  ( ou  seja , sozinho  , esgueirando , astutamente , traiçoeiramente ) .
            
 
Waldemar  Pedro  Antonio
e-mail  :   [email protected]
 
 
 
CONSULTAS  BIBLIOGRÁFICAS :
 
KAISER  , Bruno .  10.000   Anos  de  descobertas , editora  Melhoremento , São  Paulo .
 
WWW.portalencarnado.com.br / origem  de  expressões  e  ditos  populares  htm . Professor  Pascoale 
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »