12/09/2016 às 08h32min - Atualizada em 12/09/2016 às 08h32min

Memórias de um Sargento de Milícias 'Manuel Antônio de Almeida

Por Waldemar Pedro Antônio

      Manuel Antônio de Almeida  viveu em meados do século XIX, quando o  Romantismo brasileiro estava no auge. Sua carreira foi interrompida por uma morte precoce, mas o escritor deixou uma marca profunda em nossa literatura: o  romance  Memórias de um Sargento de Milícias  “ . Considerada  à  parte  entre as demais  obras  do  Romantismo ,  por  seus  traços  realistas ,   Memórias  de  um  Sargento  de  Milícias  se  nos  afigura  um  romance  social ,  movimentado  por  acontecimentos que  abarcam  numerosos  tipos  humanos ,   entrecortado  por  documentação  abundante  de  costumes  que  caracterizam  uma  época.

     Dois  quadros  são observáveis  no  romance :  social  estático  , um  representado pelo  elemento  de  costume ; o  outro , humano  que dinamiza  o  primeiro através  dos  personagens . Temos  ,  assim ,  um  romance  carregado  de documentação  social , que  ora  se  dilui  no  enredo , ora  nos  é  descrita especificamente  num  só  capítulo, dando-nos um  panorama  vivo  do “  tempo  do  rei “, isto é , do  Rio  de  Janeiro  na  época  de  D.  João  VI .

   O  estilo  é  de  grande simplicidade  e  tenta  aproximar-se da  fala  corrente , reproduzir  a  língua  coloquial  do  povo .  Neste  particular , Memórias  é  o  mais  natural  de  todos  os  livros do  Romantismo ,  em  que  pese algumas  incorreções  gramaticais .

   As aventuras de Leonardo, herói das Memórias de um Sargento de Milícias ,  filho de Leonardo Pataca e de Maria da Hortaliça, são o núcleo da narrativa. Seus pais, imigrantes portugueses, conheceram-se a bordo do barco que os trouxe ao Brasil, depois de uma pisadela no pé direito e de um  beliscão .  O nascimento de Leonardo foi inevitável sete meses  depois .  Maria da Hortaliça não era fiel  a seu companheiro. Depois de flagrá-la com alguém que escapa pela janela, Leonardo Pataca, num assomo de raiva, chuta o pequeno Leonardo para fora de casa e perde Maria, que foge. Apesar de abandonado pelos pais,  Leonardo  conta — não só nesse momento, mas ao longo de toda a vida — com a proteção e o afeto de várias personagens: expulso de casa, passa a viver com o padrinho, que era barbeiro e que cuida dele durante anos. Sua madrinha, parteira e “papa-missas”, também o  ajudará . Irrequieto   desde  a  infância , Leonardo perturba  o  padrinho com  suas  traquinagens e se  envolve em  uma  série  de aventuras  que  se  passam na  época .  Afeiçoado pelo menino, o barbeiro fazia vistas grossas às suas malandragens. O plano do padrinho era que Leonardo fosse clérigo. Porém, na escola, ele era o gazeteador-mor de sua sala — o aluno que mais “matava” aulas —, que diariamente tomava bolos do professor; na Igreja, como coroinha, com  um outro pequeno sacristão, fazia todo o tipo de travessuras: vingou-se de uma vizinha que não gostava dele e expôs publicamente o caso do reverendo com uma cigana.
       
       Após  uma  visão  analítica  da  obra  passemos  ao  enredo  da  narrativa    “  Memórias  de  um  Sargento  de  Milícias  “  conta a história de Leonardo, que quando era pequeno só sabia aprontar travessuras e quando cresceu virou um sargento de milícias. São personagens : a sua mãe, Maria da Hortaliça; seu pai, Leonardo Pataca; seu padrinho, o barbeiro e sua madrinha. Quando seus pais brigaram, ele foi morar com o Padrinho que tentou educá-lo para que fosse padre. Contudo, o Padrinho não obteve sucesso em seus planos, pois o menino só sabia fazer brincadeiras e travessuras. O padrinho, com muita paciência com o menino, conseguiu que ele ficasse na escola por mais dois anos. Assim, Leonardo aprendeu a ler muito mal e a escrever pior  ainda. Depois de crescer mais um pouco conheceu Luisinha, neta de D. Maria, que logo se apaixonaram, só que José Manuel ,um conhecido da família , pediu Luisinha em casamento para roubar sua fortuna , e Leonardo já sabia disso e faria tudo para impedir o casamento. Contou ao padrinho e a madrinha o interesse dele, então a madrinha logo foi contar para a D. Maria que o expulsou de sua casa e proibiu o casamento. Dias depois, seu padrinho caiu gravemente enfermo e em três dias após  morreu deixando uma herança para Leonardo, pois quando era mais novo herdou a herança do capitão do navio que estava para morrer. E então, com interesse no dinheiro do filho, Leonardo  Pataca convidou seu filho para morar com ele mas não demorou muito tempo para começar a primeira briga e então Leonardo fugiu de casa e encontrou seu velho amigo e se apaixonou por Vidinha  Envolve-se com a mulata Vidinha e passa a sofrer as perseguições do Major Vidigal, caçador dos ociosos do Rio de Janeiro. Para não ser preso, é forçado a se alistar.  
     A experiência militar não é menos problemática: continua a participar de arruaças e desobedece seguidamente o  Major. Por isso, acaba preso. Consegue a liberdade graças à ação de uma ex-namorada de Vidigal, Maria Regalada, que lhe promete, em troca, a retomada do antigo afeto. Leonardo não só é solto, como é promovido a sargento da tropa regular. Reencontra-se com Luisinha, então recém-viúva, e os dois reatam o namoro. Ainda com a ajuda do Major Vidigal, Leonardo se torna sargento de milícias e obtém permissão para se casar. 

  Ao  analisarmos a  leitura  de  “ Memórias  de  um  sargento  de  Milícias  “ ,  percebemos  claramente estarmos  diante  de  uma  obra  de  valor excepcional .  Isto , tanto  pelo  que  apresenta  de  documentação  social  e  humana  de  uma  época  como  pela  forma ,  vazada  na  linguagem  simples  , fácil  e  colorida  de  Manuel   Antônio  de  Almeida .

Waldemar   Pedro  Antonio                                               
email :  [email protected]

PIRES , Maria  Lúcia  Soares .  Artigo  sobre  “ Memórias  de  um  Sargento  de  Milícia “ .
                                              S .  Paulo ,  Coleção  Jabuti ,  1969.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »