15/03/2016 às 09h05min - Atualizada em 15/03/2016 às 09h05min

Número ideal de candidatos a prefeito

Caros leitores, esse tema é um tema muito importante e bastante polêmico. Uns defendem a polarização entre dois candidatos, outros um número grande de candidatos.

O que posso afirmar é que ambos têm suas razões e também seus erros. No caso da polarização, é evidente que é melhor para a oposição que não conta com a máquina pública, assim pode unir forças para vencer. Já que mesmo sem querer diretamente, a máquina pública inevitavelmente acaba beneficiando quem está no poder. Isso em qualquer lugar do Brasil, pois as leis são frágeis e a fiscalização pior ainda. Para a situação o ideal é um número bem grande de candidatos, pois existe uma fragmentação dos votos que acaba beneficiando a situação que já conta com seus simpatizantes. Mas, e, para quem mais importa: a população?

Pessoalmente penso que mais importante do que o número de candidatos a prefeito é a qualidade dos candidatos e também, dos eleitores. Explico: 1, 2, 3 ou 4 candidatos não é o mais importante. O mais importante é que o eleitor seja bem informado e educado para votar com equilíbrio e analisando a vida pregressa da pessoa que se dispõe a comandar o município pelos próximos 04 anos. A vida pregressa não se refere apenas a processos, escândalos e denúncias de corrupção, mas também a compromissos assumidos em eleições passadas e à conduta pessoal do candidato dentro da sociedade. Nossa cidade é pequena, fato que facilita o conhecimento da vida pregressa de cada um. Por outro lado, sabe-se que a maioria de nosso povo tem a memória muito curta.

Entendo que alguns comentários de especialistas ilustram bem o que acabei de dizer. Para o ex-diretor da União dos Vereadores do Brasil (UVB), Sebastião Misiara “o candidato não pode “sair do nada”. “Se um bombeiro salvou a vida de uma criança, virou notícia local, estadual e nacional, nem por isso vai ser um bom vereador ou prefeito” .

Para o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski,: “Apenas boas ideias também não bastam para o candidato a prefeito. Quem se candidata a dirigir um município tem que ser um bom gestor: conhecer as leis, o orçamento, ter boa capacidade de avaliação e criatividade”. 

Finalizando, concluo, que em minha opinião é de grande importância que o eleitor tenha um maior número de opções, Acho 04 um bom número, por isso toda cidade deveria ter segundo turno. Mas como hoje isso não é realidade, não vejo nada demais colocar vários nomes à disposição da população e, como acontece, por exemplo, em outros países aqueles que forem menos aceitos pela população durante o processo eleitoral saiam da disputa dando seu apoio a outro candidato. Assim teremos uma espécie de segundo turno dentro do processo eleitoral normal. Mas faço questão de reforçar minha convicção de que o mais importante é o voto de qualidade e também que as vaidades pessoais deem lugar à vontade popular e ao que é melhor para nossa cidade.

(*) Bacharel em Direito pela Faculdades Doctum,  Habilitado pela OAB/MG; Especialista em Direito Público pela Universidade Cândido Mendes/Plenarius; Extensionista no curso LFG, Oficial de Justiça Avaliador do TJMG; Eletrotécnico formado pelo Cefet-MG; pós graduando em Direito penal e processo penal pela Universidade Cândido Mendes/Prominas e colunista do GLN.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »