08/05/2016 às 10h37min - Atualizada em 08/05/2016 às 10h37min

Quem vai presidir o Brasil?

Quem vai presidir o Brasil?

Paulo Lucio – Carteirinho

Caso se confirme, o afastamento temporário ou até mesmo o impeachment de fato da presidente Dilma, quem vai presidir o Brasil? Uma pergunta que parece fácil. Mas não é tão fácil assim. Tendo em vista a linha sucessora que temos.

O primeiro da lista é o vice-presidente Michel Temer (PMDB). Temer responde pelos mesmos atos praticados pela Dilma, as pedaladas fiscais e os decretos suplementares, há inclusive pedido de impeachment tramitando no congresso. Além disso, é um dos investigados na operação Lava Jato. Já dá para ouvir os gritos: Fora Temer! Logo, não se sabe se exercerá o cargo por muito tempo.

O segundo da lista seria o presidente do Congresso, Eduardo Cunha. Mas esse é carta fora do baralho. Os ministros do STF sabendo o mal estar que isso causaria fizeram uma intervenção afastando Eduardo Cunha da presidência e suspendendo seu mandato. Vale destacar que Cunha continua como deputado e presidente, tendo em vista que somente os deputados podem cassar seu mandato. A intervenção do SFT está sendo muito criticada por muitos deputados e juristas, que alegam que o Judiciário não pode intervir no Legislativo. Tendo em vista que os poderes são independentes. Ao tomar essa medida, o SFT rasgou a constituição. Cunha foi vítima de um golpe (rsrsr). O feitiço virou contra o feiticeiro. Tchau querido!

O afastamento de Cunha criou mais problema na polêmica linha sucessora. Trazendo mais dúvidas. O vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão, poderá fazer parte da linha sucessora? Para alguns sim, já que ele preside o Congresso. Para outros não, tendo em vista que presidente continua sendo Eduardo Cunha e a constituição prevê que o vice-presidente da Câmara faça parte da linha sucessora. Pelo visto, mais um caso para o STF. Por falar no STF, Waldir Maranhão também está sendo investigado na operação Lava Jato. Isso pode Arnaldo?

O terceiro sucessor é o presidente do Senado, , Renam Calheiros (PDMB), outro que está sendo investigado na operação Lava Jato. Volto a fazer a pergunta: Isso pode Arnaldo?

O último da lista sucessora é o presidente do STF, Ricardo Lewandoski. Pelo andar da carruagem chegaremos nesse ponto. Tendo em vista a linha sucessora. Além de que, nada me tira da cabeça que o judiciário está apoiando esse golpe. Isso ficou claro na operação Lava Jato. Com os vazamentos seletivos. Perseguição ao ex-presidente Lula. Deixando de lado essa questão, voltando a sucessão do STF, vale destacar que teremos mudanças no supremo, que passará a ser presidido pelo ministro Gilmar Mendes. Já imaginaram Gilmar Mendes presidente do Brasil?

Como podem notar, o impeachment não é tão simples assim. O Impeachment por si próprio é traumático. Agora, um impeachment sem base jurídica e com essa linha sucessora é muito mais traumático. Logo, podemos dizer que é golpe.

O impeachment não resolverá a crise política. Pelo contrário, aumentará ainda mais. Automaticamente, aumentará a crise econômica. Além de não resolver nossos problemas políticos e econômicos, não resolve também a corrupção. Afinal, estamos retirando uma presidente honesta, onde não se comprovou crime praticado, e no se lugar estamos colocando pessoas que respondem a processos na justiça.

Finalizo com a pergunta do título: Quem vai presidir o Brasil? 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »