30/01/2017 às 10h00min - Atualizada em 30/01/2017 às 10h00min

Duas vozes fixadas na alma e na lembrança: Neil Sedaka e Ray Charles

WALDEMAR PEDRO ANTÔNIO

Há  canções  que  se  perpetuaram  na  memória  ,  conservando  um  passado  vivo  e  maravilhoso  na  lembrança  daqueles  que  curtiram  um  momento  de  grande  felicidade  musical . Neste  espaço  , relembraremos  duas  magníficas  vozes  que  estiveram  presentes  em  nossa  juventude e  fixaram  em  nossas  almas  uma  suave  musicalidade :  “  NEIL  SEDAKA  e  RAY  CHARLES  “ .
       O  CANTINHO  MUSICAL  inicialmente  abordará  algumas  informações  sobre  esse  astro  da  canção  que  marcou  um   momento na  vida de  muitos  fãs  nos  anos  50  e  60 :  NEIL  SEDAKA .        A  história do Rock N 'Roll seria incompleta sem as  inúmeras contribuições de Neil Sedaka. Por mais de 50 anos, Neil escreveu, realizou, produziu e inspirou  inúmeras canções, e seu cânone de composições      continuará a resistir ao teste do tempo.

    
  Nasceu em Brooklyn, New York, no dia 13 de março de 1939. Cantor, pianista e compositor americano geralmente associado com o Brill Building. Seu interesse pela música iniciou ,  quando ele começou a ouvir The Ballroom Make-Believe.  Não era Rock and Roll,  mas a música clássica que se forma em Neil o músico que é hoje. A voz de Sedaka é identificada com a de tenor. O maior sucesso de Neil é a canção " Oh Carol"  de 1959.  É  justamente  com  essa  canção  que  , na  “ Era  do  Rádio “  ficou  mais  tempo  nas  paradas  de  sucesso , ocupando sempre a  preferência  dos  ouvintes  e  formando  um  fã  clube  invejável , por  onde  iniciaremos algumas peças de Neil .  Sentindo-se  profundamente  apaixonado,  extravasa, na  canção de  grande  sucesso,  uma  declaração  amorosa , apesar  de  ser  destratado , tornando-se  um  sofredor  desse  grande  amor e  utilizando  uma  forma  exclamativa de  expressar  sua  paixão  à  mulher  amada : “ OH ! CAROL  “ .  [ “ / Ahh ahh /  Oh! Carol /   I am but a fool / darling i love you / though you treat me cruel / You hurt me / and you made me cry / but if / you leave me / I will surely die / Darling, there will never be another / 'cause i love you so / don't ever / leave me / say you'll never go / I will always want you for my sweet / heart / no matter what you do /     oh! Carol / i'm still in love with you / Oh! Carol / I am but a fool / darling i love you / though you treat me cruel / You hurt me / and you make me cry / but if you leave me / I will surely die / Darling, there will never be another / 'cause i love you so / don't ever leave me / say you'll never go / I will always treat you as my / sweet heart / no matter what you do / oh! Carol / I'm still in love with you / “ .  ]  .

Houve  uma  bela  época  em  que  as  meninas  cultivavam  suas  primeiras  paixões  registrando  em  seus  diários  o  nome  do  menino  amado . Esta  canção  versa  exatamente  sobre  esse tema  em  que  há  uma  enorme  preocupação do  garoto  saber  se  seu nome  está  registrado  nas  linhas  amorosas em    “  THE  DIARY   “  .   [ “  /  Ah, ah, ah, ah)  / (Whoa-oh-oh-oh-oh-oh, oh-oh-oh)  / How I'd like to look into that little book  / The one that has the lock and key  / And know the boy that you care for  / The boy who's in your diary  / When it's late at night what is the name you write?  / Oh, what I'd give if I could see  / Am I the boy that you care for?  / The boy who's in your diary  / Do you recall and make note of all  / The little things I say and do?  / The name you underline, I'm hoping that it's mine  / Darling, I'm so in love with you-oo  / Please don't leave me blue, make all my dreams come true  / You know how much you mean to me  / Say I'm the boy that you care for  / The boy who's in your di-a-ry  / (Whoa-oh-oh-oh-oh-oh, oh-oh-oh)  / (Whoa-oh-oh-whoo-ooh-ooh-ooh-ooh)  / (Whoo-ooh-ooh-ooh) / . “  ]  .  

Na  canção  há  uma  leve  lamentação  pelo  abandono  da  mulher  amada e , agora,  sentindo-se  solitário ,  parte , sem  perspectiva  de  retorno , para blues ,  gênero  da  canção  melancólica dos  negros  norte- americanos : “   ONE  WAY  TICKET  (  TO  THE  BLUES  )  “  .  [ “  /  Choo, choo train chuggin' down the track / Gotta travel on, never comin' back / Oh, oh got a one way ticket to the blues / Bye, bye love my baby's leavin' me / Now lonely teardrops are all that I can see / Oh, oh got a one way ticket to the blues / Gonna take a trip to lonesome town / Gonna stay at heartbreak hotel / A fool such as I that never learns / I cry a tear so well / Choo, choo train chuggin' down the track / Gotta travel on, never comin' back / Oh, oh got a one way ticket to the blues / Oh, oh got a one way ticket to the blues / Gonna take a trip to lonesome town / Gonna stay at heartbreak hotel / A fool such as I that never learns / I cry a tear so well / Choo, choo train chuggin' down the track / Gotta travel on, never comin' back / Oh, oh got a one way ticket to the blues / ( 3 X ) / . “  ] 

A  mensagem  desta  canção   é  uma  verdadeira  confissão  de  amor  , exteriorizando   uma  preocupação  do  amado  em  fazer  essa  grande  e  pura  paixão  amorosa   eternizar-se ,  pois   “  YOU  MEAN  EVERYTHING  TO  ME  “  .  [ “  /  You are the answer to my lonely prayer / You are an angel from above / I was so lonely till you came to me / With the wonder of your love. / I don't know how I ever lived before / You are my life, my destiny / Oh my darling, I love you so / You mean everything to me / If you should ever, ever go away / There would be lonely tears to cry / The sun above would be never shine again / There would be teardrops in the sky / So hold me close and never let me go / And say our love will always be / Oh, my darling, I love you so / You mean everything to me / 9 BIS ) / . “   ]   .   


Compor  uma  bela  canção  em  exaltação  a  uma  escalada  do  tempo  observado  em  etapas  no  crescimento  de  sua  amada agora  já  tornando-se  uma  adolescente  bela  diante  do  olhar do  amado  em  “  HAPPY  BIRTHDAY  SWEET  SIXTEEN  “  .  [ “  / Tra la-la-la-la la-la-la-la / Happy birthday sweet sixteen / Tra la-la-la-la la-la-la-la / Happy birthday sweet sixteen / Tonight's the night I've waited for / Because you're not a baby anymore / You've turned into the prettiest girl I've ever seen / Happy birthday sweet sixteen / What happened to that funny face / My little tomboy now wears satin and lace / I can't believe my eyes you're just a teenage dream / Happy birthday sweet sixteen / When you were only six I was your big brother / Then when you were ten We didn't like each other / When you were thirteen You were my funny valentine / But since you've grown up Your future is sewn up / From now on you're gonna be mine, so / If I should smile with sweet surprise / It's just that you've grown up before my very eyes / You've turned into the prettiest girl I've ever seen / Happy birthday sweet sixteen / REPEAT LAST VERSE / Tra la-la-la-la la-la-la-la Happy birthday sweet sixteen ( 3X ) / . “ ]

  .    A  outra  face  da  moeda  musical  de  enorme  valor  é   RAY  CHARLES  a  quem  faremos  homenagem,  apresentando  algumas  canções  que  marcaram e  marcam  presença  em  nossas  memória . Antes  porém  uma  pequena  demonstração  biográfica  deste  maravilhoso  artista . Ray Charles nasceu  em  Albany, no  dia  23 de  setembro  de  1930  , vindo  falecer em  Los Angeles  em  10 de  junho  de  2004 .  Foi um  pianista  norte-americano, pioneiro e cantor de  música  soul, blues, jazz que ajudou a definir o seu formato ainda no fim dos anos  50  , além de um inovador intérprete de R&B. . Ray Charles não nasceu cego. Ele ficou totalmente cego aos sete anos de idade.  Charles nunca soube exatamente por que perdeu a visão, apesar de existirem fontes que sugerem que sua cegueira era devido a  glaucoma  , enquanto outras fontes sugerem que Ray começou a perder a sua visão devido a uma infecção provocada por água com sabão nos seus olhos, que foi deixado sem tratamento.  Órfão na adolescência, Ray Charles iniciou a sua carreira tocando piano e cantando em grupos de gospel  , no final dos anos  40  . A princípio influenciado por  Nat King Cole  , trocou o gospel por baladas profanas . O filme Ray, de  2004  , interpretado por Jamie  Foxx, vencedor do Oscar  pelo papel,  conta a vida do músico, partindo do momento em que deixa sua casa em direção a Seatlle , para tentar a carreira profissional, até o sucesso e o vício da heroína   e sua luta para se livrar dela, intercalando inúmeros flash-backs, onde o protagonista relembra os conselhos de sua mãe e momentos de sua infância, quando perdeu seu irmão (que morreu afogado) e quando ficou cego.


  Iniciaremos  a pequena  amostra  musical  deste  magnífico  cantor com  um  de  seus  maiores  sucessos  que  está  perpetuado  na  memória  daqueles  que curtiram e  curtem  as  canções  de  Ray  Charles . Esta  magnífica  produção  musical  é  mais  um  tema  que  aborda  amor  e  solidão motivados  pela  separação . A  canção expressa uma  paixão imensa que  viveu  no  passado e que  agora  vivencia  com muito  sofrimento  na  sua  memória , porque   “   I Can't Stop Loving You “  .  [ “ /  (I can't stop loving you)  / I've made up my mind  / To live in memory of the lonesome times  / (I can't stop wanting you) ; / It's useless to say  / So I'll just live my life in dreams of yesterday  / (Dreams of yesterday)  / Those happy hours that we once knew / Tho' long ago, they still make me blue  / They say that time heals a broken heart  / But time has stood still since we've been apart / (I can't stop loving you)  / ( REPETE o refrão )   / It's useless to say  / So I'll just live my life in dreams of yesterday  / (Those happy hours)  / Those happy hours  / (That we once knew)  / That we once knew / (Tho' long ago) / (BIS) / (Still make me blue) / (BIS) / / (They say that time)  / They say that time  / (Heals a broken heart)  / Heals a broken heart  / (But time has stood still)  / Time has stood still  / (Since we've been apart) / (BIS) / (I can't stop loving you) / ( REPETE o  refrão ) / . “  ]  . 

Após  uma  enorme  polêmica ocorrida em que  Ray recusou-se cantar por  causa  da   segregação  racial , retorna à  cidade  para apresentar uma  canção que se eternizou  na  memória  daquele  povo .  Uma música feita inicialmente para homenagear uma mulher, ficou a tal ponto identificada com o Estado americano em razão da interpretação de Ray Charles que em 1979 o Estado da Georgia proclamou-a como música oficial do Estado…   “   GEORGIA  ON  MY  MIND   “ .  [ “ / Georgia, Georgia, / The whole day through / Just an old sweet song / Keeps Georgia on my mind / I said oh Georgia Georgia / A song of you / Comes as sweet and clear / As moonlight through the pines / Other arms reach out to me / Other eyes smile tenderly / Still in peaceful dreams I see / The road leads back to you / I said Georgia, / Ooh Georgia, no peace I find / Just an old sweet song / Keeps Georgia on my mind / Other arms reach out to me / Other eyes smile tenderly / Still in peaceful dreams I see / The road leads back to you / Georgia, / Georgia,  / No peace, no peace I find / Just this old, sweet song / Keeps Georgia on my mind /     I said just an old sweet song,  / Keeps Georgia on my mind / . “   ]   .

 
A  canção  que  fez  muito  sucesso  nas  paradas  versa  sobre  uma  discussão  entre  um  casal em  que  a  mulher  , muito  consciente ,  descarta  o  amado  pedindo  que  ele  vá  para  bem  longe  dela  e não volte  jamais .  Lamentando  o  mal  tratamento , promete, mesmo rejeitado,   voltar  do  rumo  traçado  pela  amada  . “  HIT  THE  ROAD  JACK  “ .              [ “ / (Hit the road, Jack and don't you come back no more, / no more, no more, no more) / (Hit the road, Jack and don't you come back no more) / What you say? /   ( BIS)   /  Woah, Woman, oh woman, don't treat me so mean / You're the meanest old woman that I've ever seen / I guess if you said so / I'd have to pack my things and go (That's right) / (Hit the road, Jack and don't you come back no more, / no more, no more, no more)  / What you say? /  ( BIS ) /  Now baby, listen, baby, don't ya treat me this-a way / Cause I'll be back on my feet some day / (Don't care if you do 'cause it's understood) / (You ain't got no money you just ain't no good) / Well, I guess if you say so / I'd have to pack my things and go (That's right) / (Hit the road, Jack and don't you come back no more, / no more, no more, no more) / ( BIS )  / What you say? / Well / (Don't you come back no more) / Uh, what you say? / (Don't you come back no more) / I didn't understand you! / (Don't you come back no more) / You can't mean that! / (Don't you come back no more) / Oh, now baby, please! / (Don't you come back no more) / What you tryin' to do to me? / (Don't you come back no more) / Oh, don't treat me like that! / (Don't you come back no more) / . “  ]  . 

Angustiado  com  o  desconhecimento  da  mulher  amada  a  respeito  de  seus  fortes  sentimentos  por  ela ,  sofre  por  perdê-la  e  não  a  fez  compreender  toda  paixão  esboçada  na  canção  repetindo exaustivamente  :     You Don't Know Me  “ .  [ “ /  You give your hand to me / And then you say, "Hello." / And I can hardly speak, / My heart is beating so. / And anyone can tell / You think you know me well. / Well, you don't know me./ (no you don't know me) / No you don't know the one / Who dreams of you at night; / And longs to kiss your lips / And longs to hold you tight / Oh I'm just a friend. / That's all I've ever been. / Cause you don't know me. /(no you don't know me) /For I never knew the art of making love, / Though my heart aches with love for you. / Afraid and shy, I let my chance go by. / A chance that you might love me too. / (love me too) / You give your hand to me, / And then you say, "Goodbye." / I watched you walk away, / Beside the lucky guy / Oh, you'll never ever know / The one who loved you so. / Well, you don't know me / (For I never knew the art of making love, ) / (Though my heart aches with love for you. ) / Afraid and shy, I let my chance go by. / A chance that you might love me too. (love me too) / Oh, you give your hand to me, / And then you say, "Goodbye." / I watched you walk away, / Beside the lucky guy / Oh, you'll never ever know / The one who loved you so. / Well, you don't know me/ .  ] .

  
Encerrando  uma  amostra  mínima  das  músicas  interpretadas  por  Ray  Charles , escolhemos  uma  linda  melodia  coberta  de  expressões  metafóricas  que  traduzem  um  enorme  sentimento  de  partida , manifestado  nos  sonhos  e  nas  lágrimas .      Cry  “  .  [ “ / If your sweetheart, sends a letter, of goodbye / It's no secret, you'll feel better, if you cry / When wakened, from a bad dream, don't you sometimes think it's real / Well it's only, false emotion, that you feel / If your heartaches, seems to hang around, too long / And your blues, keep getting blue-er, with each song / Remember, sunshine can be found, behind a cloudy sky / So let your hair down now, and baby go on and cry / (If your heartaches seem to hang around too long) / (And your blues keep getting blue-er with each song) / Well remember, sunshine can be found, behind a cloudy sky / Why don't you let your hair down now, baby go on and cry / I said let your hair down, baby go on and cry. /  . “  ]   .
 
  SOMENTE  AQUELES  QUE  PRESENCIARAM  MOMENTOS  MUSICAIS  INESQUECÍVEIS  E  QUE , POR  VONTADE  DIVINA , GUARDARAM   NA  MEMÓRIA  LINDAS  MELODIAS  QUE  NOS  CANALIZAM  HOJE   PARA  UM  PASSADO  EM  QUE  A  CANÇÃO  FAZIA  PARTE DE NOSSAS   ALMAS , PODEM  ,  DE  FATO  , USUFRUIR  DA  BELEZA  DA  VIDA.      NEIL  SEDAKA  E  RAY  CHARLES  SÃO  RESPONSÁVEIS  POR  ALGUNS  INSTANTES  DE  FELICIDADE  NA  EXECUÇÃO  DE  SUAS  LINDAS  PEÇAS  MELÓDICAS!   É  SEMPRE  GRATIFICANTE  VIAJAR  PARA  ESSE  ESPAÇO  NA  LEMBRANÇA   !



 

Link
Tags »
Duas vozes fixadas na alma e na lembrança: Neil Sedaka e Ray Charles
Relacionadas »
Comentários »