14/03/2021 às 23h06min - Atualizada em 14/03/2021 às 23h06min

A “REDENTORA”

MARÇO, 31 ,1964 / MARÇO, 31, 2021

Edson Gomes Santos
Quanta coisa rolou de lá para cá, nas águas da “Redentora”.

1964... seriam 21 anos de ditadura “temperada” com torturas; exílios; banimentos; mortes; assassinatos; “desaparecimentos”; estupros; cassações de mandatos; prisões; “interrogatórios” dos “comunistas” em Juiz de Fora; censura artística, jornalística e literária.

Marcha da Família, com Deus, pela Liberdade; Ouro Para o Bem do Brasil (ver Youtube, Blog do Cesar); Prá Frente, Brasil!; Milagre Brasileiro; Brasil: Ame-o ou Deixe-o; 90 milhões em ação; dentre outros, foram eventos/slogans criados e patrocinados pelos “poderosos” no intuito da justificativa, permanência, aceitação, apoio e consolidação da “Revolução de 1964”.

1985... o então “presidente”, João Batista Figueiredo, recusando-se a participar da cerimônia de transferência da faixa presidencial a José Sarney, ato consolidador da entrega do poder - dos militares, para os civis - optou por retirar-se do Palácio do Planalto... pela porta dos fundos!!!  Vergonha, derrota, covardia?... Jamais o saberemos pois Figueiredo é falecido.

2020... e nos últimos 35 anos tivemos como presidentes Sarney, Collor, Itamar, Fernando Henrique, Lula, Dilma, Temer, e ora, Bolsonaro, porém, com a criação e operacionalização da Comissão Nacional da Verdade os fatos e ocorrências ilícitas/ilegais/desumanas, geradas e ocorridas durante a ditadura foram analisadas, estudadas, confirmadas e, divulgadas.

Apareceram nomes como Riscala Corbaje, codinome Nagib; PM (aposentado); que, em depoimento, declarou haver passado por suas “mãos” mais de 500(!!!) terroristas e “inimigos” do governo para interrogatórios; confissões através de torturas; e, “desaparecimentos”.

Amílcar Lobo, codinome Cordeiro, médico, já falecido, que dava “apoio” aos verdugos e carrascos nos interrogatórios, através de pareceres médicos quanto às capacidades dos torturados continuarem a ser interrogados pelos “Nagib”, ou seja, se os torturados aguentariam mais sessões de suplícios... Juramento de Hipócrates ou de hipócrita?

Harry Shibata, médico legista, emitia os Atestados de Óbitos conforme aquilo que os Ulstra& Cia. desejavam que constasse como causas mortis... visando acobertar mortes por torturas.

Houve o tristemente famoso Delegado Fleury, historicamente lembrado por suas atrocidades.

De Leopoldina, houve conterrâneos que foram presos; torturados; suas famílias sem saber dos seus destinos; procuravam; procuravam; e seus tormentos somente tiveram fim com a Lei da Anistia, lei tal que anistiava os “terroristas”, porém, os grandes beneficiados foram os torturadores...criminosos de crimes continuados e, até hoje, IMPUNES.

Porém, para a História, os “atores” e protagonistas dos Anos de Chumbo foram “catalogados” e registrados num documento denominado Lista Oficial de Torturadores da Ditadura Militar, cujo exame é liberado e pode ser realizado através do site:  plural.jor.br.

Pretendo, neste texto, tão somente o avivar de nossas memórias para as atrocidades cometidas em nome da “liberdade” e lutarmos para que o Brasil e nós, brasileiros, jamais tenhamos que vivenciar novamente tais tenebrosos, desumanos e criminosos momentos.
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »