22/09/2015 às 10h17min - Atualizada em 22/09/2015 às 10h17min

“PARCERIA EM QUE SE ENLAÇARAM SUAS ALMAS POÉTICAS”: PAULO CÉSAR PINHEIRO E JOÃO NOGUEIRA

O  CANTINHO  MUSICAL   abre outro precedente  para uma dupla muito representativa e responsável  por sambas de primeira linha que enriquecem e enobrecem  em lindas poesias a  MÚSICA  POPULAR  BRASILEIRA :  PAULO  CÉSAR  PINHEIRO   e   JOÃO  NOGUEIRA  , dois ases  das boas canções .

PAULO  CÉSAR  PINHEIRO ,   letrista  consagrado  da  MPB  , começou a produzir  seus poemas  inspirado nas  belas paisagens de Angra  dos  Reis  , Município do Rio de Janeiro ,  quando de lá morador  , onde conheceu  João Aquino  , seu primeiro parceiro,  com quem compôs sua primeiras canções .  JOÃO   BATISTA  NOGUEIRA  ,  carioca  autêntico , cantor e  compositor  brasileiro , caracterizado  pelo  suingue  interpretado em seus sambas  começou a compor  aos quinze anos  para   “ Labareda “  do  Méier , um bloco carnavalesco , onde  conheceu  Moacyr  Silva  que  o  ajudou  na gravação  de seus sambas . Ao  ingressar na Ala de Compositores da Portela , juntou-se a outros bambas , quando começou formar parceria com  Paulo  César  Pinheiro .

Iniciaremos  a bela trajetória musical com um canto poético da maravilhosa dupla com  o samba que é um verdadeiro hino  dos compositores , abordando  todos os caracteres  na feitura de uma poesia , inspirada no PODER  DA  CRIAÇÃO"

    [ “ / Não,  ninguém faz samba só porque prefere / Força no mundo nenhuma interfere / Sobre o poder da criação / Não , não precisa estar nem feliz , nem aflito / Nem se refugiar em lugar mais bonito / Em busca da inspiração / Não , ela é uma luz que chega de repente / Com a rapidez de uma estrela cadente / Que acende a mente e o coração / è , faz pensar que existe uma força maior que nos guia / Que está no ar / Bem no meio da noite ou no claro do dia / Chega a nos angustiar / E  o poeta se deixa levar por essa magia / E um verso vem vindo e vem vindo a melodia / E o povo começa a cantar lá laiá / Lá , lalaiá ,  laiá  / “ ]   .

Na mistura poética do profano com o sacro , compôs a dupla , homenageando , simultaneamente , a Portela , em seu desfile monumental ,  e Nossa Senhora Aparecida , padroeira do Brasil , numa comparação lírica e bela   em  “PORTELA  NA  AVENIDA" 

  [ “ /  Portela / Eu nunca vi coisa mais bela / Quando ela pisa a passarela / E vai entrando na avenida / Parece / A maravilha de aquarela que surgiu / O manto azul da padroeira do Brasil / Nossa  Senhora  Aparecida  / Que vai se arrastando / E o povo na rua cantando / É feito uma reza , um ritual / É a procissão do samba abençoando / A festa do divino carnaval / Portela / É a deusa do samba , o passado revela / E tem a velha guarda como sentinela / E é por isso que eu ouço essa voz que me chama /

Portela / Sobre a tua bandeira , esse divino manto /  Tua águia guerreira é o espírito santo / No templo do samba / As pastora e os pastores / Vêm chegando da cidade , da favela / Para defender as tuas cores / Como fiéis na santa missa da capela / Salve o samba , salve a santa , salve ela / Salve o manto azul e branco da Portela / Desfilando triunfal sobre o altar do  carnaval . / “ ] .

Um belo tema de reação da dupla contra a maldade  confirma que todo mal praticado pelos homens maus será extirpado da face da terra em uma reação do bem oriunda dos fenômenos naturais , demonstrando que todo o poder não emana dos homens e sim da  “FORÇA  DA  NATUREZA"

  [ “ /  Quando o sol /  Se derramar em toda sua essência / Desafiando o poder da ciência / Pra combater o mal / E o mar / Com suas águas bravias / Levar consigo o pó dos nossos dias / Vai ser um bom sinal / Os palácios vão desabar / Sob a força de um temporal / E os ventos vão sufocar um barulho infernal / E os homens vão se rebelar / Dessa farsa descomunal / Vai voltar tudo ao seu lugar / Afinal . / Vai resplandecer / Uma chuva de prata do céu vai descer , La,La, La / O esplendor da mata vai renascer /

E o ar de novo vai ser natural / Vai florir / Cada grande cidade o mato vai cobrir ô , ô / Das ruínas um novo povo vai surgir / E vai cantar afinal / As pregas e as ervas daninhas / As armas e os homens de mal / Vão desaparecer nas cinzas de um carnaval / ( 2 x ) . “ ] .  

A  música , como lenitivo à dor , ameniza o sofrimento através de suas melodias e mensagens  , por isso estamos sempre pedindo a presença dela em um ato de  “  SÚPLICA"

  [ “ / O corpo a morte leva / A voz some na brisa / A dor sobe pras trevas / O nome a obra imortaliza / A morte benze o espírito / A brisa traz a música / Que na vida é sempre a luz mais forte / Ilumina a gente além da morte / Vem a mim oh! música /  Vem no ar / Ouve de onde estás a minha súplica / Que eu bem sei talvez não seja a única / Vem a mim oh! música / Vem secar do povo as lágrimas / Que todos já sofrem demais / E ajuda o mundo a viver em paz  /. “ ]  .

Homenageando a maior intérprete de suas músicas  , Clara Nunes , a dupla compõe  um samba que descreve a característica verdadeira do gênero e seu gingado alucinante e maravilhoso típicos de uma  “  MINEIRA  “  

  [ “ / Clara, /Abre o pano do passado / Tira preta do cerrado / Põe rei congo no congá  / Anda , canta um samba verdadeiro / Faz o que mandou mineiro / Oh ! mineira !/ Samba que samba no bole que bole , / Oi morena do balaio mole ,/ Se embala no som dos tantãs / Quebra no balacochê do cavaco / E rebola no balacobaco ; / Se embola dos balagandãs / Mexe no meio que eu sambo do lado / Vem naquele bamboleado / Que eu também sou bam, bam, bam / Vai, cai no samba , cai / E o samba vai até de manhã /  ( BIS ) Ô saravá  mineira guerreira / Que é filha de Ogum com  Iansã / . “ ]  .

Fechando uma trilogia musical composta de  “ SÚPLICA “  , “ O PODER  DA  CRIAÇÃO “  a dupla compõe uma bela poesia que fala sobre a importância  da voz que leva a canção para o mundo , verdadeiro mensageiro da música em  “MINHA  MISSÃO"

  [ “ /  Quando eu canto / É para aliviar pranto / E o pranto de quem já / Tanto sofreu / Quando eu canto / Estou sentindo a luz de um santo / Estou ajoelhado aos pés de Deus / Canto para anunciar o dia / Canto para amenizar a noite / Canto para denunciar o açoite / Canto também contra a tirania / Canto porque numa melodia / Acendo no coração do povo / A esperança de um mundo novo / E a luta para se viver em paz / Do poder da criação / Sou continuação / E quero agradecer /

Foi ouvida a minha súplica / Mensageiro sou da música / O meu canto é uma missão / Tem força de oração / E eu cumpro o meu dever / Aos que vivem a chorar / Eu vivo para cantar / E canto para viver ( bis ) . / Quando eu canto, a morte me percorre / E eu solto um canto da garganta / Que a cigarra quando canta morre / E a madeira quando morre canta / ( BIS ) . “  ]   .

A preferência deste articulista entre  todas as  composições  está em uma canção que demonstra o verdadeiro amor  entre pai e filho com um grande lamento poético  pela perda do pai que sempre foi para o filho um modelo  no reflexo de um   “ ESPELHO" 

  [ “ / Nascido no subúrbio nos melhores dias / Com votos da família de vida feliz / Andar e pilotar um pássaro de aço / Sonhava ao fim do dia ao me descer cansaço / Com as fardas mais bonitas deste meu país / O pai de anel no dedo e dedo na viola / Sorria e parecia mesmo ser feliz / Êh ! Vida boa / Quanto tempo faz / Que felicidade / E que vontade de tocar viola de verdade / E de fazer canções com as que fez meu pai .

/ Um dia de tristeza me faltou o velho / E falta lhe confesso que ainda hoje faz / E eu me abracei na bola e pensei ser um dia / Um craque da pelota ao me tornar rapaz / Um dia chutei mal e machuquei o dedo / Não tinha ao lado velho pra me tirar o medo/ Foi mais uma vontade que ficou pra trás / Êh ! Vida boa / Vai no tempo vai / E eu sem ter maldade / Na inocência da criança de tão pouca idade / Troquei de mal com Deus por me levar meu pai / Assim crescendo eu fui me criando sozinho / Aprendendo na rua na escola e no lar / Um dia me tornei um bambambã  da esquina / Em toda brincadeira , em briga e namorar / Até que um dia eu tive que largar o estudo / E trabalhar na rua sustentando tudo / E assim se perceber eu era adulto já / Eh ! Vida voa / Vai no tempo vai / Ai mas que saudade / Mas eu sei que lá no céu o velho tem vaidade /E orgulho de seu filho ser igual seu pai / Pois me beijaram a boca e me tornei poeta / Mas tão habituado com o adverso / Eu temo que um dia me machuca o verso / E o meu medo maior é o espelho se quebrar ! / “ ]  

Clara Nunes foi a melhor porta-voz  dos sentimentos poéticos da dupla , sendo esposa de Paulo César Pinheiro ,  levava com sua bela voz e interpretação magníficas e inconfundíveis  ao mundo do samba  temas com  as descrições  próprias  de uma  “ GUERREIRA “. Aos  quarenta anos de idade ela é chamada pelos orixás para  entoar lindos cantos com sua bela voz . Após a trágica morte de Clara ,  Paulo César Pinheiro e João Nogueira compuseram um poema inspirado no canto de um sabiá , em homenagem à guerreira que agora é  “  UM  SER  DE  LUZ  “ 

  [ “ / Um dia  / Um ser de luz nasceu /  Numa cidade do interior / E o menino Deus lhe abençoou / De manto branco ao se batizar / Se transformou  num sabiá / Dona  dos versos de um trovador / E a rainha do seu lugar / Sua voz então / Ao se espalhar / corria chão / cruzava o mar / Levada pelo ar / Onde chegava / Espantava a dor / Com a força do seu cantar ./ Mas aconteceu um dia / Foi que o menino Deus chamou / E ela foi pra cantar /

 Para além do luar / Onde moram as estrelas / E a gente fica a lembrar / Vendo o céu clarear / Na esperança de vê-la , sabiá / Sabiá , / Que falta faz sua alegria / Sem você , meu canto agora é só / Melancolia / Canta , meu sabiá , voa , meu sabiá / Adeus , meu sabiá , até um dia  /.  “ ]  .

      Há no acervo da MÚSICA  POPULAR  BRASILEIRA  lindas canções compostas em parceria , razão  por  que  O CANTINHO  MUSICAL  tem , ultimamente, publicado artigos com maravilhosas duplas de nosso cancioneiro . Paulo César Pinheiro e João Nogueira  representam uma das mais importantes parcerias  da MPB . É enorme a produção poética dos dois que ocuparia um artigo de cada um , entretanto , orgulhosamente ,  escolhemos falar da dupla , porque grande parte das belas canções de seus repertórios foi produzida por eles .

  “  ABENÇOADAS SEJAM AS BELAS CANÇÕES QUE NOS PERMITEM  SONHAR  E VIAJAR  NO TEMPO À PROCURA DAQUELAS  QUE MARCARAM  MOMENTOS DE GRANDE FELICIDADE  E PRAZER  E DE UM DIA  ME TER FEITO  FELIZ  !!! OBRIGADO , COMPOSITORES DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA ! “

WALDEMAR  PEDRO  ANTONIO

E-MAIL  :   wpantonio@terra.com.br

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »