30/09/2015 às 09h20min - Atualizada em 30/09/2015 às 09h20min

“O BOÊMIO VOLTOU NOVAMENTE PARA RELEMBRAR AS BELAS CANÇÕES DE

Cruzam-se  dois sentimentos amorosos originados  das canções portuguesas e  do lirismo poético pertencente aos hábitos musicais  das canções brasileiras . As  sensibilidades  expressas nas  composições  por esse competente artífice da musicalidade espalharam  afetividades  pelos corações apaixonados . Com mais de 370  canções gravadas  por cantores de primeira linha ,  ADELINO MOREIRA ,  esse  compositor luso-brasileiro ,  é considerado e respeitado por todos que são amantes das boas músicas românticas .

ADELINO  MOREIRA   DE  CASTRO  nasceu  em 28  de  março  1918 ,na freguesia  de  Covêlo , em Portugal , vindo para o Brasil com um ano de idade , indo morar em Campo Grande ,bairro do Rio de Janeiro , onde lá faleceu no dia 9 de maio de 2002 .

O CANTINHO  MUSICAL  orgulha-se de buscar nas linhas históricas da Música Popular Brasileira o  belo espaço reservado para as composições  de  ADELINO  MOREIRA que fizeram sucessos  nas áureas épocas do rádio e que ainda se conservam em nossas memórias . 

Especialmente interpretado por Nélson Gonçalves , preferido cantor de Adelino Moreira , o mais conhecido samba-canção nas relações  das músicas românticas : “  A VOLTA  DO  BOÊMIO  “   

  [ “ / Boemia , aqui me tens de regresso / E suplicante te peço / A minha nova inscrição. / Voltei, / Pra rever os amigos que um dia /Eu deixei a chorar de alegria /Me acompanha o meu violão ./  Boemia , / Sabendo que andei distante/ Sei que essa gente falante/ Vai agora ironizar; / Ele voltou , o boêmio voltou novamente / Partiu daqui tão contente / Por que razão quer voltar ?/ .............../ “  ]   .

Grande parte de sua obra foi interpretada por Nélson Gonçalves , tendo sido  a primeira canção gravada  “  ÚLTIMA  SERESTA  “  e  há indícios de que foi a música que motivou como resposta a composição “ A VOLTA DO BOÊMIO “.     A relação comparativa entre o morro e o asfalto demonstra a divisória entre classes     sociais , o que motivou várias composições com muitas barreiras a serem ultrapassadas para se consumar o amor entre amantes dessas áreas distintas. Adelino Moreira ,  aproveitando o fato , ainda na maravilhosa voz de Nélson Gonçalves , compôs  “  DEUSA  DO  ASFALTO "

  [ “ /  Um dia sonhei um porvir risonho / E coloquei o meu sonho / Num pedestal bem alto / Não devia e por isso me condeno / Sendo do morro e moreno / Amar a deusa do asfalto . / Um dia ela casou com alguém / Lá do asfalto também / E dizem que bem me quer / E eu triste boêmio da rua / Casei-me também com a lua / Que ainda é minha mulher / É cantando que carrego a minha cruz / Abraçado ao amigo violão / E a noite de luar já não tem luz / Quem me abraça é a negra solidão / É é é é é cantando que afasto do coração / Esta mágoa que ficou daquele amor / Se não fosse meu amigo violão / Eu morria de saudade e de dor . / “ ]

A loucura da paixão leva o ser humano ao último ato de desespero pelo amor almejado e , quando compara os traços perfeitos de um manequim com a mulher amada , é capaz de ultrapassar qualquer obstáculo para alcançá-la  ,  até mesmo em uma  “  VITRINE "

 

[ “ /  Vi gracioso e sutil / No magazine da cidade / Numa vitrine infantil / Um manequim de verdade / O seu olhar endeusado / Era um convite ao amor  / Pois tinha a cor do pecado / Se é que o pecado tem cor / Quando a vi na vitrine / De um magazine , tal qual um manequim / Floriu em mim um desejo / De lhe dar um beijo ardente sem fim / Moço , loucura não faça / Não quebre a vidraça / Ouvi de um senhor / Mas não segui seu conselho / Quebrei o espelho / Sedento de amor . “  ]  .

O mais puro mistério em uma relação amorosa é a comprovação através de uma declaração  do verdadeiro sentimento das partes e,  quando já se  separam  , surgem as perguntas da incerteza :  “  NEGUE "

  [ “ / Negue/ O seu amor , / O seu carinho ... / Diga que você / Já me esqueceu ... / Pise / Machucando com jeitinho / Este coração / Que ainda é seu... / Diga / Que o meu pranto / É covardia , / Mas não se esqueça / Que você/ Foi minha um dia ... / Diga / Que já não me quer .../ Negue / Que me pertenceu ... / Que eu mostro / A boca molhada , / E ainda marcada /Pelo beijo seu ... / “  ]

Adelino  manifesta em uma canção cujo tema é um convite ao retorno da paixão entre duas pessoas amadas que romperam a relação amorosa : “  FICA  COMIGO  ESTA  NOITE "

  [ “ / Fica comigo esta noite / E não te arrependerás / Lá fora o frio é um açoite / Calor   aqui tu terás , / Terás meus beijos  de amor , / Minhas carícias terás / Fica comigo esta noite /  E não te arrependerás . /  Quero em teus braços , querida , / Adormecer e sonhar / Esquecer que nos deixamos / Sem nos querermos deixar / Tu ouvirás o que eu digo / Eu ouvirei o que dizes / Fica comigo esta noite , / Então seremos felizes . / “ ]   .

Às vezes a forte lembrança de uma paixão está materializada em objetos presenteados durante o envolvimento  amoroso , entretanto , quando há o desenlace entre as pessoas amadas , a primeira providência é devolver as coisas presenteadas para apagar da lembrança o sentimento amoroso. Adelino Moreira , baseado nesses tema , criou e cedeu à maravilhosa voz de  Núbia Lafayette : "DEVOLVI"

  [ “ / Devolvi / O cordão e a medalha de ouro / E tudo que ele me presenteou / Devolvi suas cartas amorosas / E as juras mentirosas / Com que ele me enganou / Devolvi /  A  aliança e também seu retrato / Para não ver seu sorriso / No silêncio / Do meu quarto . / Nada quis guardar como herança / Pra não aumentar meu padecer / Devolvi tudo / Só não pude devolver /  A saudade cruciante / Que amargura meu viver . “ ]

Em uma atitude imagística ,  Adelino  cria o protótipo da perfeição  feminina  através de caracteres da beleza e deixa a cargo do vozeirão de Nélson Gonçalves a bela montagem da  “ESCULTURA"

  [ “ /  Cansado de tanto amar / Eu quis um dia criar / Na minha imaginação / Uma mulher diferente / De olhar e voz envolvente / Que atingisse a perfeição / Comecei a esculturar / Em meu sonho singular / Essa mulher fantasia / Dei-lhe a voz de Dulcineia / A malícia de Frineia / E a pureza de Maria / Em Gioconda fui buscar / O sorriso e o olhar / Em Du  Barry  o  glamour / E para maior beleza / Dei-lhe o porte de nobreza / De madame Pompadour / E assim de retalho em retalho / Terminei o meu trabalho / O meu sonho de escultor / E quando cheguei ao fim / Tinha diante de mim / Você , só você , meu amor . “  ]

Num processo literário de personificação do objeto , Adelino transforma o violão em um  companheiro dileto para declarar suas confidências amorosas que se tornaram um verdadeiro :   “  DILEMA "

  [ “ / Violão , / Eu estou tão sozinho / Sem amor , sem carinho / Solitário na dor / Violão , / Já chorei tanto , tanto / Que não tenho mais pranto / Pra chorar por meu amor / Violão, Companheiro dileto / És meu único afeto / Tudo que me restou / Meu violão , meu amigo ,/ Nem ela nos separou / Hoje, eu amargo contigo / A saudade que ela deixou .../ Fiquei entre a cruz e a espada / Quando ela , desesperada , / Obrigou-me a escolher / E agora / O meu dilema persiste / Viver sem ela é tão triste ... / Sem ti não posso viver  ! “ ]  

O amor supera todos os preconceitos relacionados   à união daquele que ama , não detectando nenhuma anomalia comportamental na mulher que vive a vagar  fora do compasso da sociedade . Diante disso só resta ao amado declarar :  “  MEU  VÍCIO  É  VOCÊ"

  [ “ / Boneca de trapo / Pedaço da vida / Que vive perdida no mundo a rolar / Farrapo de gente que inconsciente / Peca só por prazer / Vive para pecar / Boneca eu te quero com todo pecado / Com todos os vícios, com tudo afinal / Eu quero esse corpo, que a plebe  deseja / Embora ele seja prenúncio do mal / Boneca noturna que gosta da lua / Que é fã das estrelas e adora o luar / Que sai pela noite e amanhece na rua / Há muito não sabe o que é luz solar / Boneca vadia de manhas e artifícios / Eu quero para mim teu amor só porque / Aceito teus erros , pecados e vícios / Pois na minha vida meu vício é você . “ ]  

A ingenuidade do amor adolescente é um enorme sofrimento quando se descobre que a amada já está comprometida com outro , porém o tempo é o maravilhoso remédio do destino , porque no reencontro adulto conquista :  “  A  FLOR  DO  MEU  BAIRRO "

  [ “ / A flor do meu bairro / Tinha o lirismo da lua / Morava na minha rua / Num chalé fronteiro ao meu / Eu conheci / O seu primeiro amor / A sua primeira dor / E o primeiro erro seu / Lembro-me ainda / O bairro inteiro sentiu / A flor ingênua sumiu / Com seu amor , o seu rei / E eu que era / Seu primeiro namorado / De tão triste e apaixonado / Nunca mais me enamorei / Hoje depois de alguns  anos / Eu encontrei-me com ela / Na rua dos desenganos / Menos ingênua e mais bela / Ela fingindo desejo / A boca me ofereceu / E eu paguei por um beijo /

Que no passado foi meu / A minha história é vulgar/ Mas algo fica provado / Nem sempre o primeiro amor / É o primeiro namorado . “ ]

Outra grande intérprete  das músicas de Adelino Moreira foi Ângela Maria  que soube representar com sua voz cristalina  o lamento de um grande sofrer amoroso em toda trajetória de uma vida da pessoa amada em :  “  MEU  EX-AMOR  “ 

  [ “ / Coitado de você , meu ex-amor , / Da tristeza portador / Quem foi que lhe magoou ? / Quem foi que lhe deu tanto desgosto ? / Quem pôs rugas no seu rosto / E tanto lhe maltratou ? / Parece que no seu itinerário / Dos amores do seu rosário / Só o meu amor restou / Malvadas , mulheres sem coração , / Fizeram meu ex-amor / Aprender nova lição ! / Mas eu farei das suas chagas cicatrizes / E ainda seremos felizes / Pra viver nova ilusão . “ ]

A espera de um grande amor é desejo de todos os românticos que , ainda na magnífica voz de Ângela Maria  , ficam na expectativa do aparecimento de uma   “  CINDERELA"

 

[ “ / Venha de onde vier / Chegue de onde chegar / Aquele amor que sonhei / Virá que eu sei é só esperar / Venha de onde vier / Chegue de onde chegar / Encontrará Cinderela  de beijos / Mais puro de amor para lhe dar / Cinderela , / Cinderela / Menina moça coração a palpitar / Cinderela , eu sou / Cinderela / E o meu príncipe encantado vai chegar / . “  ]   .

   Adelino  Moreira  foi  um dos maiores compositores e com um requinte musical inigualável da MPB ,  produzindo um número infinito de belas canções , expressando-se sempre um sentimento  amoroso , entregue às melhores vozes da galeria dos intérpretes do nosso cancioneiro.

  O  CANTINHO  MUSICAL  teve um imenso cuidado na triagem em um universo de quantidade e qualidade das pérolas musicais  compostas com muita dedicação e competência por esse belo compositor da  MÚSICA  POPULAR  BRASILEIRA .

     “  A  LINGUAGEM  MUSICAL   É  MAIS  DO  QUE   CAMINHO  PARA  EXPRESSÃO  DE  IDEIAS  E  SENTIMENTOS .  ULTRAPASSA   A  UTILIDADE IMEDIATA DA  COMUNICAÇÃO ENTRE AS PESSOAS  PARA SER FERRAMENTA   DA  HISTÓRIA  , DA  CULTURA E  DOS  VALORES  DO  PASSADO . A  BOA  MÚSICA  É  HERANÇA  E  PATRIMÔNIO  QUE PRECISA SER CONSERVADA  NA MEMÓRIA DAQUELES QUE CURTEM  UMA BELA CANÇÃO ,  E  ADELINO  MOREIRA  DEIXA-NOS UM LEGADO  MARAVILHOSO  DO QUAL  DEVEMOS CUIDAR  COM MUITO AMOR  ,  CARINHO  E  RESPEITO  “

 

WALDEMAR  PEDRO  ANTONIO                       e-mail  :   wpantonio@terra.com.br

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »