23/06/2016 às 20h01min - Atualizada em 23/06/2016 às 20h01min

Tributo a uma magnífica intérprete de nossas canções Ângela Maria

CANTINHO  MUSICAL ,  seguindo a  linha que  intercala  suas  publicações com compositores  e  intérpretes da  Música  Popular  Brasileira , dedica  este  espaço hoje  a  uma cantora  que  ,  com sua  voz  cristalina  e  um  repertório  selecionado , deixa  perpetuadas suas  belas e perfeitas  interpretações no  celeiro musical brasileiro : “  ÂNGELA  MARIA  “ .   Seu  verdadeiro  nome  é   ABELIM  MARIA  DA  CUNHA nasceu em Macaé, no distrito de Conceição de Macabu, de família muito humilde, sua mãe era dona-de-casa e seu pai, pastor de igreja evangélica. Por conta disso, desde criança cantava no coral  de uma Igreja Batista próxima a sua casa. Com isso, foi aprendendo a amar a música e o universo das melodias . Durante sua juventude trabalhou em uma fábrica de lâmpadas e foi operária tecelã em uma indústria de tecidos, mas sempre quis ser cantora, sonhava em ir para as rádios e fazer sucesso .  Considerada, ao lado de Elis Regina, uma das mais puras vozes da música popular brasileira, continua a apresentar-se em espetáculos e em televisão.

    Orgulhosamente , apresentaremos  algumas  canções de  grandes  compositores que  tiveram em  suas  criações o privilégio de uma  brilhante intérprete que valorizava  em cada  tom a linha  melódica com  uma harmonia magnífica , enriquecendo as  obras que ficavam sobre sua responsabilidade  musical . Muitas  são  as canções  interpretadas por  ÂNGELA  MARIA , entretanto  tomamos os  devidos  cuidados  na  triagem  de  sua imensa galeria musical.

    
Iniciaremos  a  seleção  com  uma  canção  de  Nelson Wederking  e  Waldir Rocha que  versa  sobre  um  tema  de separação entre as pessoas que se amam e a certeza de que a pessoa  abandonada  não mais voltará para outra , motivada  por  um grande  “  ORGULHO “ . [ “ / Tu me mandaste embora, eu irei / Mas comigo também levarei / O orgulho de não mais voltar / Mesmo que a vida se torne cruel / Se transforme numa taça de fel / Este trapo tu não mais verás / Eu seguirei com o meu dissabor / Com a alma partida de dor / Procurando esquecer / Deus sabe bem quem errou de nós dois / E dará o castigo depois / O castigo a quem merecer / . “ ]  . 




Herivelto Martins , em  um lampejo  maravilhoso, compôs uma bela canção cujo tema aborda uma rejeição amorosa e a insistência da pessoa amada expondo em seus sentimentos  um enorme lamento de  “  RECUSA “ .  [ “ / Esta dor que deixaste em minha alma / Com tanta indiferença / Eu não posso afastá-la sequer / Um momento de mim / Quanto mais me desprezas / Mais quero sentir tua presença / Não consigo esquecer-te, meu deus, / Por que sofrer assim ? / Sem motivo nenhum / Tu recusas / Um amor tão sincero / Sem motivo nenhum / Abandonas a felicidade / A minha vida é uma vida / De mágoa, de dor e descrença / E eu sofro, ao sentir na recusa / Tamanha indiferença./ “ ]  .


O tango argentino foi  um ritmo musical que influenciou muitos dos nossos compositores , causado pelas mensagens amorosas transmitidas através de suas letras . Jair  Amorim  e  Evaldo  Gouveia , influenciados pela música portenha , compuseram um belo tango que se  tornou mais magnífico ainda na interpretação suave e segura de Ângela Maria :“  TANGO  PRA  TERESA “ .[ “ / Hoje, alguém pôs a rodar  / Um disco de Gardel / No apartamento junto ao meu / Que tristeza me deu / Era todo o passado lindo / A mocidade vindo / Na parede a me dizer / Para eu sofrer / Trago a vida agora calma / Um tango dentro d'alma / A velha história de um amor / Que no tempo ficou / Garçom, põe a cerveja sobre a mesa / Bandoneon, toque de novo que Teresa  / Esta noite vai ser minha e vai dançar / Para eu sonhar / A luz do cabaré  / Já se apagou em mim / O tango na vitrola  / Também chegou ao fim / Parece me dizer  / Que a noite envelheceu / Que é hora de lembrar / E de chorar /.] 

Diante do sofrimento do amante por não ser  correspondido pelo amor de outras mulheres , a antiga amada lamenta todo sofrimento do amado pelos seus fracassos amorosos. Adelino Moreira , motivado pelo tema exposto , compôs uma bela canção e , com muita  emoção e com a voz cristalina , Ângela Maria interpretou  “  MEU  EX-AMOR  “  . [ “ /  Coitado de você meu ex-amor, / Da tristeza portador, / Quem foi que lhe magoou? / Quem foi que lhe deu tanto desgosto? / Quem pôs rugas no seu rosto / E tanto lhe maltratou? / Parece que no seu itinerário / Dos amores do seu rosário / Só o meu amor restou / Malvadas, mulheres sem coração, / Fizeram meu ex-amor / Aprender nova lição! / Mas eu farei das suas chagas cicatrizes / E ainda seremos felizes / Pra viver nova ilusão / . “ ]  .

O  compositor  Britinho simboliza , nesta canção , os  pingos da chuva  como um grande motivo da tristeza externada na pessoa abandonada , entretanto , a recomposição de um novo amor devolve a alegria à mulher amada , não mais dando muita  importância ao que representava “ NOITE  CHUVOSA “ .  [ “ / Numa noite em que a chuva chorava lá fora / Eu chorava também / Por que alguém fora embora / Mas chorei só até a manha do outro dia / Pois chegou você / Nunca mais chorei / Nunca mais eu chorei / Nunca mais e agora / Eu até acho graça  / Da chuva lá fora / E a tristeza não mais existe / E o meu amor até me disse / Só queria ver como eu sou / Quando estou triste / Nunca mais eu chorei / Nunca mais e agora / Eu até acho graça  / Da chuva lá fora / E a tristeza não mais existe / E o meu amor até me disse / Só queria ver como eu sou / Quando estou triste / “ ] .

Em um passo de  mágica musical , Adelino  Moreira expressa comparativamente em uma canção a ternura da personagem do Conto  de  Fada que espera  pelo seu príncipe encantado . Da mesma forma , há externado nos versos uma expectativa da  moça  do  poema aguardando a chegada de seu amor , tal qual fez  “  CINDERELA “ .  [ “ / Venha de onde vier / Chegue de onde chegar / Aquele amor que sonhei / Virá que eu sei / É só esperar / Venha de onde vier / Chegue de onde chegar / Encontrará Cinderela / De beijo mais puro / De amor pra lhe dar / Cinderela / Cinderela / Menina moça, coração a  palpitar / Cinderela eu sou / Cinderela / E o meu príncipe encantado / Vai chegar / . “  ]  . 

Quando o amor fracassa por um sentimento unilateral , resulta em uma triste separação . Ivon Curi compôs  uma bela canção , inspirado em um desenlace que ocorre entre as pessoas que se amam e em uma proposta para reconhecimento de um fracasso através de um conselho em      “  ESCUTA  “ .  [ “ / Escuta, / Vamos fazer um contrato / Enxuga o pranto barato / Que te entristece o olhar / Escuta, / O nosso amor é um fracasso  / Já me domina o cansaço / De brincar de te amar / Teus olhos olham a esmo / Te falta coragem de me encarar / Quem trai se trai a si mesmo / No riso, no abraço, num beijo, no olhar / Escuta, / Quando fechares a porta / Não chores, cala, suporta / Não penses mais em voltar / . “  ]  .

Nazareno de Brito  e  Presyla de Barros  souberam ,  como ninguém ,  expressar um sentimento de solidão pela perda da pessoa amada , o que resultou em uma grande melancolia , causando uma enorme saudade, motivada pelo  “ ABANDONO  “. [ “ / Quando a noite, retorno ao meu lar, / abandonado, / onde eu vivo, sem ninguém... / relembrando os momentos felizes,/ do passado, / sinto falta, de alguém, / que foi meu grande amor.../ Em meu quarto, ansiosa de beijos, / amargando meus desejos, / vejo a noite caminhar.../ Vem amor! Que é fria a madrugada, /que eu não sou mais nada, / sem teu calor.../.” ].



Herivelto Martins e David Nasser , em reconhecimento de um grande amor materno , compuseram uma bela canção , ornamentada com uma invejável interpretação na voz cristalina de Ângela  Maria , para homenagear a  “  MAMÃE “ . [ “ / Ela é a dona de tudo, //Ela é a rainha do lar, / Ela vale mais para mim, / Que o céu, que a terra, que o mar, / Ela é a palavra mais linda, / Que um dia o poeta escreveu, / Ela é o tesouro que o pobre, / Das mãos do senhor recebeu, / Mamãe, mamãe, mamãe, / Tu és a razão dos meus dias, / Tu és feita de amor e esperança, / Ai, ai, mamãe, / eu cresci, o caminho perdi / volto a ti e me sinto criança / Eu te lembro chinelo na mão, / O avental todo sujo de ovo, /
Se eu pudesse, / Eu queria outra vez mamãe, / Começar tudo, tudo de novo / . “  ]  .


A dançarina de cabaré é retratada nesta canção , composta por  Chocolate e  Américo Seixas , como  alguém que necessita , com muito sofrimento ,  de dançar para viver e sofre por ter de demonstrar uma falsa alegria em um sorriso , embora com um imenso sentimento de tristeza , tudo externado na “ VIDA  DE  BAILARINA”  . [ “ /  Quem descerrar a cortina / Da vida da bailarina / Há de ver cheio de horror / Que no fundo do seu peito / Existe um sonho desfeito / Ou a desgraça de um amor / Os que compram o desejo / Pagando amor a varejo / Vão falando sem saber / Que ela é forçada a enganar / Não vivendo pra dançar / Mas dançando pra viver! / Obrigada pelo ofício / A bailar dentro do vício / Como um lírio em lamaçal / É, uma sereia vadia / Prepara em noite de orgia / O seu drama, passional / Fingindo sempre que gosta / De ficar a noite exposta / Sem escolher o seu par / Vive uma vida de louca / Com um sorriso na boca / E uma lágrima no olhar /. “ ]  .  

Quando a MPB tem a oportunidade  de unir três belos compositores do nosso cancioneiro , o resultado é a feitura de belas canções , o que ocorre no momento em que se juntam : Garoto  ,  Vinícius  de  Moraes  e Chico  Buarque . O trio compôs uma peça musical , com belo tempero na interpretação de Ângela Maria ,  em que retrata , em uma sequência cênica , a simplicidade de um povo humilde que é o referencial  de uma vontade suprema em igualar-se a essa gente modelada pela pureza e que vive em  ambiente sem aparato , porque se trata de    “  GENTE  HUMILDE  “ .  [ “ /   Tem certos dias  / Em que eu penso  / Em minha gente / E sinto assim / Todo meu peito / Se apertar / Porque parece  / Que acontece de repente / Como desejo de eu viver / Sem me notar / Igual a como  / Quando eu passo / No subúrbio / E muito bem / Vindo de trem / De algum lugar / Aí me dá uma inveja dessa gente / Que vai frente  / Sem nem ter com que contar / São casas simples  / com cadeiras na calçada / E na fachada / Escrita em cima  / Que é um lar / E na varanda cores tristes e baldias / Como a alegria de não ter  / Onde encostar / Aí me dá uma tristeza no meu peito / Pelo despeito / De eu não ter como lutar / Eu que não tenho / Peço a Deus por minha gente / É gente humilde  / Que vontade de chorar / . “  ]  .

Uma separação causada por excesso de ciúmes fez que Marino Pinto e Mário Rossi compusessem uma linda canção que retrata o desespero da mulher amada diante da falta de carinho de seu amado . Tal sentimento de culpa é versado em uma simples  pergunta       “  QUE  SERÁ ?  “ .  [ “ / Que será da minha vida sem o teu amor? / Da minha boca sem os beijos teus? / Da minha alma sem o teu calor? / Que será da luz difusa do abajur lilás? / Se nunca mais viera a iluminar outras noites iguais. / Procurar uma nova ilusão não sei, outro lar, não quero ter além daquele que sonhei. / Meu amor, ninguém seria mais feliz que eu, se tu voltasses a gostar de mim, se o teu carinho se juntasse ao meu. / Eu errei, mas se me ouvires me darás razão, foi o ciúme que se debruçou sobre o meu coração./ ( BIS ) / . “  ]  .  




O que  de fato se  poderia esperar de dois grandes poetas como Ary Barroso  e  Vinícius de  Moraes , senão uma pérola poética expressa em  um lirismo incomparável onde , em uma linguagem mítica , manifesta uma bela comparação metafórica entre as belezas naturais no despertar de um amanhecer e os traços qualificativos do que é belo estampados na figura encantada da mulher ? Em perfeita cadência rítmica e harmoniosa , a canção manifesta-se como  “  RANCHO  DAS  NAMORADAS “ . [ “ /  Já vem raiando a madrugada / Acorda, que lindo / Mesmo a tristeza está sorrindo / Entre as flores da manhã se abrindo nas flores do céu / O véu das nuvens que esvoaçam / Que passam pela estrela a morrer / Parecem nos dizer que não existe beleza maior do que o amanhecer / E no entanto maior, bem maior do que o céu / Bem maior do que o mar, maior que toda natureza / É a beleza que tem a mulher namorada / Seu corpo é assim como aurora ardente / Sua alma é uma estrela inocente, seu corpo uma rosa fechada / Em seus seios pudores renascem das dores / De antigos amores que vieram mas não era / Um amor que se espera, o amor primavera / São tantos os encantos que para os comparar / Nem mesmo a beleza que tem as auroras do mar / . “  ]  .

Encerrando  este “Tributo à Ângela  Maria , o Cantinho Musical não poderia deixar de apresentar uma canção que é quase um rótulo identificador dessa bela intérprete . Fechando a amostra destas maravilhosas interpretações , apresentaremos  de Margarita Lecuona a canção  “  BABALU  “ . [ “ / Está empezando el velório / Que le hacemos a babalú / Dame diecisiete velas / Pa pornelas en cruz / Dame un cabo de tabaco, mañiengue / Y un jarrrito de aguardiente / Dame um poco de dinero, mañiengue / Pa que me de la surte / Yo le quero pedir / Que me nego me quiera / Ai, negro / Que le tenga dinero / Y que no se muera / Yo le quero pedir, a babalú / Un negrito muy santo / Como tu / Que no tenga otra nega / Y que no se muera / . “  ]  .
          
Ângela Maria deixa-nos um legado musical digno de ser admirado pelos adeptos das boas músicas e das excelentes interpretações . O Cantinho Musical expressa enorme respeito a esta pequena demonstração  mas muito bem selecionada  no acervo de uma cantora que nos fará retomar na memória o bom tempo em que se curtiam as músicas por suas melodias , ritmos , harmonias com magníficas interpretações . OBRIGADO  “  SAPUTI “ POR  NOS PRESENTEAR COM SUA VOZ CRISTALINA !

Waldemar  Pedro  Antonio
email :  wpantonio@terra.com.br
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »