08/07/2016 às 22h41min - Atualizada em 08/07/2016 às 22h41min

Tributo à mais perfeita voz do Brasil: Emílio Santiago

WALDEMAR PEDRO ANTÔNIO

O  CANTINHO  MUSICAL  homenageará  neste  espaço  um cantor brasileiro admirado por todos que curtem  uma  canção com belas interpretações . Fonoaudiólogos comentaram que as análises técnicas da voz de Emílio Santiago mostravam que o cantor tinha a voz mais "perfeita" do Brasil.  O cantor e intérprete  deixou-nos no  dia 20 de março de 2013, quando estava com 66 anos de idade. Emílio Vitalino Santiago nasceu no dia 6 de dezembro de 1946, no  Rio de Janeiro. Dizem que o Brasil perdeu um dos maiores intérpretes da Música Popular Brasileira .  Há mais de quarenta anos, ele começou a carreira ganhando concursos de calouros e depois lançou suas belas “Aquarelas”. Assim, Emílio Santiago ganhou fama na MPB, principalmente por causa daquele seu vozeirão incomparável – nosso Nat King Cole -, para alguns.  Antes de se tornar um ícone da música brasileira, Emílio participou do programa de calouros "A Grande Chance", apresentado por Flávio Cavalcanti, na extinta TV Tupi. Foi lá que conquistou o público com sua voz grave e a suavidade de sua interpretação. O ofício de intérprete era quase uma exclusividade de Emílio Santiago. E isso ele fazia com excelência ímpar. Dono de um grave profundo e aveludado, ele era capaz de levar um samba-canção para o ponto mais pungente da sua tristeza, assim como fazia balançar quando pegava uma bossa ou um samba-enredo.

     Chegou o momento de desfilar as relíquias  musicais sublimadas pela voz deste belo intérprete  da música  popular  brasileira . Iniciaremos com a indiscutível canção que representa o rótulo  identificador  com a imagem do cantor . Saigon, como todos sabem, foi um cenário triste de muitas mortes, durante a Guerra do Vietnã. Lá, os americanos sofreram uma grande derrota, lutando ao lado do Vietnã do Sul, contra o Vietnã do Norte, lado minoritário que saiu vencedor desse conflito bélico. Os compositores desta bela canção  fizeram , com base em uma comparação , um pequeno quarto se tornar palco de guerra, onde , diante da discussão entre os amantes , os dois não querem ceder. Com o tempo, aprende-se que para se ganhar algo é preciso abrir mão de alguma coisa e não é possível ter tudo de uma só vez. Olhar nos olhos é o ato mais comum entre pessoas que se amam. É o momento de captar o sentimento do outro, a intensidade de cada emoção. Quando não há mais diálogo, evita-se o encontro dos corpos como forma de saída. Por isso é comum, depois de uma discussão, uma despedida , deixando uma nota escrita também é muito comum e, na falta de caneta ou de um lápis, vai batom mesmo.

O relato destes sentimentos estão expressos  nas letras de  “  SAIGON  “ .  [ “ / Tantas palavras / Meias palavras / Nosso apartamento / Um pedaço de Saigon / Me disse adeus / No espelho com batom / Vai minha estrela / Iluminando / Toda esta cidade / Como um céu / De luz neon / Seu brilho silencia / Todo som / Às vezes / Você anda por aí / Brinca de se entregar / Sonha pra não dormir / E quase sempre / Eu penso em te deixar / E é só você chegar / Pra eu esquecer de mim / Anoiteceu! / Olho pro céu / E vejo como é bom / Ver as estrelas / Na escuridão / Espero você voltar / Pra Saigon / . “  ]   .

A  letra da música seguinte  fala da simplicidade das coisas da vida. Seus autores, Carlos Colla e Gilson, procuram colocar num poema belíssimo os questionamentos do nosso viver e na busca do que seja a verdade. Presume-se que a expressão “Verdade chinesa “ advenha de uma  concepção que tratava do que seria correto nos conceitos da ética e da moral, afirmando-se como a pura “verdade” do povo chinês .   Interpretada por Emílio Santiago ganhou muito mais beleza na mensagem poética  expressa  em  “  VERDADE  CHINESA  “ .[ “ / Era só isso que eu queria da vida / Uma cerveja, uma ilusão atrevida / Que me dissesse uma verdade chinesa / Com uma intenção de um beijo doce na boca / A tarde cai, noite levanta a magia / Quem sabe a gente vai se ver outro dia? / Quem sabe o sonho vai ficar na conversa? / Quem sabe até a vida pague essa promessa? / Muita coisa a gente faz / Seguindo o caminho / Que o mundo traçou / Seguindo a cartilha / Que alguém ensinou / Seguindo a receita / Da vida normal, / Mas o que é vida afinal? / Será que é fazer / O que o mestre mandou? / É comer o pão / Que o diabo amassou / Perdendo da vida / O que tem de melhor? / Senta, se acomoda / À vontade, tá em casa / Toma um copo, dá um tempo / Que a tristeza vai passar / Deixa pra amanhã / Tem muito tempo / O que vale é o sentimento / E o amor que a gente / Tem no coração / . “  ]  .

Nesta  bela canção composta  por  Paulo Debétio  e  Paulinho  Resende  , magistralmente interpretada por  EMÍLIO  SANTIAGO , a dupla faz uma abordagem poética cujo tema é comum entre casais quando uma das partes desliza em relação à fidelidade conjugal e  depois  , arrependido  do ato , investe sobre a pessoa traída  com um visível arrependimento , implorando perdão e propondo projetos de uma reconciliação amorosa , tudo contido em um pedido manifestado  na  expressão :  “  PELO  AMOR  DE  DEUS “ .     [ “ / Pelo amor de Deus / Clareia a minha solidão / Acende a luz do teu perdão / Apaga esse adeus do olhar / Faz dos medos meus / Receios sem nenhum valor / Desperta o nosso imenso amor / Não custa nada perdoar / Você virou tatuagem no meu pensamento e no meu coração / Feito uma estranha miragem à beira dos olhos e longe das mãos / Perdoa meu amor / Nobreza maior que o perdão / Não há no reino da paixão / Perdoa meu amor / Nobreza maior que o perdão / Não há no reino da paixão / . “  ]  . 

Brilhantemente , o poeta  do samba , Jorge  Aragão ,  em um lampejo mítico, compôs  uma  linda canção com uma melodia que se encaixa muito bem na magnífica voz de Emílio Santiago . O tema versa sobre uma relação  que acontece com um simples sorriso  traduzido como um convite para se fazer amor , o  que resultou em um ato de traição e , como  consequência ,  a concretização de um relacionamento  amoroso :  “  LOGO  AGORA  “ .  [ “ / Logo agora... / Agora, justamente agora / Agora que eu penso em ir embora / Você me sorri / me sorri / é me sorri / Passou a noite inteira / Com seu amor do lado / Fingiu um bocado / Mas, hoje em dia, / Os amores são assim. / Ele foi embora / Nem faz uma hora / Pensando quem sabe nos beijos / Que você lhe deu. / Tolo, pensou que beijar sua boca foi consolo / Despertou o instinto da fêmea / Que agora que se deixar abater / Se sentir caçada, dominada até desfalecer. / Agora eu entendo o sorriso... / Ele é que não entendeu / Se não fez amor com você / Faço eu / pois é!!! / ( BIS ) / . “  ]  .   

Alberto  Ribeiro  e  João  de Barros  personificaram  um bairro do Rio de Janeiro que é o cartão postal da cidade . A “ Princesinha do Mar “ é decantada pelos compositores  e  cantada  maravilhosamente por Emílio Santiago  :     “ COPACABANA  “ .  [ “ / Existem praias tão lindas, cheias de luz / Nenhuma tem o encanto que tu possuis / Tuas areias, teu céu tão lindo / Tuas sereias sempre sorrindo / Copacabana, princesinha do mar / Pelas manhãs tu és a vida a cantar / E a tardinha ao sol poente / Deixa sempre uma saudade na gente / Copacabana, o mar eterno cantor / Ao te beijar ficou perdido de amor / E hoje vive a murmurar: / "Só a ti Copacabana eu hei de amar / . “ ]  .

Se na visão  filosófica a arte é a imitação da vida  e da natureza , então está delineada na homenagem feita por Gonzaguinha  à mulher cujo nome é Sílvia Buarque , mais conhecida como Dina , que o criou desde menino  , através da letra maravilhosa de uma canção ,  interpretada com muito encanto por Emílio Santiago , em  que narra sua história no morro de São Carlos . O eixo semântico da música versa sobre a onírica ansiedade de conhecimento do mundo na expectativa de um futuro  melhor , criando uma trajetória épica como se fora o sonho de um guerreiro na busca de suas conquistas , agindo   “  COM  A  PERNA  NO  MUNDO  “  .  [ “ /  Acreditava na vida , na alegria de ser / Nas coisas do coração , nas mãos  um muito fazer / Sentava bem lá no alto : pivete olhando a cidade / Sentindo o cheiro do asfalto , desceu por necessidade / Ô Dina , teu menino desceu o São Carlos / Pegou um sonho e partiu / Pensava que era um guerreiro com terras e gentes a conquistar / Havia um fogo em seus olhos,um fogo de não se apagar / "Diz lá pra Dina que eu volto,que seu guri não fugiu / Só quis saber como é...qual é? / Perna no mundo e sumiu" / E hoje,depois de tantas batalhas / A lama dos sapatos é a medalha que ele tem pra mostrar / Passado é um pé no chão e um sabiá / Presente é a porta aberta e o futuro é o que virá,mas e daí? / Ô,ô,ê,ê,á!O moleque acabou de chegar,ê mãe! / Ô,ô,ê,ê,á!Nessa cama é que eu quero sonhar! / Ô,ô,ê,ê,á!Amanhã boto a perna no mundo! / Ô,ô,ê,ê,á!É que o mundo é que é meu lugar! /  “ ] .     

Nesta bela canção , em parceria com  Evaldo Ruy , Custódio Mesquita  descreve , minuciosamente , as partes que compõem o corpo de sua amada , declarando-se, de uma forma alucinada , toda paixão que tece pela escultura de sua bela  paixão , contando ainda com a voz aveludada de Emílio Santiago em  uma maravilhosa interpretação da canção :  “  MULHER  “   .  [ “ / Não sei/ Que intensa magia /Teu corpo irradia/ Que me deixa louco assim/ Mulher/ Não sei/ Teus olhos castanhos/ Profundos, estranhos/ Que mistério ocultarão/ Mulher/ Não sei dizer/ Mulher/ Só sei que sem alma/ Roubaste-me a calma/ E a teus pés eu fico a implorar/ O teu amor tem um gosto amargo/ E eu fico sempre a chorar nesta dor/ Por teu amor/ Por teu amor Mulher / . “ ]  . 

A dupla  Evaldo Gouveia  e  Jair Amorim teve em uma de suas belas criações o embelezamento musical com a participação de uma voz cristalina e aveludada de Emílio Santiago em : “ ALGUÉM  ME  DISSE “. [ “ /  Alguém me disse que tu andas novamente / De novo amor, nova paixão, toda contente / Conheço bem tuas promessas / Outras ouvi iguais a essa / E esse teu jeito de enganar conheço bem / Pouco me importa que te vejam tantas vezes / E que tu mudes de paixão todos os meses / Se vais beijar como eu bem sei / Fazer sonhar como eu sonhei / Mas sem ter nunca amor igual ao que eu te dei / . “  ]  .     

Emílio Santiago  ,  mangueirense de sete costado ,  sempre foi fascinado por Escolas de Samba , o que o levou a gravar vários sambas de enredo , contribuindo como   intérprete na divulgação deste gênero musical . A Mangueira sempre teve a preferência dele nos cantos que alucinam os adeptos deste ritmo .  Em 1994 , a Mangueira homenageou os baianos que instauraram o “ Movimento Tropicália , com a presença no desfile de todos os artistas que participaram do movimento . Emílio Santiago , dotado de uma emoção imensa , gravou  “  ATRÁS  DA  VERDE  E  ROSA  SÓ  NÃO  VAI  QUEM  JÁ  MORREU “ . [ “ / Bahia é luz / De poeta ao luar / Misticismo de um povo / Salve todos orixás / Quem me mandou / Estrelas de lá / Foi são salvador / Pra noite brilhar / Mangueira! / Jogando flores pelo mar / Se encantou com a musa / Que a Bahia dá / Obá berimbau ganzá / Ô capoeira bis / Joga um verso pra Iaiá / Caetano e Gil ôô / Com a tropicália no olhar / Doces bárbaros ensinando / A brisa a bailar / A meiguice de uma voz / Uma canção / No Teatro Opinião / Bethânia explode coração / Domingo no parque amor / Alegria alegria eu vou / A flor na festa do interior / Seu nome é Gal / Aplausos ao cancioneiro / É carnaval é Rio de Janeiro / Me leva que eu vou / Sonho meu bis / Atrás da verde e rosa / Só não vai quem já morreu / . “  ]  .

Em  1988 , as Escolas  de  Samba do grupo especial  do Rio de Janeiro resolveram  ter como  enredo uma homenagem  à  raça  negra  , em comemoração ao  centenário  da “ Abolição  da  Escravatura  “ . A  Portela desfilou  com um lindo  samba composto por  Nenem , Mauro Silva , Luizinho e Carlinho  Madureira e que , depois da  Passarela ,  eternizou-se  na brilhante interpretação na  voz de Emílio Santiago , demonstrando sua versatilidade  através de seu canto em todos os gêneros musicais .  “  Lenda Carioca, os Sonhos do Vice-Rei “[ “ / Está fazendo um centenário / A Portela em louvação / Voa com a liberdade / A águia e o negro num só coração / Tece versos de amor / Que o Vice-Rei sonhou / Neste cenário de paixão... de paixão / A hora é esta / De irmanar a multidão / Canta, meu povo / Canta, meu povo / Vem no embalo / Que a lenda é carioca (canta, canta) / Canta, meu povo / Vem sambar de novo / Peripécias do amor, ô ô / O Vice-Rei sofreu / Foi Vicente quem casou, ô ô / O sonho se acabou / Suzana, musa deste mar de lama / Simplesmente a tua chama / Queima o peito de quem ama / Valentim, foi ele sim / Sim, quem esculpiu / A fonte dos amores / Recanto tão sutil / Briga, eu, eu quero briga / Hoje eu venho reclamar / (O que que tem, o que que há) / Esta praça ainda é minha / Eu também estou fominha / Jacaré quer me abraçar / . “  ]   .

Luiz Carlos da Vila  , em parceria com Rodolpho  e  Jonas  , foi vencedor do samba-enredo da Vila Isabel , com Kizomba , A Festa da  Raça , campeã do carnaval carioca de 1988  , linda canção gravada , após o carnaval , por Emílio Santiago , acrescentando mais beleza com sua divina voz .    “  KIZOMBA, A FESTA DA RAÇA  “ . [ “ / Valeu Zumbi! / O grito forte dos Palmares / Que correu terras, céus e mares / Influenciando a abolição / Zumbi valeu! / Hoje a Vila é Kizomba / É batuque, canto e dança / Jongo e maracatu / Vem menininha pra dançar o caxambu / Ôô, ôô, Nega Mina / Anastácia não se deixou escravizar / Ôô, ôô Clementina / O pagode é o partido popular / O sacerdote ergue a taça / Convocando toda a massa / Neste evento que congraça / Gente de todas as raças / Numa mesma emoção / Esta Kizomba é nossa Constituição / Que magia / Reza, ajeum e orixás / Tem a força da cultura / Tem a arte e a bravura / E um bom jogo de cintura / Faz valer seus ideais / E a beleza pura dos seus rituais / Vem a Lua de Luanda /Para iluminar a rua / Nossa sede é nossa sede / De que o "apartheid" se destrua / Valeu! / . “  ]  .

      O acervo musical interpretado por EMÍLIO  SANTIAGO conta com lindas canções compostas pelos mais variados estilos de quase todos os compositores da Música  Popular  Brasileira .  O  Cantinho  Musical  sente profundamente ter apresentado um número reduzido de suas interpretações em um quadro com uma imensa dimensão de verdadeiras pérolas musicais . Entretanto temos a convicção de que o panorama das músicas expostas no artigo será de uma enorme aceitação para aqueles que curtem uma bela canção bem interpretada !

    “  O  SENTIMENTO  DE  SAUDADE  É RESULTANTE DA AUSÊNCIA DO AMOR DIVINIZADO NA ALMA DOS SERES HUMANOS ,  E  A  LEMBRANÇA É  A RETOMADA DE BELOS VESTÍGIOS DEIXADOS PELA GRANDE ADMIRAÇÃO DAS COISAS SAUDOSAS . EMÍLIO SANTIAGO DEPOSITOU NA ALMA DE TODOS  ENTUSIASTAS POR  BELAS  INTERPRETAÇÕES MUSICAIS  MUITAS PÉROLAS ENVOLTAS EM SUA MAGNÍFICA VOZ  . “

 

Waldemar  Pedro  Antonio                                   e-mail :   wpantonio@terra.com.br

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »