06/05/2020 às 09h32min - Atualizada em 06/05/2020 às 09h32min

144 – Regiões de origem

Imigrantes Italianos em Leopoldina

Luja Machado e Nilza Cantoni
Foi dito, no texto número 124 desta série do Trem de História, publicado na edição 377, de 01.04.19, que os imigrantes italianos que viveram em Leopoldina procediam de 18 das 20 regiões administrativas em que a Itália está dividida.

É um dado novo em relação ao que havia sido publicado por ocasião das comemorações do Centenário da Colônia Agrícola da Constança, em abril de 2010, porque naquela época não eram conhecidos todos os imigrantes que em 2019 se encontravam catalogados.

Estas variações dos dados demonstram que entre 2010 e 2019 o trabalho de pesquisa continuou. Ver e rever documentos para melhor escrever a história da cidade é um trabalho constante e infinito.

Hoje se tem certeza de que os números ainda poderão ser modificados se forem encontradas novas fontes sobre a origem dos 57% de imigrantes sobre os quais só se sabe, até agora, que nasceram na Itália. Difícil é prever quando e se isto irá de fato acontecer. Difícil, também, é dizer qual ou, quais regiões estavam mais representadas entre os imigrantes que viveram em Leopoldina.

Considerando-se que o grande fluxo ocorreu em período próximo ao da reunificação da Itália, ocorrida nos anos de 1860, não se pode determinar um perfil dos que vieram para Leopoldina nem informar de qual região foi a influência predominante. Até porque, dentro da própria Itália as coisas ainda não estavam totalmente organizadas quando os imigrantes vieram para cá.

Depois do Congresso de Viena em 1815, a península itálica passou a sediar o Reino Sardo-Piemontês, o Reino Lombardo-Veneziano, os Ducados de Parma, Módena e Tosaca, os Estados Pontifícios e o Reino das Duas Sicílias. No início da década de 1860, quando muitos chefes das famílias que vieram para cá eram ainda jovens, uma parte do atual território italiano estava unificado sob o Reino da Itália. Mas ainda faltava conquistar Veneza e Roma, cujo processo só se concluiu em 1870.

As chamadas Guerras de Unificação são conhecidas dos brasileiros especialmente pela participação de Ana Maria de Jesus Ribeiro, a catarinense que se casou com Giuseppe Garibaldi, patriota italiano que recebeu o epíteto de “herói de dois mundos” pela participação em conflitos na Europa e na América do Sul.

Mas pouco se comenta sobre as diferenças culturais que dividiam os habitantes que viveram tanto tempo em territórios separados pela subordinação administrativa. Não só falavam dialetos diferentes como eram dirigidos por diferentes sistemas que os tornavam quase estrangeiros em relação uns aos outros.

Além de ser muito comum, a prática dos deslocamentos já mencionada em outros artigos tem no caso dos Anzolin um bom exemplo.

Giovanni e seu irmão Basílio nasceram em Portogruaro, província de Venezia, região do Veneto. A família residiu em diferentes comuni[1] do Veneto antes de se transferir para Cinto Caomaggiore, também província de Venezia, onde Giovanni se casou. Algum tempo depois os Anzolin estavam em Pravisdómini, província Pordenone, bem próximo da divisa do Veneto com o Friuli-Venezia Giulia. Em 1910, quando o passaporte foi concedido, estes Anzolin residiam em Pordenone. Ocorre que o Friuli-Venezia Giulia só foi incorporado à Itália em 1919, após a Primeira Guerra Mundial. Mesmo tão próximo, não só a língua era diferente como as práticas culturais.

Considerando-se o total de imigrantes que viveram em Leopoldina até aqui identificados, no mapa a seguir estão os percentuais que eles representam. Valle d’Aosta e Molise, como se pode verificar, são as duas regiões das quais não se tem registro de que tenha naturais vindos para Leopoldina.
 
O Trem de História de hoje fica por aqui. Mas permanece a promessa de seguir viagem com os imigrantes italianos em Leopoldina,  No próximo Jornal o assunto será a alimentação. Aguardem!
Luja Machado e Nilza Cantoni - Membros da ALLA
Publicado na edição 397 no jornal Leopoldinense de 1 de fevereiro de 2020
 
 
[1] Plural de Comune, unidade básica administrativa que se aproxima da noção de município do Brasil.
 
***
17/03/2020: em virtude da pandemia de coronavírus, foram suspensos os preparativos para o ENCONTRO DE DESCENDENTES DOS IMIGRANTES DE LEOPOLDINA que seria realizado no próximo dia 17 de maio de 2020. Nova data será oportunamente informada.
Link
Relacionadas »
Comentários »