03/01/2022 às 11h20min - Atualizada em 03/01/2022 às 11h20min

Terá carnaval?

Paulo Lúcio Carteirinho
Foto: João Gabriel Baía Meneghite
Em fim chegamos em 2022! Ano o qual todos acreditam ser o ano do recomeço. Depois de 2 anos vivendo com a pandemia, há quem acredite que voltaremos à vida normal. Porém, acho que isso está longe de acontecer, tendo em vista que muitos insistem em não levar a sério as medidas sanitárias: uso de máscaras, isolamento e até vacinação.
 
Alguns até hoje não se vacinaram e falam que nem vão se vacinar. Boa parte disso é culpa do próprio presidente da República, que insiste em fazer campanha contra a vacinação, ao ponto de usar o “Ministério da Saúde” para isso. Veja o que está acontecendo com a vacinação das crianças, mesmo com a aprovação da ANVISA, o governo federal vem criando um monte de regras que dificultam a vacinação. Coisa que não se vê em nenhum outro lugar no mundo.
 
Dessa forma, o Brasil que até então era referência mundial em vacinação, passa a ser visto como um país negacionista. Enquanto países lá fora, que nunca foram referência em vacinação, já passaram da casa de 80% da população vacinada, alguns já chegando nos 90%,  o Brasil ainda está na casa dos 60%.
 
Dentro desse cenário, realmente fica difícil acabar com a pandemia. Dessa forma, vamos prolongando ainda mais esse desastre, que até parece episódio do desenho Caverna do Dragão, de onde nunca se consegue sair.
 
As pessoas têm que entender que enquanto não superarmos de vez essa pandemia não voltaremos a vida normal. Terminamos 2021 sem as famosas festas de Réveillon e tudo leva a crer que vamos começar 2022 da mesma forma que terminamos, inclusive, sem realizar o carnaval. Isso mostra que estamos longe da normalidade.  
 
Muitas cidades já cancelaram a festa de carnaval. Como a nossa vizinha Cataguases. Em Leopoldina a prefeitura ainda não se manifestou, mas tudo leva a crer não teremos carnaval por aqui. Até porque, para a realização do mesmo, é preciso de planejamento, coisa que não venho notando por parte do setor público.
 
Tempos atrás até vi uma pequena movimentação. Por volta de Outubro chegaram até falar numa reunião com os blocos caricatos, mas não foi à frente.   Pelo menos não tive conhecimento de mais nada. Nesse meio tempo tivemos a troca do secretário de esporte, cultura, turismo, lazer e etc, assim como a saída do superintendente de cultura, o qual acho que até hoje não foi nomeado alguém para o lugar. A cultura em Leopoldina está desorganizada, o que dificulta a realização do carnaval.
 
O curioso é que o Motorock, que é bem depois, em abril, junto com o aniversário da cidade, esse, vai ter.   Bem, é o que vem sido anunciado. Já o carnaval até agora nada. Ficando aquela dúvida: vai ter ou não o carnaval?
 
O tema foi até discutido na Câmara Municipal, onde os vereadores aprovaram o requerimento de n° 203/2021, de autoria dos vereadores Carlos André e Suíno, questionando “se a Administração Municipal pretende custear, organizar, apoiar financeiramente algum evento ou promover festas referente ao carnaval de 2022”. Não sei se a prefeitura respondeu a tal requerimento.
 
A respeito do carnaval, acho que não vai ter. Não só por causa da pandemia e falta de organização em Leopoldina, mas devido uma corrente muito forte contra a festa. Coisa que sempre teve, mas vem ganhando força nos últimos tempos.
 
Se não bastasse a galera do fica em casa, que é contra aglomerações, muitos que são a favor da volta a normalidade são contra o carnaval. É o caso de religiosos, defensores da política de Menos Estado que são contra uso de dinheiro público para realizar o carnaval e principalmente alguns políticos, tendo em vista 2022 ser ano eleitoral e muitos estão receosos com manifestações políticas, algo muito comum no carnaval.
 
Cito como exemplo um caso que aconteceu recentemente, onde num show da Ivete Sangalo foi puxado um coro contra o presidente Bolsonaro. Mesmo coro que em 2020 foi puxado na Cooper Beer em Leopoldina. E isso tende a ser ecoado Brasil a fora caso haja carnaval. Para evitar isso, muitos passaram a ser contra o carnaval. Uma forma de silenciar as críticas.
 
Com tanta gente contra o carnaval, acho difícil a realização do mesmo., além de não ver clima para isso nesse momento. Mas brasileiro você sabe como é, adora uma festa e muitos vão arrumar formas de se divertir mesmo que a prefeitura não faça nada.
 
Em Cataguases, por exemplo, a prefeitura deixou claro que não vai realizar a festa, mas não vai impedir quem queira fazer, permitindo a realização de blocos caricatos e outros eventos na cidade. Acredito que ocorrerá o mesmo em Leopoldina.  Resta aguardar o comunicado oficial por parte da prefeitura.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »