21/10/2019 às 09h08min - Atualizada em 21/10/2019 às 09h08min

BOCA RICA – O CABO ELEITORAL – Sul de Minas – Anos 1960

Edson Gomes Santos

Este caso (ou causo?) foi-me relatado pelo colega de BB, Paulo Souza, teria ocorrido numa região próxima de Três Corações, e, como não o vivenciei, não tenho como afirmar quanto à veracidade do fato.

Naquela época, os políticos disputavam “no tapa” pelos melhores cabos eleitorais de cada localidade das suas bases eleitorais, visando obter o maior número de votos, e se elegerem.

Os cabos eleitorais eram remunerados direta ou indiretamente, quer com moeda corrente, quer como – se eleito o “seu” candidato – beneficiário de uma “boquinha” num emprego público, ainda que temporário.

Mas, Boca Rica não era “desses” cabos interesseiros, pois não trabalhava por dinheiro, e, sim, em favor dos benefícios que sua região poderia obter, elegendo majoritariamente este ou aquele candidato.

...E os eleitores percebiam e apoiavam incondicionalmente os candidatos “defendidos” por Boca Rica, pois sabiam das intenções e seriedade dele revertiam em benefícios para todos.

Tal procedimento fez com que Boca Rica, cujo apelido era justificado porque ele tinha 4 dentes de ouro, ficasse cada vez mais cotado entre os cabos eleitorais que se apresentavam para trabalhar durante os períodos eleitorais, mas, “ele” era o mais cobiçado.

Um dos seus grandes amigos que por duas eleições conseguiu, graças aos esforços do Boca Rica, eleger-se vereador e, depois, deputado estadual, resolve “explorar” o potencial dele e o convencer a se candidatar a vereador, pois Boca Rica estaria com “meio caminho andado”.

O amigo se encontra com Boca Rica e...
- Meu amigo, você será “meu candidato” a vereador na próxima eleição; por favor, não me ofenda; não aceito recusa e duvido que não seja eleito!                 
- Vá ao Diretório do Partido ainda hoje; leve seu currículo e seus documentos pessoais; inscreva-se como militante; e depois conversaremos sobre a campanha.

Dias depois, o amigo fica sabendo que o Boca Rica estivera no Diretório local; foi entrevistado; não preencheu nem assinou a Ficha de Inscrição; despediu-se ...e sumiu.

O amigo procura pelo fujão; encontra-o; e...

- Rapaz, o que aconteceu?  Tudo pronto para sua inscrição e você foge?
Boca Rica, meio que sem graça, justifica:

- Pois é, fui lá!  Passei meus documentos; dei as informações que pediram; até que pediram prá eu mostrar algo que seria fotografado e publicado no informativo partidário.
- Você acredita que eles pediram para eu mostrar e deixar fotografar meu CURRÍCO?
- É... minha boca rica eu mostro prá todo mundo ver, mas, meu CURRÍCO?
...Fotografado e mostrado prá todo mundo ver?       ...NNNUUUNNNCCCAAA!!!!!!
 
Edson Gomes Santos – Divinópolis - 2015 
 

Link
Relacionadas »
Comentários »